Arquivos do Blog

Cresce rejeição à Lula: 55% não votariam no ex-presidente

Percentual daqueles que dizem que não votariam de jeito nenhum em Lula aumentou de 33% (maio de 2014) para 55%.

Cai também o número de eleitores que votaram em Lula para presidente da república.

Fonte: O Globo

Cresce rejeição à Lula e 55% não votariam no ex-presidente

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Reprodução

Ibope: 55% não votariam em Lula nas

Rejeição a petista era de 33% em 2014; 23% declararam que votariam no ex-presidente

Pesquisa Ibope, divulgada nesta segunda-feira pelo jornal “O Estado de S. Paulo”, revela que a rejeição ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aumentou. Segundo o levantamento, o percentual daqueles que dizem que não votariam de jeito nenhum em Lula aumentou de 33% (maio de 2014) para 55%. O índice dos que votariam no ex-presidente em 2018 é de 23%. Em maio do ano passado, o percentual de possíveis eleitores era de 33%.

O levantamento, realizado entre os dias 17 e 21 de outubro, pesquisou o potencial de voto de alguns dos principais políticos que podem vir a disputar a presidência da República em 2018.

O Ibope também testou os nomes dos tucanos Aécio Neves, Geraldo Alckmin e José Serra, além de Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT). A rejeição a Lula foi a maior entre todos os nomes testados. Mas os outros nomes também apresentam aumento na rejeição. De acordo com o Ibope, cresceu o percentual dos que não votariam de jeito nenhum em Aécio (de 42% para 47% em um ano), em Marina (de 31% para 50% em um ano) e em Serra (de 47% para 54% em dois anos). Não há comparativo para a rejeição a Alckmin e a Ciro Gomes, ambos com rejeição de 52%.

Apesar da rejeição, o índice dos que votariam em Lula é maior do que a dos adversários: 23%. Aécio Neves aparece com 15%, seguido por Marina, com 11%. Serra tem 8%, Alckmin tem 7% e Ciro, 4%.

Ainda segundo o Ibope, na soma de eleitores que votariam com certeza ou poderiam votar, há empate técnico entre Aécio (42%), Lula (41%) e Marina (39%). Serra e Alckmin ficam, respectivamente, com 32% e 30%. Ciro aparece com 20%.

Lula é o mais conhecido entre os políticos, já que apenas 2% o desconhecem. Ciro é o mais desconhecido, por 24% dos eleitores. E 19% não conhecem Alckmin. O percentual sobre Aéciochega a 9% e para Marina, 10%. No caso de Serra, 11% o desconhecem.

As taxas não somam 100% porque um eleitor pode apontar que votaria em mais de um candidato ou que não votaria em nenhum deles.

Anúncios

TSE vai auditar veracidade dos resultados das pesquisas eleitorais

Presidente do TSE, Dias Toffoli, irá convocar os institutos de pesquisa para fazer uma avaliação sobre os números apresentados ao longo da campanha.

Eleições 2014

Fonte: Valor econômico

TSE vai auditar veracidade dos resultados das pesquisas eleitorais

O presidente do TSE, Dias Toffoli, afirmou que a margem de erro diferente entre os levantamentos cria um problema para o eleitor. Foto: Valor econômico

Toffoli vai chamar institutos para avaliar pesquisas após as eleições

Passadas as eleições, o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Dias Toffoli, irá convocar os institutos de pesquisa para fazer uma avaliação sobre os números apresentados ao longo da campanha. De acordo com ele, foram registrados muitos erros.

“Vamos chamar os institutos para entender o que aconteceu. A primeira coisa que queremos é conhecer melhor, pois não foram erros pontuais e nem contra o partido ‘A’ ou partido ‘B’, mas erros sobre diversos resultados”, disse.

Segundo ele, tais erros alteram rumos de campanhas, podem mudar o voto de eleitores e influenciam a Bolsa de valores. Por isso, acredita que novas normas sobre as pesquisas podem ser propostas após reuniões com os institutos.

Apesar de pontuar que se trata apenas de uma ideia inicial, uma vez que sequer se reuniu com as empresas de pesquisa, Toffoli afirmou que a margem de erro diferente entre os levantamentos cria um problema para o eleitor.

“Temos pesquisas com margens de erro diferentes, com índices de confiabilidade diferentes. Talvez i sso devesse ser padronizado para evitar que se compare alhos com bugalhos toda a vez que duas ou mais pesquisas forem apresentadas”, disse.

Toffoli ainda comentou que o próprio TSE, através de suas resoluções, poderia determinar a padronização de índices. Disse também que o prazo para divulgação de pesquisas pode ser debatido.

“O STF já considerou inconstitucional a proibição 15 dias antes da eleição, mas hoje o STF é outro e muitos países proíbem nesse período. Mas o principal agora é entender o que aconteceu”.

O diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino, considerou importante a disposição do TSE de ouvir os institutos.

“Um aspecto que merece ser rediscutido, por exemplo, é essa obrigação de registrar pesquisa com cinco dias de antecedência no caso das que serão divulgadas pela imprensa. Cinco dias é um prazo muito grande. Foi um dos fatores que mais motivou especulações no mercado financeiro e deu oportunidade para espertalhões criarem pesquisas clone”.

A diretora do Ibope, Márcia Cavallari, afirmou: “Falam em erros dos institutos comparando pesquisa com a apuração, mas

pesquisa não tem o papel de prever resultados. É o retrato do que ocorreu”. Ela também disse que “as pessoas mudam de candidato de última hora”.

“Há muitos erros, sim, mas que não são das pesquisas: o cadastro desatualizado do TSE, a abstenção, o eleitor que erra na hora de votar na urna eletrônica e outras variáveis que não são amostrais.”

Aécio foi o melhor no Debate Record, mostra Datafolha

Na percepção dos eleitores, o candidato Aécio teve desempenho um pouco superior ao de Dilma no debate realizado (19) na TV Record.

Eleições 2014

Fonte: Folha de S.Paulo

Aécio foi o melhor no Debate Record

Debate promovido pela Rede Record avaliado pela Pesquisa Datafolha revela que Aécio foi o melhor. Foto: Divulgação.

Aécio se saiu melhor em debate para 22%; 16% apontam Dilma

56% dos eleitores não sabem indicar vencedor; 3% acharam os dois ruins

Na percepção dos eleitores, o candidato Aécio Neves (PSDB) teve desempenho um pouco superior ao da presidente Dilma Rousseff (PT) no debate realizado no último domingo (19) na TV Record.

A avaliação consta de pesquisa Datafolha feita nessa segunda (20): 22% dos que assistiram ao debate acham que o tucano se saiu melhor, enquanto 16% acham que Dilma venceu o confronto.

Mais da metade dos espectadores ouvidos (56%), contudo, não sabe afirmar quem venceu. Para 4%, tanto Dilma quanto Aécio tiveram desempenho semelhante, e outros 3% disseram que os dois foram igualmente ruins.

O Datafolha ouviu 4.389 pessoas em 257 municípios. Os que afirmaram ter assistido ao debate são 29%.

Transmitido das 22h13 à 0h08, o evento com os presidenciáveis registrou 12 pontos de audiência, com pico de 16, deixando a emissora em segundo lugar. Na mesma faixa, Globo ficou com 16 pontos e o SBT, 9.

Segundo dados do Ibope, cada ponto de audiência corresponde a 65.201 domicílios e 193.281 indivíduos na região da Grande São Paulo.

A audiência foi maior que a do último confronto entre os candidatos na emissora, no dia 28 de setembro, antes do primeiro turno. Na ocasião, a média registrada foi de 8,6 pontos.

Resultados de pesquisas geram desconfiança em ninho tucano

Aliados de Aécio acreditam que os apoios de Marina Silva e da família de Eduardo Campos, ainda não tiveram efeito sobre as intenções de voto.

Eleições 2014

Fonte: O Globo

Pesquisas: resultados geram desconfiança em ninho tucano

Desconfiança tucana e alívio petista com resultados das novas pesquisas

Apoio de Marina a Aécio e troca de acusações entre ele e Dilma não alteraram intenções de voto

O resultado das pesquisas do Ibope e do Datafolha, divulgados na quarta-feira, foi recebido com desconfiança pela campanha tucana e com alívio pelos petistas. Aliados de Aécio acreditam que os apoios declarados nos últimos dias, de Marina Silva e da família do ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, falecido em agosto, ainda não tiveram efeito sobre as intenções de voto dos eleitores. Já os petistas comemoram que os fatos positivos para Aécio não tenham repercutido nos levantamentos.

Integrante da campanha de Aécio, o deputado Duarte Nogueira (PSDB-SP) diz acreditar que a mais recente pesquisa não teria captado ainda os efeitos do apoio de Marina e da família do ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, declarados no último fim de semana. O deputado diz que o PT está usando uma estratégia agressiva porque está “desesperado” e que, mesmo assim, Aécio se mantém estável nas pesquisas. Duarte lembra, porém, que é preciso usar “sandálias da humildade” e evitar euforia de vitória antecipada.

— As pesquisas não captam o ato reflexivo do eleitor na reta final. A pesquisa que antecedeu a eleição mostrou isso claramente. Aécio vai crescer muito mais porque tem a seu lado o eleitor indignado com a corrupção, a inflação, o país que não cresce — afirmou.

O presidente do PSDB de Minas Gerais, deputado Marcus Pestana, afirma que, apesar da campanha de “vale-tudo” que acusa do PT de estar fazendo, Aécio irá subir nos próximos levantamentos, e destaca que a campanha tucana continuará investindo em temas para polarizar contra o PT, como mudança na forma de fazer política, situação da economia,corrupção, em particular na Petrobras, gestão e liderança para executar reformas necessárias.

— Acho que os institutos estão com uma postura conservadora de não apostar em viés de decisão, mas temos notícia de uma situação mais favorável para o Aécio. Tivemos uma semana ainda não totalmente drenada pela sociedade, com o anúncio de apoio de Marina e da família Campos, o PSB, que ainda vai produzir um efeito grande. E teve uma pancadaria do PT em cima do Aécio, uma campanha extremamente radical, raivosa, mostra que eles sabem que estão muito atrás — pontuou Pestana.

DILMA NÃO FALOU TUDO AINDA, DIZ PETISTA

O líder do PT na Câmara, deputado Vicentinho (SP), afirmou que o resultado da pesquisa traz alívio para os petistas, que tinham uma expectativa de que os recentes anúncios de apoio a Aécio tivessem uma repercussão já neste levantamento. O deputado dá o tom de que o PT deverá continuar partindo para o ataque contra o tucano.

— Essa eleição vai se definindo a cada momento, a recomendação à militância é trabalhar até o último minuto a eleição da Dilma. Os dados trazem um alívio, pelo que se ouvia dizer por aí parecia que Aécio estava com 70, e Dilma com 30. Se está empatado, então é bom. Mostra que tem gente do PSB e da Marina se dividindo. Aécio está usando a mesma postura da Marina, tentando se colocar como vítima, e isso é ruim para ele. O povo não é bobo, o que a presidente Dilma fala tem comprovação, documentos, e o debate serve para isso. E ela não falou tudo ainda! — ameaça o petista.

O senador Humberto Costa, líder do PT no Senado, também comemorou o resultado. Para Costa, o acúmulo de fatos positivos ocorridos nos últimos dias para Aécio, com o anúncio de apoios e os fatos negativos para Dilma, com mais denúncias de corrupção na Petrobras poderiam ter produzido uma vantagem para o tucano, o que acabou não ocorrendo neste último levantamento.

— Achei excelente o resultado, pode até ser estranho, mas ao longo da última semana Aécio só acumulou fatos positivos e nós alguns negativos. Tudo que aconteceu semana passada foi favorável a ele. E mais, a rejeição dele cresceu e acho que depois do debate de ontem a tendência é a gente abrir vantagem — defende Costa.

Aécio lidera nas pesquisas Ibope e Datafolha

Pesquisas divulgadas pelos institutos Ibope e Datafolha mostraram que Aécio se mantém na frente na disputa pela Presidência da República.

Eleições 2014

Fonte: Jogo do Poder

Aécio lidera as pesquisas Datafolha e Ibope neste segundo turno. Foto: Divulgação

Aécio lidera as pesquisas Datafolha e Ibope neste segundo turno. Foto: Divulgação

Aécio mantém liderança na corrida pela Presidência, mostram Datafolha e Ibope

Pesquisas divulgadas pelos institutos Ibope e Datafolha nesta quinta-feira (09/10) mostraram que o candidato da Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, se mantém na frente na disputa pela Presidência da República, indicando que a onda da razão veio para ficar e é irreversível.

O Datafolha e o Ibope mostraram que Aécio lidera com 45% dos votos totais contra 43% da adversária do PT e candidata à reeleição, Dilma Rousseff. Em votos válidos, Aécio tem 51% contra 49% da petista, em ambas pesquisas. A margem de erro do Datafolha e do Ibope é de 2 pontos percentuais.

O Datafolha ouviu 9.081 eleitores em 366 municípios na terça e quarta-feira. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01098/2014. Já o Ibope ouviu 3.010 eleitores entre domingo e terça-feira. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01097/2014.

Aécio vai receber mais de 60% dos votos de Marina, mostram pesquisas

Mesmo sem definição de Marina, maioria dos eleitores da ex-senadora já tomou partido, conforme mostraram pesquisas Ibope e Datafolha.

Eleições 2014

Fonte: O Globo

Pesquisas: Aécio vai receber mais de 60% dos votos de Marina

Aécio Neves (PSDB) é quem mais se beneficiou do espólio de Marina. Foto: Ed Ferreira/AE

Pesquisas: mais de 60% dos votos de Marina vão para Aécio

Cruzamento mostra que eleitores que acham governo Dilma regular terão papel importante na reta final

Mesmo sem uma definição de Marina Silva (PSB) sobre seu apoio no segundo turno, a maioria dos eleitores da ex-senadora já tomou partido na disputa, conforme mostraram as primeiras pesquisas Ibope e Datafolha divulgadas anteontem. E o candidato à Presidência Aécio Neves (PSDB) é quem mais se beneficiou do espólio de Marina.

Segundo o Ibope, 64% dos que votaram em Marina disseram votar agora no tucano, enquanto 18%, na presidente Dilma Rousseff (PT). Brancos, nulos e indecisos somaram 18%. Pelo Datafolha, o comportamento é semelhante: Aécio herdou 66% dos eleitores da adversária, e a presidente, 18%. Os que disseram votar em branco, nulo ou não souberam responder representaram 16%.

Nos dois levantamentos, Aécio obteve 51% dos votos válidos, e Dilma, 49%.

O Datafolha mediu o potencial de transferência de voto de Marina no segundo turno. Ao perguntar aos entrevistados se eles levariam em conta uma declaração de apoio de Marina para definir o voto, 49% disseram que a posição da ex-senadora será “indiferente”. Outros 40% disseram que levariam em conta a posição dela. Já 9% declararam que votariam, com certeza, em quem Marina apoiasse.

Para a maioria do eleitorado (72%), a expectativa é que Marina anuncie apoio a Aécio, mostrou a pesquisa Datafolha. Somente 12% acreditam numa adesão à campanha de Dilma.

Apesar de o segundo turno ter começado esta semana, é alto o índice de eleitores que estão decididos em relação ao voto. No Ibope, apenas 11% do eleitorado dos dois candidatos admitem rever o voto declarado na pesquisa — 85% disseram que a decisão é definitiva.

Pela primeira vez, o Datafolha fez uma análise das intenções de voto, segundo a classe social dos entrevistados. O tucano tem seu melhor desempenho na classe alta (74% das intenções de voto) e média alta (67%). Dilma lidera entre os eleitores da classe baixa (64%), classificados como excluídos pelo instituto, e da média baixa (53%). Na tradicional classe média, há um empate técnico: Dilma tem 52%, e Aécio, 48%.

Pelo Ibope, a passagem do candidato do PSDB para o segundo turno pode atrair quem afirmou ter anulado ou votado em branco no primeiro turno. Nesse grupo, 31% dizem que vão votar em Aécio, e 13%, em Dilma. Cerca de 47% continuam inclinados a anular ou votar em branco no segundo turno.

CRUZAMENTO COM AVALIAÇÃO DE GOVERNO

Mas a disputa promete ser intensa até o fim da corrida. O cruzamento das intenções de voto com a avaliação do governo Dilma, segundo o Ibope, indica que a presidente tem mais espaço para crescer entre os eleitores que consideram o governo Ótimo/Bom do que Aécio no grupo de eleitores que avalia o governo como Ruim/Péssimo.

Entre aqueles que avaliam positivamente o governo, hoje o maior contingente do eleitorado, de acordo com o Ibope, Dilma registra 85% de intenções de voto, enquanto Aécio tem 12%. No grupo dos eleitores que avaliam o governo como Ruim/Péssimo, Aécio registra 80% de intenções de voto contra apenas 3% de Dilma. Nesse grupo, cerca de 14% dizem que preferem anular o voto a apoiar o candidato do PSDB.

Pelo Datafolha, os números são diferentes, mas as tendências, semelhantes. Entre os eleitores que avaliam o governo como Ótimo/Bom, Dilma soma 80%, e Aécio, 14%. Quem avalia o governo negativamente vota majoritariamente no candidato tucano: 88%. Nesse grupo, Dilma tem apenas 3%. Os brancos e nulos chegam a 7%.

No levantamento do Ibope, 39% dos eleitores avaliam o governo Dilma como Ótimo/Bom, contra 27% que o consideram Ruim/Péssimo, enquanto 33% o consideram Regular.

A grande diferença de intenção de voto dos dois candidatos segundo a avaliação do governo indica que aqueles que consideram a administração federal como Regular terão um papel importante nesta reta final da campanha. Esses eleitores, em tese, têm mais probabilidade de mudar de posição.

Nesse grupo, Aécio tem hoje a maior proporção de intenções de voto, segundo o Ibope: 58% contra 29% de Dilma Rousseff. Embora com percentuais um pouco diferentes, o Datafolha também aponta para o peso que o grupo intermediário terá nesta reta final. Aécio tem 55% entre aqueles que dizem que o governo é Regular, enquanto Dilma marca 30%. Brancos e nulos somam 6%.

REJEIÇÃO AINDA É MAIOR

Dilma continua tendo os maiores índices de rejeição desta eleição. No Datafolha, os eleitores que não votam de jeito nenhum nela somam 43%. Os resistentes a Aécio são 34%. Para o Ibope, a taxa do tucano é de 33%, e a da presidente, de 41%.

(*Do Núcleo de Jornalismo de Dados)

2º turno: Ibope e Datafolha confirmam virada de Aécio

Os dois institutos mostraram que Aécio lidera com 46% dos votos totais contra 44% da adversária do PT.

Eleições 2014

Fonte: Aecio 45

2014: Ibope e Datafolha confirmam virada de Aécio

Pesquisas mostram que Aécio passa na frente de Dilma. Ilustração: Divulgação.

Ibope e Datafolha confirmam liderança de Aécio na disputa pela Presidência

Pesquisas divulgadas pelos institutos Ibope e Datafolha nessa quinta-feira (09/10) reforçaram que o candidato da Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, largou na frente na disputa pela Presidência da República, indicando o cenário de fortalecimento da campanha nas últimas semanas.

Os dois institutos mostraram que Aécio lidera com 46% dos votos totais contra 44% da adversária do PT e candidata à reeleição, Dilma Rousseff.  Em votos válidos, o tucano tem 51% contra 49% da petista. A margem de erro do Ibope e do Datafolha é de 2 pontos percentuais.

O desempenho representa um crescimento de 4 pontos percentuais no levantamento do Datafolha, e 9 pontos no Ibope, levando-se em conta as últimas pesquisas realizadas pelos dois institutos antes do primeiro turno.

Virada

O Datafolha informou que esta é a primeira vez desde a eleição de 1989 que um candidato que ficou em segundo lugar no primeiro turno aparece na liderança no levantamento sobre a nova rodada de votação. É a primeira vez que um candidato do PSDB aparece na frente de um petista na corrida presidencial.

O Datafolha ouviu 2.879 mil eleitores em 178 municípios na quarta e quinta-feira.  Já o Ibope ouviu 3.010 eleitores em 205 municípios de 7 e 8 de outubro.

Mais vantagem

Nessa quinta, o instituto Veritá mostrou que Aécio é a opção de voto de 54,8% dos brasileiros, enquanto Dilma possui 45,2% das intenções. Aécio, assim, chega a uma vantagem de 9,6 pontos percentuais nos votos válidos, confirmando resultado do Instituto Paraná Pesquisas, que, nessa quarta-feira (08/10), mostrou frente de 8 pontos percentuais sobre a candidata do PT.

2º turno: Aécio sai na frente e lidera pesquisas Ibope e Datafolha

Pesquisas Ibope e Datafolha divulgadas nesta quinta-feira indicam que o candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, está dois pontos à frente de Dilma.

Eleições 2014

Fonte: O Globo

Ibope e Datafolha: Aécio tem 46% e Dilma, 44%

Pela primeira vez tucano ultrapassa a petista numericamente nas duas pesquisas

Aécio lidera pesquisa Ibope e Datafolha

Pesquisa Datafolha – / Editoria de Arte

Embora a intenção de voto atribuída a ambos os candidatos seja a mesma, há uma diferença em relação aos brancos e nulos e indecisos. No levantamento do Ibope, não sabe ou não responderam 4%, e brancos e nulos somam 6%. O Datafolha registra que 6% não sabem ou não responderam, e 4% de brancos e nulos. Se forem levados em consideração somente os votos válidos, Aécio 51% ante os 49% de Dilma.

http://www.jogodopoder.com/blog/politica/aecio-lidera-pesquisa-ibope-e-datafolha/

Pesquisa Ibope – / Editoria de Arte

As simulações de segundo turno realizadas pelo Ibope ainda no primeiro turno entre os candidatos, apontavam a petista sempre à frente do tucano. No entanto, na última pesquisa, divulgada um dia antes das eleições, Aécio tinha subido de 33% para 37% das intenções de voto. Dilma passou de 46% para 45%.

APROVAÇÃO E PERCENTUAL

O Ibope também fez a avaliação de aprovação do governo Dilma. Para 39% dos eleitores entrevistados, o governo é “ótimo ou bom”; “regular” para 33%; e “ruim ou péssimo” para 27%. Eleitores indecisos somam 2%. Na avaliação de aprovação, 49% dizem aprovar o governo da petista, e 44% reprovam a gestão de Dilma.

Na avaliação do Datafolha, 39% dos eleitores avaliaram o governo da petista como “ótimo ou bom”; 38% como “regular”; 22% como “ruim ou péssimo”, e indecisos, 1%. A nota média atribuída ao governo é 6,2 (a da semana anterior foi 6).

A pesquisa Ibope ouviu 3.010 eleitores entre os dias 8 e 9 de outubro. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-01071/014. O Datafolha entrevistou 2.879 pessoas nos mesmos dias, e foi registrada no TSE sob o protocolo BR-01068/2014.

Eleições 2014: Aécio tem potencial de crescimento alto e deve subir mais até o dia das eleições

Aécio Neves se destaca especialmente entre os moradores do Sul, entre os do Centro-Oeste, entre os católicos e entre os mais velhos.

Eleições 2014

Fonte: Folha de S. Paulo

Aécio ainda crescerá mais até o dia das eleições

Aécio atrai 60% dos peemedebistas e o fato de Marina ter mudado de estratégia são fatores preponderantes a alavancada do tucano. Foto: George Gianni

Aécio tem potencial de crescimento um pouco superior ao de Marina

Números podem levar PT a questionar se de fato foi uma boa estratégia a desconstrução da rival do PSB

A pesquisa divulgada nessa quinta (2) pelo Datafolha, assim como esta análise, foram feitas antes do último debate entre os candidatos.

Qualquer tipo de influência do evento sobre a corrida presidencial será captada no levantamento cujas entrevistas serão realizadas entre esta sexta (3) e a manhã de sábado. Possíveis movimentos que ocorrerão a partir daí apenas as urnas revelarão.

Mas é importante registrar as marcas com que os candidatos chegaram ao confronto na TV para justamente medir se haverá ou não algum impacto na disputa.

Constatar, por exemplo, que no dia e nos momentos que antecederam o programa a taxa de intenção de voto total em Dilma Rousseff (PT) mantinha-se no patamar dos 40%, a seis pontos de uma vitória no primeiro turno.

E que Marina (PSB) e Aécio (PSDB) entraram no debate tecnicamente empatados, situação inédita desde agosto, logo depois da morte de Eduardo Campos, quando a ambientalista ainda não tinha oficializado sua candidatura.

Dependendo da repercussão e da percepção do eleitorado sobre o saldo de desempenho dos candidatos nesta reta final, as tendências atuais das curvas podem se intensificar até o dia da eleição.

Ou, ao contrário, se algum fato sensibilizar segmentos com peso quantitativo relevante, refluxos podem ser cogitados. Numa eleição presidencial onde, pela primeira vez, a maioria do eleitorado possui ao menos o nível médio de escolaridade, a velocidade da informação não pode ser subestimada como componente decisivo na elaboração do voto.

Mas, caso nada impactante aconteça, esperam-se para a véspera da eleição variações de Dilma entre 38% e 43%, de Marina entre 22% e 27%, e de Aécio entre 19% e 25%. Como se observa, os dois candidatos da oposição possuem evidente zona de sobreposição entre suas projeções, o que indica decisão apertada no dia do pleito.

Com o acirramento na disputa pela vaga de adversário de Dilma no segundo turno, vale uma análise mais atenciosa dos cenários.

No primeiro momento, tem-se a impressão de equilíbrio também na etapa final. Tanto Marina quanto Aécio alcançam 41% das intenções de voto, ante 48% da atual presidente.

Porém o espaço para crescimento de ambos é um pouco diferente. Se a ex-ministra possui uma vantagem numérica de três pontos percentuais nas intenções de voto no primeiro turno, a tendência se inverte pró-tucano quando o assunto é o potencial total das candidaturas no segundo.

Considerando-se a taxa de rejeitadores que conhecem de fato cada um dos candidatos –os “causa perdida”-, sobraria para Aécio Neves um potencial total de crescimento máximo de 27 pontos, ante 24 de Marina. Para Dilma, neste momento, o espaço é de 11 pontos.

Também é interessante perceber os contrastes de perfil dos eleitores da oposição para a etapa final.

No segundo turno, Marina atrai um pouco mais os jovens, os que vivem nas capitais e os evangélicos, enquanto Aécio se destaca especialmente entre os moradores do Sul, entre os do Centro-Oeste, entre os católicos e entre os mais velhos.

A ambientalista consegue no segundo turno 55% dos que pretendem votar no tucano na primeira etapa. Já o ex-governador de Minas chega a captar 60% dos que optam pela ex-ministra agora no dia 5.

Aécio atrai 60% dos simpatizantes do PMDB em um confronto direto contra Dilma, enquanto Marina leva 49% desse segmento. Números que podem levar petistas a questionar se de fato foi uma boa estratégia a desconstrução feroz de Marina Silva.

Aécio está confiante em chegar ao segundo turno

Aécio: “A curva da nossa candidatura é ascendente. Sempre acreditei na consistência da nossa proposta. Sou desde sempre oposição.”

Eleições 2014

Fonte: O Globo

Aécio mantém confiança no 2º turno

Aécio Neves (PSDB) no último debate na TV antes do primeiro turno das eleições. Foto: Marcelo Carnaval / Agência O Globo

Após debate, Aécio garante estar confiante em chegar ao segundo turno

Sem citar as adversárias Dilma e Marina, tucano afirma que representa o melhor projeto para o Brasil

O senador Aécio Neves, candidato à Presidência pelo PSDB, demonstrou confiança na ida ao segundo turno, em entrevista coletiva após o debate da TV Globo, na noite desta quinta-feira.

— As pesquisas apontam na possibilidade concreta e cada vez maior de estarmos no segundo turno. Curva da nossa candidatura é ascendente. Sempre acreditei na consistência da nossa proposta. Sou desde sempre oposição a tudo isso que vem acontecendo no Brasil nós últimos anos. As informações que tenho de tracking já mostram um empate numérico (entre ele e Marina).

Sem citar as principais adversárias, a presidente Dilma Rousseff (PT) e a candidata do PSB, Marina Silva, Aécio afirmou que representa “o melhor projeto para o Brasil”.

— Temos o melhor projeto para o Brasil. Não foi construído no improviso e nem significa a continuidade desse modelo que nos trouxe a mais perversa das heranças: crescimento pífio, recessão técnica na economia, inflação alta, perda de credibilidade e denúncias de corrupção que não cessam nunca.

Ao ser questionado sobre “a possibilidade pequena” de ficar fora do segundo turno, Aécio brincou e lembrou as adversidades enfrentadas ao longo da campanha:

— Essa possibilidade pequena a que você (repórter) se refere é música para os meus ouvidos, depois do que nós andamos passando por aí. Não penso em nova eleição, penso nessa eleição.

%d blogueiros gostam disto: