Arquivos do Blog

Aécio: aliança com DEM e PMDB na Bahia faz adversários tremerem

Aliança com DEM e PMDB reforça a oposição no maior colégio eleitoral do NE. “Essa aliança faz os adversários tremerem”, comentou Aécio.

Aécio quer mostra para o Brasil projeto alternativo de gestão

Fonte: Jogo do Poder

Aliança com DEM e PMDB na Bahia faz adversários tremerem, afirma Aécio Neves

O presidente nacional do PSDBsenador Aécio Neves (MG), afirmou nesta segunda-feira (12/05) que a aliança com o DEM e o PMDB na Bahia, o maior colégio eleitoral do Nordeste, está tirando o sono dos adversários.

“Essa é a mais bem sucedida união feita até agora para as eleições deste ano. Essa aliança faz os adversários tremerem”, disse o tucano durante discurso para lideranças regionais em Feira de Santana, interior do estado.

A aliança de oposição na Bahia lançou como pré-candidato a governador o ex-governador Paulo Souto (DEM), a vice-governador o empresário Joaci Góes (PSDB), e ao Senado o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB).

O presidente nacional do PSDB ressaltou que a oposição vai apresentar ao país e aos baianos, durante a campanha eleitoral, um projeto alternativo de gestão, com ênfase na ética e na eficiência na aplicação dos recursos públicos. “É nossa obrigação apresentar um novo modelo de desenvolvimento”, afirmou Aécio Neves.

Esse novo projeto, na avaliação do pré-candidato ao governo estadual, Paulo Souto, passa por serviços públicos de qualidade para a população baiana, principalmente na área de segurança pública. Souto lembrou que o número de homicídios em Feira de Santana é alarmante.

Paulo Souto destacou a liderança do presidente nacional do PSDB na construção da aliança com o DEM e o PMDB. “Aécio tem credenciais. Ele já foi capaz de fazer em Minas e tem condições de realizar muito mais pelo destino do país. É hora da Bahia e do Brasil encontrarem um novo caminho”, ressaltou Paulo Souto.

Governo da propaganda

Para Geddel Vieira Lima, pré-candidato ao Senado, o governo petista na Bahia segue a linha da administração federal ao vender na propaganda um estado que não existe. “A propaganda do PT mostra na TV obras de ficção científica, mas na realidade a população sofre com a falta de saúde e está implorando por segurança pública”, criticouGeddel.

O pré-candidato ao Senado pela Bahia também destacou a aliança com o PSDB e o DEM e disse que a população baiana, assim como a do restante do país, anseia por mudanças. “Essa aliança tem cheiro de vitória. É hora de por em prática um princípio básico da democracia, que é a alternância de poder para fazer um país mais justo, mais sério, com menos fisiologismo”, defendeu.

O evento em Feira de Santana foi o primeiro compromisso de Aécio na Bahia nesta segunda-feira (12). Hoje à noite, o senador será homenageado com o título de Cidadão de Salvador na Câmara Municipal. “Estou extremamente feliz de iniciar essa caminhada por Feira de Santana. Por aqui passam brasileiros de todas as partes do país”, disseAécio em agradecimento ao público presente.

Nordeste Notícias: principais gêneros alimentícios aumentou em nove das 17 capitais

Valor da cesta básica aumenta em nove capitais

Fonte: Valor Econômico

O preço dos principais gêneros alimentícios aumentou em nove das 17 capitais onde o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) realiza mensalmente a Pesquisa Nacional da Cesta Básica.

Depois de três meses, São Paulo voltou a apresentar o maior valor para a cesta básica, com os produtos de primeira necessidade custando R$ 311,55. Porto Alegre apresentou o segundo maior valor (R$ 305,72) e Manaus (R$ 298,22), o terceiro. As cestas com os menores custos médios foram encontradas em Aracaju (R$ 206,03), Salvador (R$ 223,00) e João Pessoa (R$ 232,97).

Em termos percentuais, as maiores altas foram verificadas em cidades do Norte e Nordeste, com destaque para Recife (4,49%), Manaus (3,61%) e Fortaleza (2,54%). Entre as sete localidades onde houve recuo, as quedas mais expressivas ocorreram em Florianópolis (-9,04%), Brasília (-3,66%) e Vitória (-2,29%).

Nos dez meses deste ano – de janeiro a outubro – a variação acumulada do preço da cesta foi positiva em todas as capitais pesquisadas. Os maiores aumentos foram apurados em Fortaleza (18,54%), Manaus (16,59%), Natal (16,40%) e Recife (15,88%). As menores variações no ano ocorreram em Goiânia (1,79%), Vitória (6,70%) e Salvador (6,79%).

Em 12 meses – entre novembro de 2011 e outubro – todas as capitais registram alta nos preços médios da cesta básica, com destaque para Fortaleza (28,40%), Natal (23,25%) e Recife (21,39%). As menores variações foram observadas em Goiânia (7,56%), Florianópolis (8,36%) e Salvador (8,72%).

Em outubro, os preços dos produtos da cesta básica aumentaram de forma generalizada, com destaque para arroz, óleo de soja, leite e carne. Segundo o Dieese, o valor do salário mínimo necessário para o sustento de uma família deveria ser de R$ 2.617,33.

Nordeste Notícias: PT vai acomodar os vitoriosos e consolar os derrotados

PT fechado para balanço

Fonte: Autor(es): PAULO DE TARSO LYRA Correio Braziliense

Executiva nacional do partido discute hoje o desempenho nas urnas e tenta acalmar os candidatos derrotados na eleição municipal

 

Em um espaço de apenas quatro dias, o PT vai acomodar os vitoriosos e consolar os derrotados. Hoje, a Executiva Nacional do partido reúne-se em São Paulo para fazer um balanço das eleições municipais de 2012 e acalmar sobretudo os nordestinos, que sofreram as maiores derrotas, ficando de fora das três principais capitais: Fortaleza, Recife e Salvador. Na próxima segunda-feira, o prefeito eleito de São Paulo, Fernando Haddad, se senta com as diversas tendências para definir o espaço de cada um no futuro governo.

Durante o segundo turno, com medo de que o debate por cargos atrapalhasse a eleição de Haddad, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ordenou que as disputas cessassem para evitar o “salto alto”. Passada a vitória nas urnas, o tema está livre para ser debatido novamente. “Acomodar os aliados quando se ganha é bem mais fácil. O duro é explicar quando se é derrotado”, disse o deputado Carlos Zarattini (PT-SP), um dos coordenadores da campanha.

Segundo o secretário de Organização do PT, Paulo Frateschi, além de Haddad, caberá ao vereador Antonio Donato (PT-SP), escolhido para conduzir o governo de transição, domar o ímpeto dos aliados. O próprio Donato é um dos petistas que se empenharão em indicar apadrinhados. “A pressão é muito maior por parte dos deputados federais, estaduais e vereadores”, acrescentou Frateschi.

Apesar das declarações dadas pela ministra da Cultura, Marta Suplicy, elogiando a escolha de Haddad por Lula mas afirmando que, “com ela, a vitória poderia ter sido mais fácil”, tanto Frateschi quanto Zarattini não veem nisso uma tentativa da ministra de indicar apadrinhados para a prefeitura. Ela, ao lado do ministro da Educação, Aloizio Mercadante, e do da Saúde, Alexandre Padilha, são os principais cotados para disputar o governo de São Paulo em 2014. “Candidatos a governo precisam compor alianças e não disputar espaços na prefeitura”, completou Zarattini.

Nordeste
Já o PT derrotado começa a lamber suas feridas hoje. A Executiva Nacional do partido tentará entender por que a legenda perdeu espaço no Nordeste. Na tarde de terça-feira, senadores do PT nordestino tiveram a primeira conversa com o presidente Rui Falcão e demostraram descontentamento.

Em alguns casos, as queixas foram pela ausência de Lula nos palanques (caso de Teresina). Em outros, as reclamações envolveram os diretórios municipais, que racharam e inviabilizaram as disputas, como ocorreu em Recife. “Eu brinquei com o Falcão que o que o Pellegrino teve (Nelson Pellegrino, candidato derrotado à prefeitura de Salvador) teve este ano eu não tive em 2008. Lula foi a Salvador duas vezes e à presidente, uma. Eu tive adversários da base e nenhuma ajuda, nem federal nem estadual”, completou o líder do PT no Senado, Walter Pinheiro (BA).

O partido também começará a discutir os efeitos do mensalão. Mas uma posição oficial criticando o julgamento do Supremo Tribunal Federal só será divulgada após a dosimetria das penas, para não parecer que “queremos pressionar o STF”, alegou Frateschi.

Regressão do câncer
Três dias depois de celebrar a eleição de Fernando Haddad (PT-SP) para a prefeitura de São Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva comemorou ontem mais uma vitória. Exames realizados no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, confirmaram a regressão completa do câncer de laringe descoberto em outubro de 2011. O edema na garganta, resultado do tratamento para eliminar o tumor, também regrediu de forma satisfatória, segundo a assessoria de Lula. O hospital não divulgou boletim. Para que a cura seja efetivamente comprovada, os exames devem dar negativo pelos próximos quatro anos (PTL).

Nordeste Notícias: de olho na rede 4G, Oi e TIM

Teles anunciam contratos para instalação de rede 4G no país

Fonte: Autor(es): Bruno Rosa, Paulo Justus e Sérgio Matsuura O Globo

EUA criticam exigência do governo, de 60% de conteúdo nacional

De olho na rede 4G, Oi e TIM anunciaram ontem parcerias para o início da implementação de sua infraestrutura para atender às cotas de produção local, que estabelece que 60% da rede tenham conteúdo nacional até 2014. A Oi anunciou seus fornecedores de equipamentos, enquanto a TIM selou acordo com a Telebras para o compartilhamento de rede no Norte e no Nordeste.

Por outro lado, o presidente da Comissão Federal de Comunicações (FCC, na sigla em inglês, órgão que regula o setor nos EUA), Julius Genachowski, fez uma crítica velada à proteção da indústria local pelo governo brasileiro. Segundo ele, o país se beneficiou da privatização das teles em 1995 e deveria continuar nesse caminho.

– Restrições a fabricantes levam (o país) em outra direção – disse Genachowski em palestra na Futurecom 2012, no Riocentro, reforçando críticas de americanos e japoneses.

Ações da Telebras dão salto de 52%

Ontem, a Oi fechou parceria com Nokia Siemens, Alcatel Lucent e Ericsson para o fornecimento de equipamentos nacionais, para sua rede 4G. Juntos, os contratos somam R$ 1 bilhão. Eles preveem a instalação de radiobases 4G nas seis cidades que irão sediar os jogos da Copa das Confederações (Rio, Recife, Belo Horizonte, Brasília, Salvador e Fortaleza) até abril de 2013. A Oi também vai levar os equipamentos para São Paulo.

James Meaney, chefe de Operações da Oi, lembra que 600 locais já foram vistoriados para receber as radiobases. Na semana passada, a tele iniciou testes pelo Leblon, zona Sul do Rio.

Já TIM e Telebras assinaram memorando de entendimentos para compartilhamento de rede, a fim de ampliar a cobertura das redes 3G e 4G. Pelo acordo, a TIM vai ceder sua rede no Amapá e Amazonas, um investimento de R$ 250 milhões que ficará pronto no fim do ano. Já a estatal vai ceder uma rede a ser construída entre Piauí e o Norte de Minas Gerais, ao longo das linhas de transmissão da Chesf e de Furnas. O anúncio do acordo fez as açõesda Telebras saltarem até 52% na Bolsa de Valores de São Paulo ontem.

O presidente da Telebras, Caio Bonilha, disse que o compartilhamento de infraestrutura é fundamental para a expansão do acesso à banda larga, principalmente na Região Norte:

– Não somos um país tão rico assim que cada empresa possa ter a sua rede, por isso precisamos compartilhar para atender à demanda – afirmou.

Bonilha se defendeu das críticas feitas ao baixo número de conexões do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL). Segundo ele, o plano foi responsável por 31,5% das adições líquidas de usuários de banda larga no Brasil em seu primeiro ano de funcionamento.

A Vivo, por sua vez, já havia anunciado contrato com a Ericsson, que será responsável pelas radiobases em Fortaleza, Recife e Rio. Já a chinesa Huawei vai instalar equipamentos 4G para a Vivo nas regiões Norte e Centro-Oeste, bem como em São Paulo, Minas Gerais e Belo Horizonte.

Aécio presidente: De 2014, vamos cuidar somente em 2014

Aécio presidente: De 2014, nós vamos cuidar só em 2014. PSDB vai construir uma proposta alternativa mais ousada nos campos das grandes reformas.

Aécio: presidente 2014

Fonte: O Tempo

Entrevista com Aécio Neves

 Aécio presidente: De 2014, vamos cuidar somente em 2014

Aécio presidente: ‘De 2014, nós vamos cuidar somente em 2014′

Aécio diz que PSDB terá lado nas cidades com 2º turno

Qual é o balanço do desempenho do PSDB das eleições em Minas? O partido elencou algumas prioridades e entre essas cidades sofreu derrotas …

Aécio Neves – Primeiramente, quando você fala em uma análise eleitoral, você não pode restringi-la a um partido. Nós temos uma base muito ampla em Minas Gerais desde o meu governo. Nós apoiamos inúmeros candidatos dessa base no interior do Estado. Ontem, inclusive, fizemos uma reunião no Palácio das Mangabeiras com o governador e algumas lideranças políticas do Estado. A vitória da base de sustentação do governo chega perto de 85% do total das prefeituras do Estado. O PSDBcontinua sendo um partido majoritário em Minas Gerais. O resultado é uma confirmação da aprovação da população mineira a um modelo de gestão que foi implantado em 2003, depois que venci em 2002, e que se mantém vivo e sólido até hoje.

O senhor pode adiantar a posição do PSDB nessas quatro cidades que terão segundo turno?

Aécio Neves – Para não precipitar o processo, nós estamos ouvindo primeiro as lideranças locais do partido e dos candidatos que disputaram as eleições, mas a nossa ideia é termos posição nos quatro municípios.

OUÇA – Aécio Neves fala sobre os erros da campanha do PT na disputa pela Prefeitura de Belo Horizonte:

E em relação a Belo Horizonte …

Aécio NevesO resultado foi excepcional. O que ocorreu foi o segundo turno no primeiro. O momento em que o Palácio do Planalto intervém diretamente no processo eleitoral e retira uma candidatura colocada naquele instante, isso levou um movimento na mesma direção no nosso campo político. A polarização da eleição no primeiro turno foi, talvez, o primeiro equívoco daqueles que quiseram nacionalizar a campanha. Não podemos desprezar a força da presença da presidente da República, que tem uma avaliação muito alta. Foi um resultado extraordinário. Eu acho que o equívoco que o PT cometeu nesse processo e que o levou a mais essa derrota foi colocar em segundo plano o interesse de Belo Horizonte. Desconheceu que havia uma administração em Belo Horizonte em curso séria, bem-avaliada, com investimentos extremamente importantes. Então, nós colocamos o interesse de Belo Horizonte à frente. Eu não fiquei preocupado em contabilizar no meu mapa eleitoral mais um “x”, uma vitória do PSDB, mas, sim, uma vitória importante para Belo Horizonte.

OUÇA – Senador mineiro explica o seu apoio a Marcio Lacerda na prefeitura da capital mineira:

O PT saiu da aliança ou o PSDB o empurrou para fora dela?

Aécio NevesFoi o PT que saiu da aliança, mais uma vez por priorizar o interesse do PT. O PT saiu da aliança por um motivo fútil, porque queria eleger mais “x” vereadores. Ele queria que o PSB fizesse o papel que o PMDB se dispôs a fazer para ele nessa eleição, que foi abdicar de ter uma bancada. O PMDB praticamente desapareceu, elegeu apenas um vereador. Está comprovado, agora, que o PSB tinha razão. O PSB tem que constituir sua bancada para dar sustentação ao prefeito. O prefeito não pode ser chantageado o tempo inteiro por não ter uma bancada do seu partido minimamente sólida.

O senhor acredita que a administração de Belo Horizonte vai ter o perfil do PSDB?

Aécio NevesEu acho que ela será mais ágil e mais eficiente. O Marcio sempre reclamou muito das pressões internas que recebia, esse modo do PT de indicação de cargos a todo instante. Imagina o gabinete do vice-prefeito com 30 cargos comissionados. Nem lugar para sentar essas pessoas tinham. Me falam em mais de 900 cargos comissionados. Eu acho que o prefeito vai ter uma administração mais leve. Sempre fui defensor da tese de que se deve gastar menos com a estrutura, seja do Estado ou da prefeitura, para investir mais nas políticas públicas. Eu acho que o Marcio terá mais liberdade para fazer um governo mais meritório. Eu acho que ele pode fazer uma administração extraordinária porque ele não terá as amarras que teve até aqui.

O Marcio Lacerda se credencia para as eleições em 2014?

Aécio NevesIsso é precipitado dizer. O Marcio tem reafirmado seu interesse em ficar na administração municipal. Ele acaba de ser reeleito, então, é até um desrespeito com a população de Belo Horizonte antecipar essa questão. Agora, é preocupar em renovar a administração, estabelecer as novas metas, cuidar de Belo Horizonte. De 2014, nós vamos cuidar somente em 2014.

A eleição em Recife e aqui coloca o PSB em destaque dentro do quadro nacional. Como o senhor imagina que vai ser a relação do PSB com o PSDB em 2014?

Aécio NevesO PSDB tem uma aliança com o PSB em vários Estados e, talvez aqui, uma das mais sólidas, que é uma aliança natural, que não foi construída para ganhar uma aliança seja nacional, seja estadual. Desde minha primeira eleição, o PSB participa formalmente da nossa aliança, participa dos governos, participou da minha reeleição, participa com Anastasia. Nós apoiamos aqui, em Belo Horizonte, um candidato do PSB e temos várias outras alianças com o PSB no Estado. Mas, o PSB em nível nacional participa da aliança do governo. Seria indelicado da minha parte dizer que o PSB estaria no nosso campo amanhã. O PSDB vai construir uma proposta alternativa mais ousada nos campos das grandes reforma, das parcerias com o setor privado, alavancar os investimentos em infraestrutura. Quais serão os nossos aliados? O tempo é que vai dizer. Eu não posso dizer que alguém que está hoje na base vai vir para se juntar a nós. Quanto mais consistente for o nosso projeto, mais apoio eu acho que vai conquistar, inclusive da sociedade, não apenas dos partidos políticos. Eu tenho muita confiança de que o PSDB estará muito competitivo adiante.

Mas e sua relação com o governador Eduardo Campos?

Aécio NevesEu tenho do ponto de vista pessoal uma relação muito próxima com o Eduardo (Campos, presidente nacional do PSB). Nem sempre estamos no mesmo palanque, mas não é impossível que isso possa ocorrer lá na frente. O PSB vai saber, no tempo certo, a sua posição.

Em relação às eleições nacionais, o PSDB teve um desempenho bom?

Aécio NevesSim, e tem um fato que eu ressalto: o PSDB se restabeleceu no Nordeste e no Norte do Brasil. Se fizermos uma análise superficial, no Sul e no Centro-Oeste, nós sempre tivemos nas eleições nacionais um ótimo desempenho. Vencemos em todos esses Estados porque ali há um perfil de atividade econômica – produtores rurais em boa parte – que se aproxima mais da visão do PSDB. Mantivemos no Sudeste uma posição sólida nos dois maiores colégios eleitorais, em São Paulo e em Minas. Ganhamos em Belo Horizonte e estamos disputando agora em São Paulo, com reais chances. Mas tivemos um fracasso muito grande no Nordeste e no Norte nas últimas eleições. Nessa eleição municipal, nós já vencemos no primeiro turno em Maceió, com o PSDB, em Aracaju, com o Democratas. Estamos disputando Salvador, João Pessoa, Campina Grande, Teresina, São Luís e em outras capitais. No Norte, estamos disputando em Belém e em Manaus, e o PT não está nessas disputas. Houve aí o início do processo de reinserção da oposição no Nordeste, que eu reputo como o fato que mais me chamou a atenção. As oposições saem muito vivas dessas eleições e devem se preocupar, em 2013, de buscar uma nova interlocução com a sociedade, identificar os grandes gargalos que o Brasil tem e que levam ao crescimento pífio da economia.

Quais os equívocos do governo Dilma que podem ser diretriz do seu projeto de 2014?

Aécio Neves – O PT, desde lá de trás, acomodou-se. Abriu mão de ter uma projeto ousado para o país para se contentar com o projeto de poder. As grandes reformas não foram feitas. Nenhuma dessas questões foram enfrentadas. O governo do PT é pouco generoso com os Estados e os municípios e é ineficiente. Em relação a Minas, O PT tem uma dívida muito grande.

Aécio: presidente 2014 – Link da matéria: http://www.otempo.com.br/otempo/noticias/?IdNoticia=213499,OTE&IdCanal=1

Nordeste Notícias: pesquisas apontam para segundo turno em 16 das 26 cidades

Pelo país, disputas nas capitais estão mais acirradas

Fonte:  Autor(es): agência o globo:Paulo Celso Pereira O Globo

Pesquisas apontam para segundo turno em 16 das 26 cidades, cinco a mais do que em 2008

BRASÍLIA Se as pesquisas Ibope e Datafolha divulgadas até agora estiverem corretas, as eleições municipais deste ano serão bem mais disputadas do que as de 2008. De acordo com as sondagens mais recentes, haveria hoje segundo turno em 16 das 26 capitais. Caso esse número se confirme, será um aumento de quase 50% em relação à eleição passada. Em 2008, apenas 11 delas tiveram duas rodadas eleitorais. As grandes mudanças se deram nas regiões Norte e Nordeste. Na primeira, em 2008 ocorreu segundo turno em três capitais, neste ano deve haver em cinco; no Nordeste, apenas duas das nove capitais tiveram segundo turno em 2008, enquanto neste ano ele deve ocorrer em seis.

A alteração no quadro coincide com uma mudança no perfil do eleitorado nessas duas regiões. Evidenciadas como bunkers do lulismo desde 2006, candidatos da oposição estão em ascensão nas duas regiões. De acordo com as pesquisas, a oposição estará presente em todas as cinco capitais da Região Norte que devem ter segundo turno, sendo que, em Belém, os dois candidatos – do PSOL e PSDB – são de oposição. Há quatro anos, nenhum candidato de oposição venceu; tampouco chegou ao segundo turno nas capitais da região.

Já no Nordeste, em 2008 a oposição venceu em duas capitais no primeiro turno – sendo uma delas com o autodeclarado independente PV – e chegou ao segundo turno com apenas mais um candidato. Hoje, pelo menos até agora, tende a vencer já no dia 7 de outubro novamente em duas delas, mas deve ir para o segundo turno em todas as outras seis capitais da região cuja disputa só deverá ser concluída dia 28.

Por esses dados, não faltariam motivos para a oposição comemorar. Mas o clima não é de festa. Apesar do avanço em relação a 2008, no início da campanha, em julho, a situação dos candidatos deste campo político era muito mais confortável do que agora. O PSDB chegou a liderar com folga em Manaus, Salvador e São Luís e tinha vaga garantida no segundo turno em São Paulo, Fortaleza e João Pessoa. O quadro não é mais tão favorável.

Quem mais cresceu sobre a oposição foi justamente o PT. Há duas semanas, o partido liderava apenas em Goiânia e Rio Branco. Agora assumiu a dianteira em Salvador, Fortaleza e João Pessoa. Com isso, os petistas dividem hoje com seus arquirrivais tucanos o posto de partido que mais lidera em capitais, cada um com cinco.

– A oposição ganhou um pouco de força porque você teve várias eleições em que partidos governistas ganharam. Pode ser que essa sequência de prefeitos governistas tenha deixado o eleitorado descontente. Então, em vez de procurar outro partido governista, o eleitorado está empolgado com a possibilidade de mudança – avalia o cientista político David Fleischer, da Universidade de Brasília (UnB).

Nordeste Notícias: petista tenta convencer a cúpula do partido

Costa implora por Lula

Fonte: Autor(es): JOÃO VALADARES Correio Braziliense

Petista tenta convencer a cúpula do partido sobre a importância de um ato político no Recife com o ex-presidente para tentar evitar a derrota nas urnas. Resposta deve sair até o dia 20

O candidato do PT a prefeito do Recife, senador Humberto Costa, está sendo cozinhado em banho-maria pela cúpula do próprio partido. Mesmo em queda livre nas pesquisas de intenção de voto e com a possibilidade de perder a eleição ainda no primeiro turno, ele ainda não conseguiu convencer os dirigentes nacionais que, sem a participação do ex-presidente Lula num grande ato de campanha na capital pernambucana, é impossível salvar o barco petista do naufrágio. Após ter sido ultrapassado por Geraldo Julio (PSB), candidato lançado pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos, a presença da maior estrela petista só foi confirmada, até agora, nas cidades de Manaus e Salvador.

Um dos entraves é justamente o apoio de Eduardo Campos ao candidato do PT em São Paulo, Fernando Haddad, prioridade absoluta da sigla nas eleições municipais. O núcleo da campanha de Haddad tem conversado com ex-presidente sobre a importância de não acentuar a disputa com Campos. O próprio Lula, em encontro com Humberto Costa na segunda-feira, deixou claro que o momento é de aparar as arestas entre o PT e o PSB.

Na manhã de ontem, durante evento no Palácio do Planalto em que a presidente Dilma Rousseff anunciou a redução da tarifa de energia para 2013, Humberto Costa não compareceu, embora tenha sido convidado. O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, foi à cerimônia e ainda teve uma conversa rápida com Dilma. A assessoria de imprensa do candidato petista minimizou o episódio. Alegou que o candidato preferiu não correr o risco de infringir a legislação eleitoral. No domingo, Lula vai se reunir, em São Paulo, com Eduardo Campos e outros governadores do Nordeste durante evento de apoio à candidatura de Fernando Haddad.

A expectativa é de que os dois conversem sobre a eleição no Recife. Um dos coordenadores nacionais do PT, Francisco Rocha, defende que Lula não deve ir à capital pernambucana. “Lula está bem de saúde, mas eu sei o que é campanha eleitoral. Se ele for ao Recife, terá que a outras cidades. Essa é apenas a minha opinião. Ele tem passado o dia trancado num estúdio gravando. Conheço bem o Lula e ele ainda não se decidiu sobre esse assunto.” A expectativa é de que, até o dia 20, o ex-presidente se posicione.

Na segunda-feira, Humberto Costa e o vice, João Paulo, participaram de dois encontros em São Paulo. Foi mais uma tentativa de apresentar ao partido o cenário desfavorável no Recife e implorar por um reforço urgente na campanha. Já foi acertada a participação de alguns ministros. A primeira reunião ocorreu com a executiva nacional do PT e o presidente da sigla, Rui Falcão. Em seguida, os dois tiveram um encontro reservado com Lula. “A situação de Salvador é diferente porque Lula já tinha um encontro marcado lá com o governador da Bahia, Jaques Wagner”, afirmou Rocha.

Fortaleza
Rocha aproveitou para justificar a dificuldade do partido no Recife. “O problema que enfrentamos lá foi a divisão interna. O governador mandou prepostos justamente para fomentar essa divisão. Mas o fato é que fomos traídos por Eduardo Campos no Recife e também em Fortaleza. Quando era presidente, Lula foi 82 vezes a Pernambuco. Bateu todos os recordes. Agora, ele (Eduardo) vive agarrado com Jarbas Vasconcelos”, desabafou o dirigente partidário.

Diante da dificuldade no Recife, a propaganda eleitoral petista passou a ter um tom bem mais agressivo a partir desta semana. Na segunda, durante o horário eleitoral, o partido tentou desconstruir a imagem de gestor criada em torno do candidato Geraldo Julio. O PSB tem apresentado o candidato como o coordenador de praticamente todas as grandes realizações da gestão Eduardo Campos ao massificar o bordão “foi Geraldo quem fez”.

Em debate na RedeTV!, no domingo, Humberto ironizou Julio por ele se apresentar como o responsável por tudo de bom que ocorreu em Pernambuco. O candidato do PSB, que tinha a tarefa de acompanhar o andamento de todas as secretarias do governo, rebateu dizendo que monitorou Humberto Costa e que ele apresentou um péssimo desempenho quando era secretário estadual de Saúde.

“Lula está bem de saúde, mas eu sei o que é campanha eleitoral. Se ele for ao Recife, terá que ir a outras cidades”
Francisco Rocha, um dos coordenadores nacionais do PT

Nordeste Notícias: situação do PT em risco

Reduto ameaçado

Nas Entrelinhas

Fonte:  Autor(es): Denise Rothenburg Correio Braziliense

O PT já fez as contas e percebeu que a possibilidade de derrota nas sete capitais do Nordeste onde o partido tem candidato põe em risco estratégias futuras

 

Quem tiver o cuidado de analisar a quantas andam os candidatos petistas nas capitais nordestinas entenderá os motivos que levaram o ex-presidente Lula a colocar a região como prioridade na sua agenda de viagens nesta temporada de eleições municipais. Salvador, Recife, Teresina, Fortaleza e São Luís já têm data prevista para a visita de Lula, mas ele ainda pretende dar uma força ao partido em Natal e em João Pessoa, fechando as sete em que o PT tem candidato a prefeito.

Lula é considerado a maior “arma” dos petistas para tentar reverter uma situação inusitada em solo nordestino: É que, pela primeira vez em muitos anos, os petistas correm o risco de não eleger sequer um prefeito de capital por ali.

Essa situação no Nordeste é a principal preocupação da cúpula partidária nesta temporada eleitoral. Há quem esteja mais confiante em colocar Fernando Haddad no segundo turno em São Paulo do que vencer em algum reduto importante no Nordeste.

Em Salvador, o DEM apresenta larga vantagem, assim com em Aracaju (onde o PT não disputa). Em João Pessoa, a situação do aliado José Maranhão (PMDB) é incerta, uma vez que há um empate entre ele e o tucano Cícero Lucena (PSDB). O petista Luciano Cartaxo amarga o terceiro lugar. Em Teresina, a situação do senador Wellington Dias (PT) também é difícil, numa disputa contra Firmino Filho (PSDB) e Elmano Ferrer (PTB). Em São Luís (MA), o candidato do PT, Washington Luiz, também enfrenta dificuldades diante dos índices de João Castelo (PSDB), Edvaldo Hollanda (PTC) e Tadeu Palácio (PP). Em Natal, o petismo também encontra Fernando Mineiro suando a camisa contra Carlos Eduardo (PDT) e Hermano Moraes (PMDB), ambos em melhor situação de acordo com as pesquisas registradas por lá.

Essas cidades listadas acima não estão entre aquelas da região que mais chamam a atenção do país, Recife e Fortaleza, onde os petistas também enfrentam dificuldades. Vale lembrar que, na capital de Pernambuco, há um empate técnico entre Humberto Costa (PT) e Geraldo Júlio (PSB) e, na capital cearense, a briga hoje é pela vaga no segundo turno entre Roberto Cláudio (PSB) e Elmano Freitas (PT), contra Moroni Torgan (DEM). Em Maceió, o PT não tem candidato.

Por falar em segundo turno…

O PT está convencido de que o atual cenário de seus candidatos no Nordeste pode comprometer a estratégia eleitoral futura. Afinal, não dá para esquecer que em suas três campanhas presidenciais vitoriosas o PT enfrentou segundo turno, e o desempenho do partido no Nordeste foi importantíssimo.
Na eleição de 2010, Dilma obteve 18,4 milhões de votos nos estados nordestinos, enquanto José Serra (PSDB) ficou com 7,6 milhões. No Sudeste, Sul e Centro Oeste, a diferença entre eles ficou em 275 mil votos a favor de Dilma. Serra venceu no Centro-Oeste. Ou seja, uma virada no Nordeste em favor de outros candidatos em 2014 pode comprometer o desempenho petista.

O partido já fez essas contas futuras e percebeu que, com Aécio Neves (PSDB) candidato a presidente, a diferença de 1,7 milhão de votos em favor de Dilma em Minas Gerais tende a desaparecer. E, se o PSB decidir pela candidatura do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, os votos do Nordeste que estão difíceis para o PT nesta eleição municipal também estariam sob risco. Está explicado por que os petistas estão com tanta gana sobre o PSB nesta eleição municipal e, também, por que Lula começou a sua maratona por Belo Horizonte, onde Aécio Neves participou de uma carreata no último fim de semana.

Por falar em Aécio Neves…

Depois de Serra fazer referências ao julgamento da Ação Penal 470, do mensalão, chegou a vez de Aécio Neves citar o escândalo, na carreata do prefeito-candidato Márcio Lacerda, em Belo Horizonte. À medida que o julgamento avança, vai ficando mais difícil desconhecer o tema na eleição municipal. A aposta é a de que esses dois temas podem se embolar. Resta saber se o eleitor vai nesse embalo ou se manterá as duas estações separadas. Vamos acompanhar.

Nordeste Notícias: multinacional japonesa Kirin

CEO da Kirin descarta a Petrópolis

Fonte: Autor(es): Por Daniele Madureira | De São Paulo Valor Econômico

A multinacional japonesa Kirin, que em 2011 desembolsou R$ 6,3 bilhões para ter 100% da fabricante de bebidas Schincariol, não busca novas aquisições no Brasil por enquanto, diz Senji Miyake, presidente da companhia. “A Schincariol é suficiente para atender as expectativas da Kirin no momento”, afirmou ontem, durante inauguração da ampliação da fábrica da Schincariol em Alagoinhas (BA).

A declaração foi uma resposta às especulações de que a Kirin estaria interessada em comprar a Petrópolis, que divide com a Schincariol a segunda posição no ranking nacional de cervejas. Em julho, a Petrópolis, dona da Itaipava, anunciou a instalação de uma fábrica também em Alagoinhas, na qual está investindo R$ 500 milhões.

O Nordeste é o principal mercado da Schincariol no país, onde a empresa detém cerca de 30% de participação, contra 15% da sua média nacional, medida pelo Sistema de Controle de Produção de Bebidas (Sicobe). Na cerimônia em Alagoinhas, a 108 quilômetros de Salvador, estiveram presentes Gino Di Domenico, presidente da Schincariol no Brasil, e Jaques Wagner, governador da Bahia.

Os investimentos na ampliação da fábrica tiveram início em 2010 e somaram R$ 400 milhões. A capacidade de produção anual de Alagoinhas dobrou para 900 milhões de litros de cerveja e 400 milhões de refrigerantes. A expansão aumentou em 65% o total de empregos diretos, indiretos e terceirizados da fábrica, para 6,6 mil vagas. A fabricante aplicou ainda R$ 1 milhão para revitalizar a praça Primo Schincariol, a maior da cidade, que recebeu o nome do fundador.

Nordeste Notícias: queda no crescimento da economia

Desempenho da economia desacelera no Nordeste

Fonte: Diario do Nordeste – http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=1166783

Segundo o BC, o impacto da estiagem na região e a diminuição nas vendas do varejo foi a causa da baixa no ritmo Foto: Kid Júnior

Brasília A região Nordeste registrou desaceleração no crescimento da economia, antes com 1,7% no período de dezembro de 2011 a fevereiro de 2012, para 0,6% no trimestre seguinte, segundo anunciou ontem o Banco Central do Brasil. Mesmo com a baixa no ritmo, o desempenho ainda é superior à média nacional. De acordo com o boletim divulgado em Salvador, o índice se equipara à diminuição das vendas no varejo e no mercado de trabalho, reflexo do impacto do clima desfavorável à produção agrícola na região.

Dados do Ministério do Trabalho, apontam 28,7 mil empregos formais foram eliminados no Nordeste. Segundo o Banco Central, esse foi o menor dinamismo da indústria de transformação e da agropecuária.

Contudo, o BC acredita que o Nordeste deve registrar um maior dinamismo que o nacional no segundo semestre. As perspectivas têm como base a expansão do emprego e dos rendimentos reais, nos investimentos do governo e privados e no desempenho do comércio.

Outras regiões

O Centro-Oeste também obteve um avanço moderado, resultado do varejo e da contratação da produção industrial. O crescimento de 1% também foi superior ao nacional. Para o Banco Central, o aumento da renda agrícola e o aquecimento do mercado de trabalho somados às medidas econômicas do governo para estimular o crescimento, devem gerar resultados positivos nas vendas do comércio nos próximos três meses.

No Sudeste, o desempenho da economia registrou uma evolução moderada, de 0,6% no trimestre encerrado em maio, em relação a dezembro, janeiro e fevereiro (com crescimento de 0,7%), refletindo na evolução do varejo e nos índices negativos do setor industrial. No período de 12 meses, a alta foi de 2,5 pontos percentuais.

Na região Sul, a economia refletiu o resultado negativo da produção industrial e perdas da safra de grãos. De acordo com o BC, a queda foi de 1,2% no trimestre finalizado em maio, em relação ao anterior, que obteve crescimento de 1,3%.

Inadimplência

O Nordeste apareceu em segundo lugar no crescimento da inadimplência das operações de crédito para pessoas físicas, com 1,3% em doze meses e taxa de 6,2% em maio. O Sudeste veio em primeiro lugar, com crescimento de 1,4 ponto percentual e taxa de 5,3% em maio.

As regiões Sul e Norte aparecem em seguida com 1% de alta em 12 meses e taxas de inadimplência de 4,1% e 5,9%, respectivamente. No Centro-Oeste, o crescimento foi de 0,8% com inadimplência de 4,7%.

Crédito

O Banco Central divulgou ainda que as operações de crédito cresceram de forma acentuada no Nordeste e no Centro-Oeste. No período de 12 meses encerrados em maio, o Nordeste expandiu em 26,6% o seu saldo, ficando com R$ 262 bilhões. Já a região Centro-Oeste, com saldo de R$ 189 bilhões, cresceu 25,2%. De acordo com a instituição, houve maior dinamismo nas operações de crédito consignado e também nos financiamentos habitacionais e de veículos.

No Norte, com saldo de R$ 78 bilhões, a expansão do crédito ficou em 24,5%, em 12 meses encerrados em maio. No Sul, com saldo de R$ 373 bilhões, o crescimento chegou a 23,6%. Já no Sudeste, que atingiu R$ 1,12 trilhão em operações, o crescimento chegou a 20,8%.

%d blogueiros gostam disto: