Arquivos do Blog

Aécio condena falta de repasses federais e diz que será parceiro de Pernambuco

“Eu tenho um Nordeste no território mineiro. Meu pai é da região mais pobre do Vale do Jequitinhonha, disse Aécio”.

Eleições 2014

Fonte: PSDB

Aécio disse que será parceiro de Pernambuco

Aécio Neves: “O governo petista deixou de repassar R$ 81,8 milhões prometidos para obras importantes no Recife”. Divulgação

Aécio afirma que será o grande parceiro de Pernambuco e condena falta de repasses federais ao Estado

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, afirmou nessa quarta-feira (22/10), em entrevista por telefone à Rádio Jornal (do Recife), que uma vez eleito será o “grande parceiro” do governador eleito Paulo Câmara (PSB) e do prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB).

Aécio lembrou ter apresentado um projeto de desenvolvimento específico para a região Nordeste, o Nordeste Forte, que teve como uma das inspirações suas conversas com o ex-governador Eduardo Campos, de quem era amigo.

“Eu tenho um Nordeste no território mineiro. Meu pai é da região mais pobre do Vale do Jequitinhonha. O que eu posso garantir aqui é que, a quatro dias desta eleição, eu serei o grande parceiro do prefeito Geraldo Júlio e do governador Paulo Câmara”, disse Aécio.

Retaliação

Aécio condenou a retaliação do governo federal a Pernambuco por parte da presidente Dilma Rousseff, que tenta a reeleição. Desde o ano passado, Pernambuco aguarda o repasse de verbas para obras no Estado.

“Eu vejo o governo federal deixar de fazer o repasse federal para o Hospital da Mulher, em Recife, ou para área da saúde ou para o novo Pátio da Feira de Afogados simplesmente porque o prefeito Geraldo Júlio e o governador Paulo Câmara tiveram posição solidária a Eduardo Campos”, afirmou Aécio, que recebeu no segundo turno das eleições o apoio do PSB.

O governo petista deixou de repassar R$ 81,8 milhões prometidos para obras importantes no Recife. Do Hospital da Mulher, por exemplo, R$ 48,8 milhões foram prometidos, mas apenas R$ 1 milhão foi repassado. Das demais obras – Escola de Saúde, Reforma do Geraldão, Pátio da Feira de Afogados e pavimentação do Ibura – o governo federal não repassou nenhuma verba.

“Eu acho [a retaliação] um grande equívoco, porque o dinheiro não é deles [do governo do PT]. Não tem esta história de dinheiro estadual e dinheiro federal. Tem de dinheiro público, que é do cidadão”, ressaltou Aécio.

Nordeste

Na entrevista, Aécio reiterou que será o presidente da República do Brasil e do Nordeste. Ele se comprometeu a ampliar o programa Bolsa Família e tratar o Nordeste de forma diferenciada. O candidato antecipou que, em recente conversa com Paulo Câmara e Geraldo Júlio, afirmou que uma das suas prioridades é a nova duplicação da BR 232 – que liga Recife a Parnamirim com mais de 530 quilômetros de extensão.

“Tenho este compromisso com o Estado. Vamos investir em infraestrutura e educação. No meu governo, as obras vão começar e vão ser concluídas. Estamos aí com a transposição [do rio São Francisco], que era para ser inaugurada em 2010. Estamos em 2014 e não se sabe quando fica pronto. A Transnordestina da mesma forma: 10% dos trilhos estão no lugar”, citou o candidato na rádio.

Agressões

Diante dos últimos ataques desferidos pelo ex-presidente Lula, no último dia 21/10 em Pernambuco, contra as lideranças do PSDB, Aécio reagiu afirmando que a política precisa de “mais generosidade”. “O adversário não precisa ser tratado como um inimigo a ser dizimado a qualquer custo”, destacou ele.

No Recife, Lula chegou a comparar os tucanos com “nazistas na Segunda Guerra”, em mais uma incitação ao ódio e às agressões, prática que o PT vem se especializando. Aécio afirmou que a atitude não é própria de uma campanha que está “tranquila”. Ao contrário. “É próprio daqueles que acham que o poder é eterno”, destacou Aécio.

“Não é uma campanha de quem está se sentindo vitorioso”, afirmou Aécio, lembrando que sempre teve “respeito pessoal” por Lula e que teve com ele uma “relação republicana”, quando foi governador de Minas Gerais e o petista, presidente da República.

“O que eu não acho apropriado – e aqui fico apenas nessa crítica – é um ex-presidente da República numa campanha eleitoral ofender adversários apenas porque são seus adversários. Acho que a figura presidencial deve de alguma forma ser preservada”, concluiu Aécio.

Anúncios

Aécio Neves: regiões mais pobres do Brasil receberão investimentos diferenciados

Aécio disse que as regiões mais pobres de Minas e do Brasil, especialmente no semiárido, terão investimentos diferenciados em seu governo.

Eleições 2014

Fonte: PSDB

Aécio investirá na transformação das regiões mais pobres do Brasil

Aécio: “Ao longo do meu governo em Minas Gerais, gastamos três vezes mais per capita nessas regiões, que incluem o Norte de Minas, o Vale do Jequitinhonha, Mucuri e São Mateus”. Foto: Orlando Brito.

Regiões mais pobres de Minas e do Brasil receberão investimentos diferenciados, afirma Aécio

Em Montes Claros, candidato da coligação Muda Brasil à Presidência recebeu apoio de lideranças políticas do Norte de Minas e foi recepcionado com entusiasmo pela população

“Só vamos diminuir as enormes diferenças que existem entre as regiões do Brasil se tratarmos dessas regiões de forma diferente”. A afirmação foi feita nessa quinta-feira (11/09), em Montes Claros (MG), pelo candidato à Presidência pela coligação Muda Brasil, Aécio Neves, ao reiterar o seu compromisso com a redução da pobreza e da desigualdade emMinas e em todo o país. Aécio disse que as regiões mais pobres de Minas e do Brasil, especialmente aquelas localizadas no semiárido, terão investimentos diferenciados em seu governo, a exemplo do que ocorreu em sua gestão no Estado (2003 e 2010).

Durante o governo de Aécio em Minas Gerais, a atenção especial gerou resultados positivos, fazendo com que o Estado apresentasse redução expressiva nos índices de pobreza. O candidato afirmou que o seu propósito é fazer investimentos diferenciados para as regiões do país que mais precisam, fortalecendo a economia desses locais. “Por isso lancei oprograma Nordeste Forte, que atende a essa região de Minas Gerais e todo o Nordeste brasileiro”, afirmou.

O programa Nordeste Forte, que faz parte do plano de governo do candidato, reúne 45 propostas para promover o desenvolvimento econômico sustentável, redução das desigualdades e integração regional, tendo entre as suas principais metas a redução da pobreza.

“Ao longo do meu governo em Minas Gerais, gastamos três vezes mais per capita nessas regiões, que incluem o Norte de Minas, o Vale do Jequitinhonha, Mucuri e São Mateus. Teremos um programa de investimentos diferenciados, um sistema tributário que permita a atração de empresas para essas regiões, gerando empregos, facilitando o desenvolvimento”, disse.

Aécio participou, em Montes Claros, de grande encontro com lideranças políticas do Norte de Minas que reuniu, no Automóvel Clube da cidade, mais de 2 mil pessoas. As lideranças reafirmaram o apoio e a confiança na vitória das candidaturas de Aécio, dos candidatos ao governo, Pimenta da Veiga e Dinis Pinheiro, e ao Senado, Antonio Anastasia.

Depois de carreata pelas ruas da cidade, Aécio fez caminhada na região central de Montes Claros, quando recebeu o apoio de centenas de comerciantes e o carinho da população. Aécio, Pimenta, Dinis e Anastasia se reuniram também com a direção da Santa Casa da cidade.

Qualidade de Vida: Aécio transformou Norte de Minas

O Norte de Minas e os Vales do Jequitinhonha e Mucuri vivem hoje uma verdadeira transformação em razão dos investimentos do governo Aécio Neves.

Assim como fez em Minas, Aécio vai criar condições para que os municípios mais pobres do país melhorem a qualidade de vida da população.

Aécio transformou regiões mais pobres de Minas

Aécio conseguiu mudar o perfil das regiões mais pobres levando novas estradas, mais saúde, mais educação, mais saneamento, sistema de telefonia celular em todos os municípios, novas empresas e mais empregos gerados. Foto: George Gianni

Fonte: Jogo do Poder

Aécio Neves levou mais investimentos para as regiões mais pobres de Minas e transformou a vida das pessoas

Desde 2003, Norte de Minas, Jequitinhonha e Mucuri recebem atenção especial e apresentaram maior crescimento no IDH, com avanços sociais importantes 

A redução da desigualdade social e econômica em todas as regiões do Brasil é uma das prioridades do programa de governo de Aécio Neves para a Presidência da República. Assim como fez em Minas, Aécio vai criar condições para que os municípios mais pobres do país melhorem a qualidade de vida da população.

O Norte de Minas e os Vales do Jequitinhonha e Mucuri, as regiões mais pobres do Estado, vivem hoje uma verdadeira transformação em razão dos investimentos do governo Aécio Neves (2003-2010). Com planejamento e vontade política, Aécio conseguiu mudar o perfil dessas regiões, levando novas estradas, mais saúde, mais educação, mais saneamento, sistema de telefonia celular em todos os municípios, novas empresas e mais empregos gerados. O resultado está no aumento significativo do Índice de Desenvolvimento Humano dos Municípios (IDHM).

“O Norte de Minas, o Vale do Jequitinhonha e o Vale do Mucuri são regiões que têm os mesmos Índices de Desenvolvimento Humano que existem hoje no Nordeste brasileiro. Quando terminei o governo mineiro, eu havia gasto três vezes mais per capita nessa região, porque você só consegue reduzir as desigualdades se tratar de forma desigual os desiguais”, afirma o ex-governador de Aécio Neves.


dsocial4-300x300

Mais crescimento e qualidade de vida

No último levantamento do IDH dos Municípios, de julho de 2013, os destaques foram 28 cidades localizadas no Norte do Estado e sete do Vale do Jequitinhonha. O crescimento do índice refletiu, principalmente, os avanços na educação, na expectativa de vida e na renda. Esses avanços só foram possíveis porque Aécio Neves priorizou, no seu governo, ações para combater a desigualdade regional, reforçando a atenção para as regiões mais pobres.

Em 2003, Aécio criou de forma pioneira uma secretaria exclusiva para cuidar do desenvolvimento do Norte de Minas e dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri. O valor investido por pessoa nessas regiões passou a ser três vezes maior.

A ex-secretária para o Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e do Norte de Minas, Elbe Brandão, afirma que, com Aécio Neves, as necessidades dessas regiões se tornaram política de Estado.

“Foi um divisor de águas, tanto na forma de ser quanto na nomenclatura. O que era o vale da miséria, a região da pobreza, uma vergonha para Minas, hoje é da esperança, da dignidade e de pessoas que podem se colocar como iguais ao resto do Estado, do país e do mundo”, afirmou.

O crescimento do IDHM dos municípios do Norte e Jequitinhonha comprova essa mudança para melhor, destaca a ex-secretária, com a redução da mortalidade infantil, do analfabetismo e da desnutrição infantil, entre outros indicadores.

“Foi um conjunto de ações e uma pauta política em que Aécio fez com que cada secretaria desenvolvesse um programa específico para a região. Tivemos o Proacesso, o Minas Comunica, o Travessia, entre outros, o que culminou com o fato de que para cada real investido no Centro Sul de Minas Gerais, três reais fossem investidos nos vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas”, diz.

De acordo com o deputado estadual Arlen Santiago, a política adotada pelos governos de Aécio Neves e Antonio Anastasia mudaram a realidade da região. “A transformação do Norte de Minas foi muito grande, principalmente porque a região foi de fato prioridade para o Governo”, afirmou.

Bolsa Família mantido e mais benefícios

A preocupação com as regiões mais pobres de Minas levou o ex-governador de Minas e hoje senador, a defender no Senado Federal, a extensão de benefícios aos municípios da área mineira da Sudene, como incentivos federais para a instalação de empresas (MP 512) e subvenções aos produtores de cana e etanol prejudicados pela seca (MP 615), enfrentando posição contrária da base de apoio do Governo federal.

Aécio Neves também apresentou projetos para garantir a continuidade e o aperfeiçoamento do Bolsa Família. Um deles prevê que o programa seja incorporado pela Lei Orgânica de Assistência Social (Loas), o que faz com que o Bolsa Família seja permanente e tenha mais recursos. O outro projeto estende o pagamento por mais seis meses para quem conseguir emprego com carteira assinada.

Para Aécio as políticas sociais devem ser ampliadas e, mais do que transferir renda, criar oportunidades, especialmente para os que mais precisam. O que o Brasil quer atualmente, diz ele, é de um governo eficiente “que gaste menos com a sua estrutura, para gastar mais com as pessoas. “É isso o que eu fiz em Minas Gerais e vou fazer no Brasil”, afirma.

Assista ao vídeo com entrevista de Elbe Brandão:

Com Aécio, o Norte de Minas, Jequitinhonha e Mucuri se transformaram. Veja os números:

Investimentos de mais de R$ 11 bilhões em 25 projetos de diferentes setores produtivos e mais de dez mil empregos diretos. Entre eles, a Alpargatas, implantada em Montes Claros, que está investindo R$ 270 milhões para gerar 2.500 empregos; e a Marluvas, em Capitão Enéas, com 1,2 mil empregos.

– 114 municípios passaram a ter telefonia celular com o Minas Comunica I. Mais 160 distritos de 86 municípios serão beneficiados com sinal de celular e transmissão de dados com o Minas Comunica II.

– 85 trechos pavimentados e mais de 650 mil pessoas beneficiadas com o Proacesso, que tem na região o maior número de trechos contemplados. O trecho Arinos – Chapada Gaúcha é o segundo maior do programa.

– Mais 49 trechos serão pavimentados no Norte de Minas e nos vales do Jequitinhonha e Mucuri com o Caminhos de Minas, beneficiando mais de 2,5 milhões de pessoas.

– Mais de 1,3 milhão de pessoas beneficiadas pelo programa Travessia com melhorias em escolas, postos de saúde, redes de água e esgoto, banheiros, diversas outras obras e programas em diversas áreas em 129 municípios do Norte e Jequitinhonha/Mucuri.

– 27 mil gestantes de 89 municípios atendidas pelo Mães de Minas e 30 hospitais que ganharam melhor qualidade no atendimento com o Prohosp.

– Mais de 250 mil alunos beneficiados com o Programa de Intervenção Pedagógica (PIP) e oportunidades para 11 mil alunos com o ensino profissionalizante.

%d blogueiros gostam disto: