Arquivos do Blog

Crise: com desemprego em alta no Nordeste, Dilma perde popularidade

Cortes de obras de infraestrutura e do Minha Casa Minha Vida são alguns dos principais motivos para o aumento das demissões na região.

“A rejeição maior vem da frustração com a economia, do medo do desemprego e da percepção fora do controle. Tudo temperado pelos escândalos de corrupção”, afirma Mauro Paulino, diretor-geral do Datafolha

Fonte: Folha de S.Paulo

Crise promove desemprego no Nordeste, Dilma perde popularidade

Segundo o Datafolha, o índice de ruim/péssimo de Dilma saltou de 11% para 55% de outubro a março no Nordeste. Divulgação

Nordeste perde ritmo ‘chinês’ e começa a sofrer com a crise

Disparada da inflação e demissões derrubam popularidade de Dilma na região

Embora ainda seja superior à média, atividade no Nordeste converge para o baixo ritmo do resto do país

O forte aumento da rejeição ao governo Dilma Rousseff no Nordeste ocorre no mesmo momento de uma perda importante do dinamismo na região, que chegou a crescer a velocidades “chinesas” ao longo da década passada.

Segundo o Datafolha, o índice de ruim/péssimo de Dilma saltou de 11% para 55% de outubro a março no Nordeste. O período coincidiu com a disparada da inflação medida regionalmente e com a primeira queda em vários anos do saldo líquido de empregos formais na região (veja quadro à pág. B3).

Embora ainda conserve desempenho superior à média nacional, a atividade no Nordeste vem convergindo para o baixo ritmo do resto do país.

A região também perde terreno em áreas intensivas em mão de obra, como a construção civil. Alguns grupos regionais já reveem abruptamente suas expectativas.

Em 2014, o Nordeste concentrou 30% das demissões na construção civil, setor que cortou 106 mil vagas no país. O recuo de 3,4% na média nacional foi menor que o de 4,6% na região nordestina.

Cortes nas verbas e nos pagamentos de obras de infraestrutura e do Minha Casa Minha Vida são alguns dos principais motivos para o aumento das demissões na região, avalia Ana Maria Castelo, coordenadora de Projetos da Construção da FGV/Ibre.

Diante do novo cenário, um dos principais grupos do setor de material de limpeza do Norte e Nordeste, o Raymundo da Fonte –detentor da popular marca Brilux–, readequou sua projeção de crescimento para 2015, de 12% para 5%.

“Há uma acomodação do mercado e queda no consumo. Se conseguirmos manter o ritmo de produção e não demitir, já vai ser muito bom”, diz o diretor comercial do grupo, Romero Longman.

“As pessoas colocaram o pé no freio, comprando em quantidade menor e buscando marcas mais baratas”, afirma Teobaldo Costa, presidente da Associação Baiana de Supermercados e dono do grupo Atakarejo, o maior do segmento na Bahia.

Segundo o Datafolha, o Nordeste concentra a maior proporção de eleitores que votaram em Dilma em outubro e que agora consideram seu governo ruim/péssimo: 24% estão “frustrados”, ante a média nacional de 16%.

“A rejeição maior vem da frustração com a economia, do medo do desemprego e da percepção da inflação fora do controle. Tudo temperado pelos escândalos de corrupção“, afirma Mauro Paulino, diretor-geral do Datafolha.

Anúncios

Nordeste também participou do panelaço

Também foram registrados protestos nos mesmos moldes em Brasília. Muitos internautas postaram vídeos em redes sociais.

Discurso provou a ira da população

Fonte: O Globo 

Provocação de Dilma na TV: nordeste também participou do panelaço

Enquanto Dilma pedia paciência à população, em um pronunciamento de 15 minutos, moradores de ao menos três estados e do Distrito Federal foram às ruas e janelas de prédios para protestar contra a presidente. Foto: Estadão

Sob vaias e xingamentos na rua, Dilma pede paciência à população para enfrentar crise

Enquanto presidente apelava por coragem para enfrentar corrupção, moradores de três estados e do DF fizeram panelaço

Em sua primeira fala à nação depois da divulgação da lista de políticos que serão investigados na operação Lava-Jato, a presidente enfrentou a mais pesada crítica popular endereçada diretamente a ela desde o início de seu governo, em janeiro de 2011. Enquanto pedia paciência à população e coragem para enfrentar a corrupção, em um pronunciamento de 15 minutos programado para comemorar o Dia da Mulher, moradores de ao menos três estados – Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina – e do Distrito Federal foram às ruas e janelas de prédios para protestar contra a presidente. Houve panelaço, buzinaços e vaias, com xingamentos, em diferentes bairros. (LEIA A ÍNTEGRA DO DISCURSO)

No discurso, Dilma pediu paciência à população para as medidas de enfrentamento à crise econômica. Nos 15 minutos de discurso, ela fez ainda uma breve menção ao escândalo da Petrobras, afirmando que o Brasil tem coragem de submeter os corruptos à Justiça. E que está havendo uma apuração grande e rígida do esquema, a que ela classificou como “lamentável”.

Ao mesmo tempo em que a presidente fazia seu pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV, moradores de diversas cidades realizaram simultaneamente um panelaço em protesto ao seu discurso. Em bairros nobres como Higienópiolis, em São Paulo, e Barra da Tijuca, no Rio, as pessoas não só batiam panelas como gritavam palavras de baixo calão contra a presidente.

Também foram registrados protestos nos mesmos moldes em Brasília e cidades do Nordeste. Muitos internautas postaram vídeos em seus canais de relacionamento e em redes sociais.

Na esteira do protesto contra o pronunciamento, alguns moradores aproveitaram para incentivar a manifestação pró-impeachment de Dilma Rousseff, programada para o próximo domingo.

– Com coragem e até sofrimento, o Brasil tem aprendido a praticar a justiça social em favor dos mais pobres, como também aplicar duramente a mão da justiça contra os corruptos. É isso, por exemplo, que vem acontecendo na apuração ampla, livre e rigorosa nos episódios lamentáveis contra a Petrobras – disse Dilma.

Depois de ouvir reclamações de aliados e de seu próprio partido por não fazer defesa enfática do pacote de ajuste fiscal que o governo enviou ao Congresso, Dilma usou a maior parte do pronunciamento para explicar e pedir apoio às medidas. Ela negou que o Brasil passe por uma crise de grandes dimensões, disse que depois do início da crise econômica internacional de 2008, o governo agora teve coragem de mudar a estratégia de enfrentamento ao problema, que no Brasil foi agravado por conta da crise hídrica. Dilma ressaltou que os direitos dos trabalhadores são sagrados e não serão prejudicados. E que o país não vai parar. O esforço, disse, será passageiro.

Numa tentativa de criar empatia em quem a assistia ou ouvia, Dilma disse compreender a irritação e preocupação de brasileiros diante do cenário atual,com inflação em alta, economia fraca e aumento do endividamento das famílias. A presidente pediu a confiança da população e conclamou a todos a se unirem em um esforço coletivo para a retomada do crescimento do país.

– Você tem todo direito de se irritar e de se preocupar. Mas lhe peço paciência e compreensão porque esta situação é passageira. O Brasil tem todas as condições de vencer estes problemas temporários. E esta vitória será ainda mais rápida se todos nós nos unirmos neste enfrentamento. Peço a vocês que nos unamos e que confiem na condução deste processo pelo governo, pelo Congresso, e por todas as forças vivas do nosso país – e uma delas é você! – afirmou.

Dilma disse que os noticiários às vezes mais confundem do que esclarecem, e chamou de injustas e desmedidas críticas que o governo tem recebido por conta do ajuste. Ela espera que uma reação da economia aconteça já no segundo semestre deste ano.

– Absorvemos a carga negativa até onde podíamos e agora temos que dividir parte desse esforço com todos os setores da sociedade.

Em Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo, as pessoas saíram às janelas dos prédios batendo panelas e gritando “fora Dilma”, “fora PT“. As manifestações começaram na metade da fala da presidente e só se encerraram depois do pronunciamento. Algumas pessoas estouraram rojões.

Uma série de vídeos foi postado na internet durante o pronunciamento. Em muitos deles, as pessoas também apagavam e acendiam as luzes do apartamento como forma de protesto. Em alguns bairros de São Paulo, o protesto foi além do panelaço. Muitas pessoas de carro saíram buzinando pelas ruas enquanto Dilma falava na TV.

Governo Dilma reduz revitalização do rio São Francisco

Levantamento revela que houve redução a menos da metade em 2014, comparado a 2013, da aplicação de recursos nas principais ações para ampliar a oferta e melhorar a qualidade da água.

Segundo o relatório, as obras de revitalização estão fora do padrão considerado adequado e no rol das que demandam “atenção”

Fonte: Folha de S.Paulo

Nordeste: Governo Dilma reduz revitalização do São Francisco

Moradores de Cabrobó, Pernambuco, lavam seus cavalos no rio São Francisco. Foto: Lalo de Almeida/Folhapress

Em ano de secas, cai gasto com revitalização do São Francisco

Num ano em que o São Francisco enfrentou a pior estiagem dos últimos tempos, que culminou na seca de uma das principais nascentes na Serra da Canastra (MG), o governo reduziu o investimento na revitalização do rio.

Levantamento da Folha mostra que houve redução a menos da metade em 2014, comparado a 2013, da aplicação de recursos nas principais ações para ampliar a oferta e melhorar a qualidade da água.

Entre as intervenções paradas ou atrasadas estão a instalação de rede de saneamento básico e obras para viabilizar a navegação no rio.

Segundo relatórios do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), foram investidos até novembro R$ 136,5 milhões —55% do orçado para 2014. Em 2013, o investimento chegou a R$ 314,7 milhões em ações como a construção de sistemas de abastecimento de água e de saneamento e a contenção da erosão nas margens do rio.

O investimento em 2014 foi o menor desde 2007, primeiro ano do programa. “Em geral, o que se aplica na revitalização é sempre menor que o orçado. O valor é quase ínfimo quando comparado com as obras da transposição”, diz Arivaldo Miranda, presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco. Em 2011 e em 2013, contudo, o total gasto superou o orçado.

Balanço do PAC mostra que, das 60 ações de controle de erosão nas bacias dos rios São Francisco e Parnaíba, 11 são consideradas concluídas —duas em 2014. O prazo para entrega de todas as obras é novembro deste ano.

Nordeste: Governo Dilma reduz revitalização do São Francisco

Já entre as 169 obras de saneamento e esgotamento, 58 são tidas como entregues, 8 delas em 2014. As outras 111 têm dezembro como prazo.

Ainda segundo o relatório, as obras de revitalização estão fora do padrão considerado adequado e no rol das que demandam “atenção”.

Uma das obras paradas é a construção do sistema de esgotamento sanitário das cidades de Floresta, Petrolândia e Itacuruba, em Pernambuco, licitadas em 2011 com orçamento de R$ 3,4 milhões.

O prefeito de Petrolândia, Lourival Simões (PR), promete iniciar a obra com recursos próprios. “Não dá para esperar. Temos bairros na periferia e toda a zona rural sem tratamento de esgoto”, reclama.

Responsável pela maior parte das obras, a Codevasf (Companha de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba), ligada ao Ministério da Integração, diz que tem feito sua parte.

Em nota, o órgão destaca que a classificação de “atenção” das obras de revitalização é resultado de “complexidades que, às vezes, extrapolam o alcance de resolução única” da própria Codevasf.

Cita como exemplo contingenciamento de recursos, descumprimento de prazos pelas empresas contratadas e condicionantes ambientais.

Sobre a execução, diz que 99% dos recursos previstos para 2014 estão empenhados.

Aécio investirá em campanhas de filiação no Nordeste

PSDB quer aproveitar a mobilização popular das eleições de outubro para manter a oposição forte e competitiva para 2018.

PSDB fará uma série de eventos no Nordeste

Fonte: O Globo

Aécio vai mobilizar Nordeste para aumentar filiação

Aécio investirá na região Nordeste, com viagens e ações de filiação de novos tucanos para ocupar o território que hoje pertence aos petistas. Divulgação

PSDB aproveita mobilização e mira no Nordeste para crescer nas eleições de 2018

Aécio investirá em viagens e em campanhas de filiação que mobilizem diretórios para convenções em março

O PSDB quer aproveitar a mobilização popular das eleições de outubro para manter a oposição forte e competitiva para 2018. Para isso, os tucanos investirão em alguns eixos estratégicos. Um dos focos será o Nordeste, eleitorado que votou massivamente na presidente Dilma Rousseff e, tradicionalmente, tem escolhido o PT na eleição presidencial, partido que conseguiu demarcar a paternidade de programas de transferência de renda como o Bolsa Família.

Aécio investirá na região, com viagens e ações de filiação de novos tucanos para ocupar o território que hoje pertence aos petistas. Nas próximas semanas devem começar os primeiros eventos de filiações massivas nos estados em que o PSDB tem menor presença, como Rio Grande do Norte e Ceará. A ideia é criar um movimento nos moldes de uma campanha de filiação que dure até fevereiro do próximo ano, para que os diretórios regionais estejam mobilizados no período das convenções, em março de 2015.

A reconquista de Minas Gerais também é prioridade e questão de honra para o senador Aécio Neves. Depois de perder em seu próprio estado para Dilma Rousseff, o tucano quer investir forças e já há quem defenda a candidatura de Antônio Anastasia para a prefeitura em 2016. Pelo Brasil, o PSDB quer lançar candidatos a prefeito com lastro social. A próxima eleição será o primeiro teste para aferir se Aécio conseguirá ou não manter a popularidade dos cerca de 49% dos votos do eleitorado no Brasil.

O candidato derrotado de outubro admite que houve um erro coletivo no comando da campanha em Minas Gerais.

— Temos que ter uma atenção grande, e eu, como presidente do partido, vou buscar. Nós vamos ter nessas próximas eleições municipais candidatos muito capilarizados, com segmentos muito mais amplos. Em uma reunião da Executiva em dezembro vai ter esse foco. Vamos ter uma ampla campanha de filiação no Brasil inteiro — afirma Aécio.

Combate ao ‘terrorismo eleitoral’ é uma das metas

Um dos principais desafios do PSDB, segundo a cúpula tucana, é superar a insegurança do eleitorado mais dependente dos programas sociais do governo federal. O melhor remédio para combater o terrorismo eleitoral, afirmam dirigentes do partido, é colocar o pé na estrada desde já para divulgar as experiências bem-sucedidas do PSDB na área social.

— O que o PSDB precisa é estar mais presente nessas regiões, ir várias vezes ao ano, conversar com Academia, sindicatos, com entidades empresariais, falar da sua visão política e das experiências ricas que temos tanto no governo federal, quanto nos estaduais — diz o governador reeleito de Goiás, Marconi Perillo.

Conquistar confiança

Para o goiano, a ação do PSDB não pode se limitar apenas ao período eleitoral. Conquistar a confiança desse segmento da população leva tempo, afirma Perillo:

— O PSDB precisa de competência para convencer esses eleitores que ainda desconfiam da gente em relação às políticas sociais de que não há necessidade de qualquer temor.

Uma das lideranças do partido no Nordeste afirma que o PSDB deve, desde já, começar a enfrentar o que chama de debate do “coitadismo” e parar de disputar a propriedade dos programas sociais com o PT. Para esse tucano, a campanha de Aécio errou ao evitar a crítica a esses programas e acabou fazendo propaganda pró-governo quando insistiu no discurso de que manterá e ampliará os benefícios, ao invés de apontar a saída que pretende oferecer aos que hoje são dependentes.

Aécio Neves sinaliza que sua presença será mais efetiva junto ao eleitorado de forma direta, não apenas por meio do seu mandato como senador nos próximos quatro anos. Ele destaca que, para a missão de manter a conexão com a sociedade que se criou nessa eleição, o trabalho deverá ser no estilo de uma verdadeira força-tarefa da oposição.

Outra fatia do eleitorado em que Aécio pretende investir é na juventude. Os tucanos querem penetrar um terreno que até então costuma funcionar como apêndice de partidos de esquerda como PT e PCdoB: o dos diretórios acadêmicos nas universidades. A cúpula do PSDB admite que o partido não tem boa inserção nas universidades e quer que tucanos comecem a disputar eleições para diretórios. Acreditam que a presença maior entre a juventude poderá ajudar a manter vivo o sentimento de mudança que beneficiou o PSDB nesta eleição.

Lobão: “qualquer ditadura é injustificável”

Na carta aberta, o músico afirma ser a favor da democracia, contra intervenção militar e que não está ligado a nenhuma liderança política.

Lobão defendeu recontagem dos votos

Fonte: O Tempo

Lobão: a favor da democracia e contra intervenção militar

Lobão também criticou algumas correntes “separatistas” que proliferam na internet, dizendo que o Nordeste é o responsável pela reeleição de Dilma: “É um absurdo querer apontar uma região como responsável pelo naufrágio político”. Foto: Rui Mendes

Lobão usa rede social para negar apoio a ‘intervenção militar’

Músico participou de manifestação no fim de semana, que reuniu cerca de 2.500 mil manifestantes na avenida Paulista para protestar contra a reeleição da presidente petista

O músico Lobão usou as redes sociais para se defender de críticas de que apoiaria uma intervenção militar no país para derrubar o governo de Dilma. No domingo (2), cerca de 2.500 mil manifestantes se reuniram na avenida Paulista para protestar contra a reeleição da presidente petista.

Lobão participou do ato e, com uma bandeira do Brasil nos ombros, defendeu a recontagem dos votos. “Não tem ninguém aqui golpista”, disse ao microfone.

Porém uma parte mais radical dos manifestantes defendeu um novo golpe militar no país. “É necessária a volta do militarismo. O que vocês chamam de democracia é esse governo que está aí?”, criticou o investigador de polícia Sérgio Salgi, de 46 anos, que carregava cartaz com o pedido “SOS Forças Armadas”.

A reivindicação provocou entusiasmadas reações prós e contras nas redes sociais, obrigando Lobão a fazer uma “nota de esclarecimento” em usa página no Facebook.

Na carta aberta, o músico afirma que “qualquer ditadura é injustificável” e que não está ligado a nenhuma liderança política. “Sou apenas um cidadão indignado como qualquer outro”, conta.

Lobão também criticou algumas correntes “separatistas” que proliferam na internet, dizendo que o Nordeste é o responsável pela reeleição de Dilma: “É um absurdo querer apontar uma região como responsável pelo naufrágio político”.

Antes das eleições, Lobão chegou a dizer que deixaria o país em caso de vitória petista. Depois de confirmada a reeleição, voltou atrás. O cantor, aliás, também voltou ao tema na mensagem. “Aos que cobram a minha partida do Brasil por supostamente acharem que assim o prometi é bom lembrar que ainda estando numa democracia, tenho pleno direito de ir e vir, trocar de opinião e manifestá-la quando quiser.”

Leia a nota na íntegra: 

Quero deixar bem claro, pela enésima vez, através desta pequena carta, a minha postura em relação ao que vem acontecendo no país:

Em primeiro lugar, é necessário sublinhar que não faço parte de nenhuma liderança política. Sou um músico que ama seu ofício e minha participação nas manifestações é a de um cidadão indignado como qualquer outro brasileiro.

Em segundo lugar, vale a pena lembrar que, nunca, jamais em tempo algum, apoiei uma ditadura e sempre disse e continuo a insistir que qualquer ditadura é injustificável.

Partindo desse princípio, não haveria a menor possibilidade de ter o meu nome associado a golpe militar, intervenção militar ou coisa que o valha. Isso é uma forma tão cretina de reagir como ainda acreditar que Cuba é uma vítima dos EUA e que é “cool” sair por aí impunemente de camiseta de Che Guevara.

Quem apóia uma ditadura não tem condição moral de ir contra nenhuma outra.

Em terceiro lugar, jamais concordei com a ideia de separatismo; amo meu país de norte a sul e todos os meus irmãos. É um absurdo querer apontar uma região como responsável pelo naufrágio político, social, moral e econômico que nos encontramos.

Venho me manifestando veementemente contra a atuação lamentável do PT, sua militância fanática e violenta, suas falcatruas astronômicas, já impossíveis de se camuflar e sua evidente postura de impôr ao país um regime totalitário.

Se uma democracia vive de seus três poderes independentes, então já não vivemos numa democracia há muito tempo.

Se o Estado brasileiro deve ser soberano em suas ações, é evidente que não mais possuímos essas soberania. Temos um governo atrelado ao Foro de SP.

Seria muita ingenuidade nós olharmos ao redor, na América do Sul e não percebermos o que estamos passando.

Acredito que todo o brasileiro que tem o mínimo de vergonha na cara e o mínimo de informação está completamente indignado com essa presença inóspita e sombria a nos impôr suas doutrinas com cinismo e mentiras.

A imprensa oficial com rarísimas exceções, está completamente à mercê do governo e tudo alí é filtrado e deturpado.

Portanto, o que acredito que temos de fazer é insistir na recontagem dos votos, não nos acomodarmos com um resultado imposto goela abaixo , pois quando há indícios inúmeros de fraude, é legítimo exigirmos transparência.

Se somos obrigados a votar, temos o direito de saber o que acontece com os nossos votos.

Esconder isso da gente nos aponta uma vez mais para um regime ditatorial.

Assim acontece na Venezuela, na Bolívia no Equador e em todos os países fiiados ao Foro de SP.

E se é inconstitucional um governo ser subalterno a uma instituição internacional , o PT não tem condições de governar o país.

Se é inconstitucional enviar dinheiro para o exterior sem consultar o congresso nacional , a presidente da República não tem condições de governar esse país.

O Brasil merece se desenvolver, se tornar uma grande Nação, seu povo merece viver uma prosperidade que nunca experimentou, ser unido e não viver refém de um ódio plantado por um partido que, para governar precisa dividir.

E para sacramentar um assunto mais que adormecido, aos que cobram a minha partida do Brasil por, supostamente acharem que assim o prometi, é bom lembrar que ainda estando numa democracia, tenho pleno direito de ir e vir, trocar de opinião e manifestá-la quando quiser. E é bom acostumarem-se a essa realidade.

Como pessoa pública me sinto na obrigação de me posicionar de maneira enfática por ter acreditado nesse parttido e feito companha de 1989 a 2002 para elegê-lo.

E, ao contrário do que a militância petista quer acreditar, o meu histórico só fortalece a minha postura, pois estive lá dentro e sei do que estou falando.

Continuarei a lutar por meus direitos, pela liberdade e pela democracia sempre no campo da legalidade.

Que isso fique bem claro de uma vez por todas!

E vamos todos juntos por um Brasil livre que a hora é essa!

Lobão

Petrobras: gerente é dono de postos que têm contratos com prefeituras

Responsável por verbas de patrocínio da Petrobras no Nordeste, Darcles Andrade, dono de postos de com contratos milionários no sul da Bahia.

Posto Paraíso foi contratado pela prefeitura de Porto Seguro em 2013 e 2014, em licitação, para fornecer combustível por um ano

Fonte: O Globo

Gerente da Petrobras, dono de postos, tem contratos com prefeituras

Em janeiro do ano passado, Darcles Andrade adiquiriu postos de gasolina em Porto Seguro e Santa Cruz de Cabrália. Foto: Divulgação.

Gerente da Petrobras é dono de postos que têm contratos milionários com prefeituras

Estabelecimentos na Bahia são de responsável pela comunicação no Nordeste

Responsável por direcionar verbas de patrocínio da Petrobras no Nordeste, o gerente de comunicação da empresa na região, Darcles Andrade, virou dono de postos de combustíveis que fecharam contratos milionários com prefeituras do sul da Bahia. Um dos postos foi adquirido em janeiro de 2013 e, dois meses depois, contratado pela prefeitura de Porto Seguro por R$ 4,1 milhões. Este e outro posto estão em nome da mulher dele, Creuza Rodrigues, e de um primo dela, Claudionor Brito.

A Ébano Derivados de Petróleo, que tem como nome fantasia Posto Paraíso, foi contratada pela prefeitura de Porto Seguro em 2013 e 2014, em licitação, para fornecer combustível por um ano. A cidade é administrada por Cláudia Oliveira (PSD), esposa de Robério Oliveira (PSD), ex-prefeito de Eunápolis, cidade vizinha. Robério foi alvo de diversas ações de improbidade quando comandava o município. Para alegar a suspeição do promotor Dinalmari Messias, responsável pelos processos, ele utilizou um vídeo no qual o gerente da Petrobras dizia ter sido procurado pelo promotor para que não patrocinasse uma festa em Eunápolis.

O registro da Junta Comercial da Bahia mostra que a esposa de Darcles e o primo dela viraram donos de um posto em 3 de janeiro de 2013. O capital social registrado é de R$ 200 mil, mas o gerente afirma que o posto custou de “R$ 1 milhão a R$ 1,5 milhão”. Dois meses depois, o posto celebrou com a prefeitura o contrato para fornecer combustíveis por R$ 4,1 milhões. Em 2014, novamente foi contratado, agora por R$ 4,4 milhões.

Para justificar os gastos milionários em combustível, a prefeita assinou, em janeiro de 2013, um ato autorizando funcionários da administração a usar o próprio carro para o trabalho e abastecer no posto credenciado, além de ter firmado contrato para locação de veículos.

A esposa de Darcles e o primo dela são sócios também em Santa Cruz Cabrália do posto Costa do Descobrimento. Em 2012, o local passou a ser credenciado pela prefeitura com a previsão de R$ 1,9 milhão em gastos com combustíveis. O prefeito é o petista Jorge Pontes. Darcles diz que o posto voltou a fornecer para a prefeitura por ser o único do município que vende o diesel S10.

GERENTE NEGA LIGAÇÃO COM CONTRATOS

O gerente da Petrobras Darcles Andrade nega envolvimento direto nos negócios, mas se refere aos empreendimentos seguidas vezes como “nosso posto”. Afirma que a esposa juntou economias para comprar as duas empresas. Disse ser comum a busca por participação em licitações de prefeituras porque a margem de lucro da área é pequena, sendo necessário aumentar o volume de vendas. Ele reclamou ainda que há atrasos nos pagamentos.

— Não é bom negócio ser fornecedor de prefeitura. A relação com prefeituras é extremamente difícil. (A gente) Demora a receber por 30 até 60 dias. Tivemos até para desistir dos contratos por não suportar atraso — afirmou.

Indicado para a gerência enquanto José Sérgio Gabrielli presidia a Petrobras, Darcles diz não ser amigo dele e o conhecer apenas de eventos da empresa. Negou também ter proximidade com Robério ou a atual prefeita. Afirmou ainda não haver qualquer vinculação entre os contratos celebrados com os postos e os eventos realizados com patrocínio daPetrobras. Observou que o principal projeto no estado é de apoio a festas juninas e que, além destas duas prefeituras, outras 158 recebem recursos da estatal.

— É uma coincidência (a contratação dos postos). Esses patrocínios já existiam antes de eu estar aqui — disse.

A prefeitura de Porto Seguro afirma que a compra de combustíveis decorre de licitação e que é irrelevante a mudança de sócios pouco antes do certame. Afirma que o pagamento ocorre apenas de acordo com o consumo, não tendo repassado o valor total dos contratos. Segundo nota da assessoria, em 2013 foram repassados R$ 2,4 milhões e, neste ano, outro R$ 1,5 milhão. O valor estaria em parâmetro semelhante ao de 2012, quando foi repassado R$ 2,2 milhões ao posto que era detentor do contrato. A administração diz ainda que a utilização de carros de servidores é para “não onerar demasiadamente” a prefeitura com locação de veículos.

“A aquisição de combustível por qualquer ente federado é prática necessária e inerente a suas atividades administrativas, para o devido funcionamento da máquina pública, com foco no atendimento eficiente aos anseios da sociedade”, diz a nota da prefeitura de Porto Seguro.

O GLOBO não conseguiu contato com a prefeitura de Santa Cruz de Cabrália.

Deserto moral: a indústria eleitoreira da miséria

É preciso ser intelectualmente desonesto para não constatar que existe uma óbvia relação entre o benefício e a fidelidade ao petismo.

Os imbecis falam em separatismo. Os decentes têm de pensar em como libertar os pobres da chantagem e da vigarice.

Fonte: Folha de S.Paulo

A gestão da miséria e o deserto moral

REINALDO AZEVEDO 

Dilma, a Priscila do Deserto Moral

Em Kakânia, o país imaginário de Musil em “O Homem Sem Qualidades”, podia-se, às vezes, tomar um “gênio por um patife”, mas “nunca se tomava um patife por um gênio”. Dia desses, um dublê de colunista político e cortesão resolveu me ironizar porque afirmei que o país sai das urnas “dividido, rachado ao meio”. As esquerdas, que produziram vasta literatura sobre a indústria eleitoreira da miséria, agora pretendem negar as suas próprias constatações. O Nordeste servia como emblema dessa relação quando o quase extinto PFL dava as cartas na região. Hoje, apontar o óbvio seria sinal de preconceito e demofobia. Em Banânia, não apenas se tomam gênios como patifes, mas também patifes como gênios.

Vejam os 15 Estados em que Dilma venceu no segundo turno, o seu percentual de votos (primeiro número) e o percentual de famílias atendidas pelo Bolsa Família (segundo número). Os dados são do TSE (desprezei os algarismos depois da vírgula) e do Ministério do Desenvolvimento Social (setembro de 2014). Maranhão (78-58), Piauí (78-54), Ceará (76-47), Bahia (70-47), Pernambuco (70-47), Rio Grande do Norte (69-40), Sergipe (67-49), Paraíba (64-50), Amazonas (64-43), Alagoas (63-53), Amapá (61-33), Tocantins (59-38), Pará (57-46), Rio de Janeiro (54-17) e Minas (52-21).

Agora seguem os Estados em que Dilma perdeu, com os mesmos dados: Santa Catarina (35-07), São Paulo (35-11), Acre (36-42), Distrito Federal (38-12), Paraná (39-13), Goiás (42-19), Mato Grosso do Sul (43-21), Rondônia (45-26), Mato Grosso (45-22), Rio Grande do Sul (46-13), Espírito Santo (46-19) e Roraima (42-47).

É preciso ser intelectualmente desonesto para não constatar que existe uma óbvia relação entre o benefício e a fidelidade ao petismo, que é o coronelismo da hora. A petista venceu o tucano por menos de 3,5 milhões de votos. Só no Nordeste, a sua vantagem foi de mais de 12,2 milhões. O percentual de famílias atingidas pelo programa, na região, varia de 40% (RN) a 58% (MA). O Acre e Roraima, de um lado, e Minas e Rio, de outro, parecem negar a evidência. Vistas as particularidades, não tenho espaço, apenas confirmam.

A média de votos de Dilma nos mil municípios com mais beneficiários do Bolsa Família foi de 73,1%; nos mil com menos, de apenas 28,2%. Nas mil cidades que concentram maior número de famílias com renda per capita igual ou inferior a R$ 70, a petista obteve 74,3% dos votos, nas mil com menos, só 28%.

É claro que não é o Nordeste o culpado. É a pobreza! Mas aí o esquerdista cascudo se regozija porque, afinal, a “represidenta” é a Priscila do Deserto Moral do Bolsa Família –que tem de ser mantido, sim, e de se transformar em política de Estado, imune ao proselitismo. Um governo que não se ocupasse de minorar a miséria seria indecoroso, além de cruel. Um governo que se orgulha de manter 50 milhões de pessoas atreladas ao programa é cruel, além de indecoroso.

Tanto pior quando a máquina oficial é mobilizada para fazer terrorismo eleitoral e ameaçar com o fim do benefício quem depende, para viver, de uma pensão que vai de R$ 32 a R$ 140. Eu não gostaria de estar na pele moral dessa gente.

Os imbecis falam em separatismo. Os decentes têm de pensar em como libertar os pobres da chantagem e da vigarice.

Aécio propostas: ampliar horário de creches e pré-escolas

O objetivo é dar tempo suficiente para que as mães possam pegar seus filhos nesses locais, já que o trânsito das cidades atrapalham.

Eleições 2014

Fonte: PSDB

Aécio vai ampliar horário de creches e pré-escolas

Aécio: “As creches, que não foram construídas neste governo, serão construídas e ficarão abertas até às 20h”. Foto: Marcos Fernandes.

Aécio promete ampliar horário de creches e pré-escolas

O candidato quer estender licença-maternidade para que mães acompanhem os recém-nascidos no hospital

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, reafirmou nessa quinta-feira (23/10), no Rio de Janeiro (RJ), seu compromisso com iniciativas que beneficiem diretamente a mulher trabalhadora e prometeu ampliar o horário de atendimento das creches e das pré-escolas públicas até às 20h em todo o país. O objetivo, segundo ele, é dar tempo suficiente para que as mães possam pegar seus filhos nesses locais, já que o trânsito das cidades e outras dificuldades de deslocamento atrapalham a vida dessas famílias hoje.

“[No nosso futuro governo], as creches, que não foram construídas neste governo, serão construídas e ficarão abertas até às 20h. Todas as creches públicas terão seu horário estendido, em razão das modificações claras que existem hoje no cotidiano das famílias”, afirmou Aécio em entrevista à imprensa, acrescentando que o mesmo valerá para pré-escola.

Em seguida, Aécio acrescentou que: “Nós estamos adaptando o funcionamento desses espaços de proteção da criança até um horário mais compatível com a realidade contemporânea das mães e das famílias”.

O candidato explicou que a demanda pela ampliação do horário foi encaminhada por mães de várias partes do Brasil, em especial do Nordeste, e foi incorporado ao programa de governo da coligação.

Licença-maternidade

Aécio assumiu também o compromisso de garantir uma lei que amplie a licença-maternidade de mães cujos filhos recém-nascidos ficam internados logo após o nascimento por algum problema de saúde, baixo peso ou outros motivos. Aécio disse que o tempo da licença maternidade começará a contar somente depois que a criança deixar o hospital.

“Parto de uma experiência pessoal recente que tive, mas também de uma demanda que recebi de varias mães”, explicou ele, referindo-se ao fato de seus filhos que nasceram prematuros em junho – Bernardo e Julia – terem ficado internados. “Nós vamos garantir que a licença-maternidade passe a contar apenas a partir do momento em que o filho que tenha tido algum tipo de problema saia da rede hospitalar. Assisti inúmeros casos de mães que perderam seu emprego porque seus filhos ficaram dois, três, em muitos casos, mais meses internados”, afirmou o candidato.

Aécio também reafirmou seu compromisso com a melhora da qualidade de ensino das escolas públicas. “Nós queremos uma escola que valorize, que capacite os professores e que ensine os alunos”, disse. Ele reiterou a necessidade de implantar nacionalmente o programa Poupança Jovem, criado durante seu governo em Minas Gerais. A inciativa concede uma bolsa de estudo para que jovens que deixaram a escola retornem aos estudos.

Combate às drogas

Questionado sobre suas propostas para combater as drogas em território nacional e tratar os usuários, Aécio explicou que o primeiro passo é exatamente impedir que os entorpecentes entrem tão facilmente no Brasil, sem ação dos países vizinhos para coibir o tráfico.

“A Bolívia, por exemplo, produz quatro vezes mais folha de coca do que usa para o seu consumo nos seus altiplanos. Isso é uma sinalização clara de que não há ali uma preocupação desses países, talvez até uma vista grossa”, disse Aécio.

Aécio lamentou a falta de investimentos do atual governo na Polícia Federal e em ações que impeçam que as drogas cheguem ao território brasileiro.

“Controlar as nossas fronteiras, com investimentos na Polícia Federal, que tem o pior orçamento de investimentos dos últimos cinco anos, fortalecer as Forças Armadas, para que elas possam, também profissionalizadas e valorizadas, ser um instrumento parceiro da Polícia Federal no controle das nossas fronteiras”, afirmou o candidato.

No caso do tratamento aos usuários de drogas, Aécio se comprometeu a ampliar experiências dos governos de Minas Gerais e São Paulo. “Nós vamos ampliar Brasil afora as clínicas de recuperação, em parceria não apenas com o setor público, mas em parceria com ONGs, com igrejas, que podem ajudar o Estado a cumprir esse papel que, solitariamente, não cumpre”, afirmou.

 

Aécio condena falta de repasses federais e diz que será parceiro de Pernambuco

“Eu tenho um Nordeste no território mineiro. Meu pai é da região mais pobre do Vale do Jequitinhonha, disse Aécio”.

Eleições 2014

Fonte: PSDB

Aécio disse que será parceiro de Pernambuco

Aécio Neves: “O governo petista deixou de repassar R$ 81,8 milhões prometidos para obras importantes no Recife”. Divulgação

Aécio afirma que será o grande parceiro de Pernambuco e condena falta de repasses federais ao Estado

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, afirmou nessa quarta-feira (22/10), em entrevista por telefone à Rádio Jornal (do Recife), que uma vez eleito será o “grande parceiro” do governador eleito Paulo Câmara (PSB) e do prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB).

Aécio lembrou ter apresentado um projeto de desenvolvimento específico para a região Nordeste, o Nordeste Forte, que teve como uma das inspirações suas conversas com o ex-governador Eduardo Campos, de quem era amigo.

“Eu tenho um Nordeste no território mineiro. Meu pai é da região mais pobre do Vale do Jequitinhonha. O que eu posso garantir aqui é que, a quatro dias desta eleição, eu serei o grande parceiro do prefeito Geraldo Júlio e do governador Paulo Câmara”, disse Aécio.

Retaliação

Aécio condenou a retaliação do governo federal a Pernambuco por parte da presidente Dilma Rousseff, que tenta a reeleição. Desde o ano passado, Pernambuco aguarda o repasse de verbas para obras no Estado.

“Eu vejo o governo federal deixar de fazer o repasse federal para o Hospital da Mulher, em Recife, ou para área da saúde ou para o novo Pátio da Feira de Afogados simplesmente porque o prefeito Geraldo Júlio e o governador Paulo Câmara tiveram posição solidária a Eduardo Campos”, afirmou Aécio, que recebeu no segundo turno das eleições o apoio do PSB.

O governo petista deixou de repassar R$ 81,8 milhões prometidos para obras importantes no Recife. Do Hospital da Mulher, por exemplo, R$ 48,8 milhões foram prometidos, mas apenas R$ 1 milhão foi repassado. Das demais obras – Escola de Saúde, Reforma do Geraldão, Pátio da Feira de Afogados e pavimentação do Ibura – o governo federal não repassou nenhuma verba.

“Eu acho [a retaliação] um grande equívoco, porque o dinheiro não é deles [do governo do PT]. Não tem esta história de dinheiro estadual e dinheiro federal. Tem de dinheiro público, que é do cidadão”, ressaltou Aécio.

Nordeste

Na entrevista, Aécio reiterou que será o presidente da República do Brasil e do Nordeste. Ele se comprometeu a ampliar o programa Bolsa Família e tratar o Nordeste de forma diferenciada. O candidato antecipou que, em recente conversa com Paulo Câmara e Geraldo Júlio, afirmou que uma das suas prioridades é a nova duplicação da BR 232 – que liga Recife a Parnamirim com mais de 530 quilômetros de extensão.

“Tenho este compromisso com o Estado. Vamos investir em infraestrutura e educação. No meu governo, as obras vão começar e vão ser concluídas. Estamos aí com a transposição [do rio São Francisco], que era para ser inaugurada em 2010. Estamos em 2014 e não se sabe quando fica pronto. A Transnordestina da mesma forma: 10% dos trilhos estão no lugar”, citou o candidato na rádio.

Agressões

Diante dos últimos ataques desferidos pelo ex-presidente Lula, no último dia 21/10 em Pernambuco, contra as lideranças do PSDB, Aécio reagiu afirmando que a política precisa de “mais generosidade”. “O adversário não precisa ser tratado como um inimigo a ser dizimado a qualquer custo”, destacou ele.

No Recife, Lula chegou a comparar os tucanos com “nazistas na Segunda Guerra”, em mais uma incitação ao ódio e às agressões, prática que o PT vem se especializando. Aécio afirmou que a atitude não é própria de uma campanha que está “tranquila”. Ao contrário. “É próprio daqueles que acham que o poder é eterno”, destacou Aécio.

“Não é uma campanha de quem está se sentindo vitorioso”, afirmou Aécio, lembrando que sempre teve “respeito pessoal” por Lula e que teve com ele uma “relação republicana”, quando foi governador de Minas Gerais e o petista, presidente da República.

“O que eu não acho apropriado – e aqui fico apenas nessa crítica – é um ex-presidente da República numa campanha eleitoral ofender adversários apenas porque são seus adversários. Acho que a figura presidencial deve de alguma forma ser preservada”, concluiu Aécio.

Mentiras de Dilma no Debate Record: o PAC emPACou

Nem a primeira versão, lançada no governo Lula para eleger Dilma, foi concluída. Muito menos o PAC2, conforme mostra reportagem do Estadão.

Mentiras da Dilma

Fonte: Jogo do Poder

O PAC emPACado e as mentiras de Dilma no Debate Record

Charge: Cabral/PSDB

O PAC empacado

Tema de uma das questões feitas por Aécio Neves no debate da Record, as obras de infraestrutura do país não andam. Batizado de  Programa de Aceleração do Crescimento, o PAC empacou. Nem a primeira versão, lançada no governo Lula para eleger Dilma foi concluída. Muito menos o PAC2, conforme mostra reportagem do jornal O Estado de S. Paulo dessa segunda-feira, dia 20. Mas a desfaçatez é tanta que Dilma e os seus lançaram o PAC3.

De acordo com o Estadão, 9 das 11 obras prioritárias do PAC2 estão atrasadas ou muito atrasadas. Pior: “O estouro nos prazos dos cronogramas veio acompanhado de um aumento de 46% nos custos.”. As 11 obras, que no início de 2011 somavam investimentos de R$ 37,6 bilhões, chegam agora a R$ 54,9 bilhões – um gasto adicional de R$ 17,3 bilhões.

Os projetos de saneamento básico tocados na região Nordeste do País lideram a lista dos empreendimentos problemáticos. De acordo com o site Contas Abertas, uma em cada três obras de saneamento previstas pelo PAC2 não saíram do papel. Das 7.120 obras prometidas, somente 1.223 foram concluídas, o equivalente a 17,2%.

( http://www.contasabertas.com.br/website/arquivos/9643)

O eixo leste da transposição do São Francisco, canal de 220 km que corta a região de Pernambuco e Paraíba, teve as suas obras iniciadas em 2007. Lula pretendia inaugurá-lo no último semestre do seu governo, em 2010. Mas foi obrigado a deixar a missão para Dilma. Quando assumiu o governo, a presidente reprogramou a data para 19 de dezembro deste ano. Agora, a previsão mais otimista para o São Francisco é verter água no agreste pernambucano em 31 de dezembro de 2015.

Link da reportagem do Estadão

http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,governo-atrasa-9-de-11-obras-prioritarias-do-pac-imp-,1579501

A melhor resposta para a mentira da mobilidade e das obras do PAC como um todo está em um infografico produzido da Veja, feito a partir de dados do Contas Abertas. Veja no link: veja.abril.com.br/infograficos/pac-2/30-04-2014 

Na campanha de 2010, Dilma prometeu construir 6 mil quadras poliesportivas em escolas com mais de 500 alunos. Previstas no “PAC esporte”, 867 delas começaram a ser contratadas, mas ainda não saíram do papel. http://www.contasabertas.com.br/website/arquivos/9632

O governo anunciou que os investimentos do PAC 3 estarão focados em ferrovias e hidrovias. No PAC 2, porém, menos de 30% das obras previstas para os setores foram executadas. Dos 57 empreendimentos.hidroviários previstos, apenas 16 estão prontos (28,1%) e das 47 iniciativas ferroviárias, somente 14 foram concluídas (29,8%). (http://www.contasabertas.com.br/website/arquivos/9682#sthash.NDUlHuGP.dpuf)

%d blogueiros gostam disto: