Arquivos do Blog

Em vídeo, Aécio critica PT pelo uso da máquina em campanha

Aécio prometeu ter, como líder da oposição, uma atuação fiscalizatória do cumprimento das promessas feitas por Dilma.

Eleições 2014

Fonte: O Globo

Aécio critica o PT pelo uso da máquina em campanha

Aécio afirma que não irá desistir do país. Foto: Reprodução.

Em vídeo, Aécio diz que disputa eleitoral foi ‘desigual’

Tucano acusa a campanha do PT de uso da máquina e pede a eleitores que continuem mobilizados

O candidato derrotado à Presidência da República Aécio Neves (PSDB) divulgou no fim da noite de terça-feira um vídeo em sua página no Facebook em que diz que a disputa presidencial foi “desigual”. Na gravação, com pouco mais de um minuto, o senador tucano acusou a campanha da presidente Dilma Rousseff (PT) de uso da máquina e propagar infâmias e mentiras.

— De um lado, temos que nos lembrar que disputamos uma eleição desigual com o outro lado usando como nunca a máquina pública, a infâmia e a mentira contra nós — disse Aécio.

O presidenciável derrotado contou que tem recebido mensagens de tristeza pela derrota dele e pediu que a todos os apoiadores de sua candidatura que se mantenham mobilizados e vigilantes. Ele usou frases ditas pelo então presidenciável Eduardo Campos (PSB), morto em agosto em um acidente de avião, e pelo avô dele Tancredo Neves para estimular os militantes.

— Por isso, eu digo: não podemos desistir do Brasil e não vamos nos dispersar. A força que adquirimos é a que levará o Brasil à mudança.

Aécio prometeu ter, como líder da oposição, uma atuação fiscalizatória do cumprimento das promessas feitas por Dilma.

— A gente não pode esquecer que aconteceu uma coisa extraordinária, que foi o Brasil acordando, as pessoas indo para as ruas, querendo voltar a ser protagonistas da construção de seu próprio destino. Essa é a maior força que temos hoje: a nossa união para fiscalizarmos as ações deste governo e cobrarmos resultados. Fiquem tranquilas que estarei atento e vigilante para que cada compromisso da campanha seja cumprido. Senão será denunciado.

Antes de retornar à rotina do Congresso, o senador terá uma temporada de descanso. O previsto é que ele passe alguns dias na fazenda da sua família em Cláudio (MG) e depois viaje ao exterior.

Assista o vídeo aqui

Anúncios

Oposição: Aécio vai manter luta por sentimento de mudança

“Hoje ele é a personificação do sentimento por mudança expresso por 48% da população. Ele vai encarnar isso menos no Senado e mais na sociedade”, afirmou Marcus Pestana, presidente do PSDB-MG.

Oposição mais forte

Fonte: Valor Econômico

Aécio vai manter luta por sentimento de mudança

Com o respaldo de mais de 50 milhões de votos para presidente, Aécio volta ao Senado com influência muito maior. Foto: Divulgação

Aécio buscará liderança da oposição

Quando voltar ao Senado, Aécio Neves (PSDB-MG) não ficará limitado à “camisa de força” da atuação parlamentar se quiser manter seu nome na cabeça do eleitorado. A ideia é evitar que ele encarne figura de oposição frontal a qualquer proposta do novo mandato de Dilma Rousseff, mas que ao mesmo tempo seja o contraponto a seu governo.

Recluso com a família numa fazenda, Aécio ainda não se sentou com o PSDB para alinhar a atuação que ele terá no Senado e como presidente nacional do PSDB. Mas em seu partido lideranças apontam os passos que esperam vê-lo dar.

“Assim que voltar ao Senado, ele terá de ser muito mais o líder das oposições e o presidente do PSDB do que propriamente aquele senador que faz o embate do dia a dia”, disse ao Valor PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor, o presidente do PSDB de Minas, o deputado federal Marcus Pestana.

Para esse embate no Senado, Pestana diz que o PSDB conta com nomes de destaque da bancada atual, como o de Aloysio Nunes Ferreira (SP) como outros da tropa recém-eleita que inclui Antonio Anastasia (MG) José Serra (SP) e Tasso Jereissati (CE).

Aécio não pode ficar preso na camisa de força parlamentar. A sociedade não acompanha a vida no Parlamento”, disse ele.

“Hoje ele é a personificação do sentimento por mudança expresso por 48% da população. Ele vai encarnar isso menos no Senado e mais na sociedade”, afirmou, referindo-se ao percentual de votos que o tucano obteve no segundo turno da eleição presidencial.

Ao fugir do confinamento do Senado, Aécio terá de buscar estar à frente de eventos, de campanhas temáticas e ajudando a mobilizar setores da sociedade, defende Pestana – numa opinião que coincide com a de outros parlamentares tucanos.

O esforço, segundo essa visão, é para manter Aécio na cabeça do eleitorado. “Temos que alimentar isso, mas sem precipitar as coisas pensando em 2018.”

O mandato de Aécio Neves como presidente do PSDB vai até maio de 2015. “Ele vai ocupar todo esse espaço de contraponto deste governo e não só na tribuna do Senado“, disse o presidente do PSDB paulista, o deputado federal Duarte Nogueira.

Durante a campanha, Aécio evitou dar indicações mesmo a tucanos próximos como seria sua atuação no caso de derrota. “Até a eleição, ele era senador e presidente do partido. O papel será diferente agora, de liderar todo esse time [da oposição] na fiscalização, cobrança de reformas, de medidas contra inflação e para crescimento econômico e na elucidação dos escândalos da Petrobras.”

Durante seus primeiros quatro anos de mandato como senador, Aécio não se destacou por ter sido o tucano que esteve à frente de grandes embates com o governo Dilma nem o orador de discursos mais virulentos na tribuna. Não é um papel que parece se encaixar em seu perfil, mas com o respaldo de mais de 50 milhões de votos para presidente, ele volta ao Senado com influência muito maior.

Ainda mais porque o período de lua de mel que Dilma poderá ter tende a ser muitíssimo menor do que quando foi eleita em 2010. Ela terá uma agenda econômica complicada associada aos escândalos da Petrobras.

Para o deputado Marcus Pestana, é chave traduzir o apoio que Aécio teve em ação partidária. “Não só com resistência [a medidas e ações do governo], mas também com atitudes propositivas”.

Ao lado da mulher e dos filhos pequenos, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) deve tirar alguns dias de descanso em uma viagem para fora do país. Antes, porém, ele faz uma primeira parada na fazenda da família em Cláudio (MG).

Candidata derrotada no primeiro turno, Marina Silva (PSB) tende a manter a aproximação com Aécio. “Marina e Aécio conversaram muito na campanha e construíram uma ponte entre eles”, disse ontem o deputado Walter Feldman, aliado de Marina e uma das lideranças que trabalham na criação do Rede Sustentabilidade. Mas, acrescentou o deputado, ela deve caminhar com disposição de diálogo com o governo Dilma: “O partido será de oposição, crítico ao governo, mas aberto a construir uma agenda. Todos os partidos devem estar abertos a uma concertação.”

Doleiro inicia tratamento de fisioterapia

Sem previsão de alta: Alberto Youssef segue internado no hospital Santa Cruz, em Curitiba, desde o último sábado.

Operação Lava-Jato

Fonte: O Globo

Doleiro começa a fazer tratamento

Hospital informou que o quadro de Youssef é estável. “Apresenta-se lúcido e orientado, com sinais vitais dentro da normalidade”. Foto: Divulgação

Youssef inicia tratamento de fisioterapia, mas sem previsão de alta

Por causa de problemas no coração, Alberto Youssef teve depoimento cancelado em CPMI

Youssef está internado em Curitiba – Blog do Ancelmo Gois

O doleiro Alberto Youssef, um dos acusados e delatores do suposto esquema de corrupção na Petrobras, segue internado no hospital Santa Cruz, em Curitiba, desde o último sábado. Segundo boletim médico divulgado nesta terça-feira, Youssef iniciou tratamento de fisioterapia e reposição de nutrientes por estar debilitado. O quadro é estável, mas não há previsão de alta.

Nesta segunda-feira, a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investiga as denúncias de desvios na estatal cancelou o depoimento que o doleiro, preso no Paraná, daria aos parlamentares. No sábado, Youssef sentiu-se mal e desmaiou na prisão. Foi levado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Santa Cruz com problemas cardiológicos.

Na nota assinada pelo cardiologista Rubens Zenobio Darwich, o hospital informa que o quadro de Youssef é estável. “Apresenta-se lúcido e orientado, com sinais vitais dentro da normalidade”, diz o boletim médico, que conclui: “sem previsão de alta”.

Com Aécio, PSDB tem o melhor desempenho desde 2002

Aécio Neves recebeu 51.041.003 (48,36%), no melhor desempenho da oposição desde que o PT chegou ao poder federal em 2002.

Eleições 2014

Fonte: Valor Econômico

Com 64,29%, Aécio recebeu a melhor votação proporcional de um presidenciável em São Paulo, no segundo turno, desde os 57,9% de Collor em 1989. Divulgação

Com 64,29%, Aécio recebeu a melhor votação proporcional de um presidenciável em São Paulo, no segundo turno, desde os 57,9% de Collor em 1989. Divulgação

Dilma tem a vitória mais apertada da história

Por Cristian Klein 

Na eleição ao Planalto com mais reviravoltas da história, os brasileiros decidiram pela continuidade e reelegeram, ontem, com 54.499.706 votos (51,64% dos votos válidos), a presidente Dilma Rousseff (PT), que derrotou, em segundo turno, o senador Aécio Neves (PSDB). Com 99,99% do total apurado, o tucano recebeu 51.041.003 (48,36%), no melhor desempenho da oposição desde que o Partido dos Trabalhadores chegou ao poder federal em 2002.

Com a reeleição de Dilma, o PT alcança o quarto mandato consecutivo na Presidência da República, o que estabelece uma hegemonia de pelo menos 16 anos no governo federal, até 2018.

A força da onda vermelha, no entanto, esbarrou no antipetismo e resultou na vitória mais apertada de um candidato presidencial desde 1989, quando Fernando Collor, então no PRN, ganhou de Luiz Inácio Lula da Silva por 53,03% a 46,97%.

Detentor de uma fortaleza eleitoral no Nordeste, o PT – ao contrário do senso comum – nunca havia necessitado da vantagem para ganhar. Agora, sim. É a primeira vez, em quatro eleições, que o partido perde, no segundo turno, na maioria das cinco regiões. Depois da vitória de Lula em 2002 em todas as regiões, o PSDB levou o Sul, em 2006, acrescentou o Centro-Oeste, em 2010, e desta vez foi o mais votado pela primeira vez também no Sudeste, onde Aécio teve 56,14% contra 43,86% da presidente.

Dilma compensou as derrotas nas três regiões com as votações do Norte e, principalmente, do Nordeste. No bastião petista, a presidente venceu o tucano por 71,66% a 28,34%. No Maranhão, obteve a maior vantagem estadual sobre o adversário: de 78,6% a 21,4%.

A presidente foi a preferida em 15 Estados – todos os nove do Nordeste, em Minas, no Rio de Janeiro, e em quatro dos sete da região Norte – enquanto Aécio foi o melhor em 11 e no Distrito Federal. O tucano venceu nos três do Sul, nas quatro unidades da Federação do Centro-Oeste, no Espírito Santo, Acre, Rondônia, Roraima, e no maior colégio eleitoral: São Paulo.

Com 64,29%, Aécio recebeu a melhor votação proporcional de um presidenciável em São Paulo, no segundo turno, desde os 57,9% de Collor em 1989. O recorde chama a atenção pois é a primeira eleição presidencial, desde 1955, que o Estado não teve um candidato competitivo. Os paulistas descarregaram seus votos no senador mineiro e lhe deram uma diferença de 6.755.016 votos a mais em relação a Dilma. Em vez da dispersão, pela falta de um concorrente da terra, o antipetismo mobilizou o Estado. O tucano bateu, em mais de 2 milhões de votos, a maior diferença estadual absoluta desde 1989, que eram os 4.635.632 de votos que Lula pôs de vantagem sobre José Serra no Rio de Janeiro, em 2002.

No Sul, Aécio venceu por 2,9 milhões de votos de diferença, com expressivas votações no Paraná (60,98%) e em Santa Catarina, onde obteve seu mais alto índice estadual: 64,59%.

O senador, no entanto, não conseguiu “azular” seu próprio Estado. Com isso, o PT mantém a tradição de vencer em Minas tanto no primeiro quanto no segundo turno, desde 2002. É um Estado vermelho. Ali, Aécio alcançou 47,6% contra 52,4% de Dilma, que pôs uma diferença de 550 mil votos no reduto do adversário.

Sem um bom desempenho em Minas e a larga derrota no Nordeste, as expressivas vitórias de Aécio em São Paulo e no Sul não foram suficientes para compensar a ampla vantagem de Dilma no Nordeste. Nos nove Estados da região, a petista conseguiu 11,7 milhões de votos a mais sobre Aécio. A presidente ganhou com folga (70,26% a 29,74%) até em Pernambuco, um dos dois Estados vencidos por Marina Silva (PSB) no primeiro turno – o outro, o Acre, na região Norte, foi conquistado por Aécio.

A vitória em Pernambuco mostra que Marina e o grupo político do ex-governador Eduardo Campos (PSB), morto durante a campanha, em agosto, não conseguiram transferir os votos que queriam para Aécio, apesar de todo o esforço com declarações de apoio na propaganda eleitoral. Com a morte de Campos, que figurava em terceiro lugar na corrida presidencial, a entrada de Marina em seu lugar representou uma das grandes reviravoltas da disputa. A ex-senadora chegou a empatar com Dilma, enquanto Aécio ultrapassou a presidente, ainda que dentro da margem de erro, nas primeiras pesquisas do segundo turno.

O PT conseguiu neutralizar o clima de mudança com sua forte base eleitoral no Norte e no Nordeste. Nas duas regiões mais petistas do país, as votações arrasadoras do PT se mantiveram. No Nordeste, Dilma avançou um ponto percentual, de 70,58% em 2010, para 71,62%. No Norte, foi cerca de meio ponto mais baixa e passou de 57,43% para 56,82%.

Ao Nordeste, juntou-se o Rio, terceiro maior eleitorado, onde o placar foi de 54,94% a 45,06%, com uma vantagem de 807.095 votos. O Estado, porém, manteve a trajetória de votações declinantes para o PT. A diferença, que foi de 57,9 pontos percentuais em 2002, de 39,4 em 2006, e de 21 em 2010, caiu para 9,8. O mesmo ocorreu no Amazonas, cuja vantagem de 61,1 pontos – a maior há quatro anos – agora foi de 27,9.

 

Aécio firmar-se como líder da oposição

Aécio Neves não saiu enfraquecido. Pelo contrário. Foi o tucano que mais assustou os petistas desde a vitória de Lula na eleição de 2002.

Foco em 2018

Fonte: Folha de S.Paulo

Aécio deve firmar-se como líder da oposição

Em sua primeira eleição presidencial, Aécio sai dela, de certa forma, renovado e um político diferente. Foto: Divulgação.

De olho em 2018, tucano tem a meta de firmar-se como líder da oposição

Apesar da derrota, Aécio Neves não sai enfraquecido da disputa presidencial. Pelo contrário. Foi o tucano que mais assustou os petistas desde a vitória do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na eleição de 2002.

O PT só respirou aliviado e comemorou vitória sobre o tucano quando começou a ser divulgado o resultado oficial. Um assessor presidencial reconheceu: “Aécio quase nos matou do coração”.

O tucano mineiro, contudo, terá de refletir sobre seus erros. O maior deles, e talvez o fatal, foi em Minas Gerais. Se ganhou disparado em São Paulo, perdeu de novo em sua terra natal para a presidente Dilma Rousseff, de 52,4% a 47,6%, no segundo turno.

Terá de repensar sua relação com os conterrâneos, que agora serão governados por um petista, Fernando Pimentel, amigo pessoal de Dilma.

Em sua primeira eleição presidencial, Aécio sai dela, de certa forma, renovado e um político diferente. Deixou de lado o figurino de conciliador, que evitava embates, e partiu para o confronto com Dilma.

Tudo o que lhe faltou, lembram os amigos, durante os quatro anos no Senado, período em que não assumiu a liderança da oposição ao governo petista. Fase em que foi acusado de ser muito contemporizador e pouco atuante.

Na campanha, pressionado pela linha agressiva do PT, mostrou um gosto pela guerra, estilo que sinaliza manter no segundo mandato de Dilma. Objetivo: firmar-se como grande líder da oposição e sair candidato pelo PSDB em 2018, quando terá ainda 58 anos.

Sabe que pode ter de disputar a preferência dos tucanos com o governador Geraldo Alckmin, reeleito em São Paulo, e que não esconde seu desejo de voltar a disputar a Presidência da República.

Aécio confia, porém, que pode se firmar como o líder da oposição atuando da tribuna do Senado com o capital político amealhado durante a campanha. Acredita que tem condições de ganhar daqui a quatro anos, já que é mais conhecido no país.

Além disso, desabafa, sente-se aliviado porque o PT acabou retirando todos os seus esqueletos do armário. Na próxima campanha, estará bem mais preparado para enfrentar os ataques pessoais que marcaram esta eleição.

Pode ter pela frente o ex-presidente Lula, que ensaia sua volta daqui a quatro anos. O petista, por sinal, foi uma das grandes decepções que teve durante a eleição.

Lula e Aécio sempre tiveram um bom relacionamento. O petista tinha no senador mineiro um de seus melhores interlocutores no ninho tucano. Agora, avaliam amigos, não será possível uma reconciliação. Lula exagerou nos ataques pessoais a Aécio.

Prioridade de Dilma deve ser unir o Brasil, diz Aécio

Emocionado, Aécio disse que sai desta eleição “mais vivo e sonhador” e que a prioridade da presidente deve ser a de unir o Brasil.

O Brasil não mudou

Fonte: O Globo

Aécio: prioridade de Dilma deve ser unir o Brasil

Aécio Neves: ‘Desejei a ela (Dilma) sucesso na condução do seu próximo governo!’. Foto: Yasuyoshi Chiba / AFP

Após derrota, Aécio diz que prioridade de Dilma deve ser a de unir o Brasil

Tucano agradeceu os 50 milhões de votos e afirmou ter saído do pleito ‘mais vivo e sonhador’

Visivelmente emocionado, o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, disse que a prioridade da presidente reeleita Dilma Rousseff (PT) deve ser a de unir o Brasil. O tucano agradeceu os votos em São Paulo e disse que sai desta eleição “mais vivo e sonhador””. Ele telefonou para Dilma, para cumprimentá-la pela vitória.

Leia a íntegra do discurso de Aécio Neves.

— Cumprimentei agora há pouco, por telefone, a presidente reeleita. E desejei a ela sucesso na condução do seu próximo governo. E ressaltei: considero que a maior de todas as prioridades deve ser unir o Brasil em torno de um projeto honrado e que dignifique a todos os brasileiros. — afirmou o tucano, que terminou seu discurso agradecendo aos brasileiros: — Combati o bom combate, cumpri minha missão e guardei a fé. Muito obrigado a todos os brasileiros.

Aécio iniciou sua fala agradecendo os 50 milhões de votos obtidos neste segundo turno, em que conquistou 48,38% dos votos totais. Para o tucano, estes brasileiros apontaram “o caminho da mudança”.

— Serei eternamente grato a cada um de vocês que me permitiram voltar a sonhar e a acreditar na construção de um novo projeto. As cenas que vivi ao longo destes últimos meses jamais sairão da minha mente e do meu coração.

Ainda no seu discurso, Aécio agradeceu todos os companheiros do partido pela figura do seu vice, Aloysio Nunes, e disse ter saído deste pleito presidencial “mais vivo do que nunca”.

O clima no local onde o candidato acompanhou a votação passou da euforia da tarde à tristeza após a confirmação da vitória de Dilma. Alguns eleitores abriram uma faixa com a frase: “Não vamos desistir do Brasil”.

Na saída do prédio na capital mineira, antes do discursou, o tucano acenou de dentro do carro, deu adeus com as duas mãos e fez até sinal de positivo para um grupo de eleitores. Ele comentou com assessores que achara “simpática” a faixa.

Nas redes sociais, o perfil do candidato postou uma foto com os dizeres “Obrigado.” Nos bastidores, reunido com aliados, o tucano desabafou:

— Bola para frente. É isso mesmo. É o jogo!

SERRA: ‘NÃO VAMOS ATUAR NO QUANTO PIOR, MELHOR’

Apesar do discurso de Aécio, o senador eleito por São Paulo, José Serra, disse que a oposição não terá contemplação com os desvios do governo de Dilma Rousseff.

— É a oposição que não vai ter nenhuma contemplação com os desvios de natureza moral e de natureza administrativa. E sempre apontando caminhos. A oposição tem que atuar, combatendo e sempre olhando o interesse do futuro do país, a unidade do país. E não vamos atuar no quanto pior, melhor. O PSDB não tem essa natureza — disse Serra.

Senador eleito, ele acrescentou que a oposição sai fortalecida e tem estados como São Paulo como centro de sua atuação:

— Aquilo que se chama oposição no Brasil tem uma força muito grande e vamos usar essa força em benefício do Brasil. Vamos jogar todo esse peso no enfrentamento destas questões (inflação, por exemplo).

Ele criticou os métodos usados pelo PT na campanha.

— Não foi a primeira que eles fizeram, eles têm esse método de atuação, não só no governo, mas no processo eleitoral, mas saímos de cabeça erguida e com uma quantidade de votos maior ainda e com muita determinação de combatermos tudo aquilo que consideramos errado.

O deputado Geddel Vieira Lima disse que a oposição não deve se envergonhar.

— Não foi uma eleição da qual a gente tenha que se envergonhar.

O prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB), disse que o país tem que voltar a crescer.

— Que a presidente Dilma faça uma mudança na política econômica — disse Lacerda.

Serra acompanhou a apuração dos votos ao lado de Aécio, no final da tarde, e o acompanhou durante o pronunciamento do candidato tucano, num hotel da capital mineira.

Nos bastidores, aliados de Aécio disseram que esperavam um desempenho melhor em Minas Gerais, onde Dilma teve 52,4%. Nas ruas, onde a propaganda de Aécio sempre foi maior, à noite os petistas começaram a lotar restaurantes e a fazer buzinaços.

Combati o bom combate, diz Aécio

Aécio agradeceu os mais de 50 milhões de votos dos brasileiros, desejou sucesso à presidente reeleita e pediu a união do país.

Pronunciamento de Aécio Neves

Fonte: Jogo do Poder

Aécio: “As cenas que eu vivi ao longo desses últimos meses jamais sairão da minha mente e do meu coração”. Foto: Marcos de Paula/Estadão

Aécio: “As cenas que eu vivi ao longo desses últimos meses jamais sairão da minha mente e do meu coração”. Foto: Marcos de Paula/Estadão

Aécio Neves: combati o bom combate, cumpri minha missão e guardei a fé

“Combati o bom combate, cumpri minha missão e guardei a fé”, declarou o candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, em pronunciamento feito na noite deste domingo (26/10), em Belo Horizonte (MG). Aécio agradeceu os mais de 50 milhões de votos dos brasileiros, desejou sucesso à presidente reeleita Dilma Rousseff e pediu a união do país.

Segue íntegra do pronunciamento de Aécio Neves.

“Meu boa noite a todos. A minha primeira palavra é de profundo agradecimento a todos os brasileiros que participaram dessa festa da democracia.

Agradecimento especial aos mais de 50 milhões de brasileiros que apontaram no caminho da mudança. Eu serei eternamente grato a cada um, a cada uma de vocês que me permitiram voltar a sonhar e acreditar na construção de um novo projeto. As cenas que eu vivi ao longo desses últimos meses jamais sairão da minha mente e do meu coração.

Cumprimentei agora há pouco a presidente reeleita e desejei a ela sucesso na condução do seu próximo governo, e ressaltei que considero que a maior de todas as prioridades deve ser unir o Brasil em torno de um projeto honrado e que dignifique a todos os brasileiros.

Uma palavra de agradecimento especial a cada companheiro, representado pelos tantos que estão aqui, e o faço na figura do senador Aloysio Nunes, bravo companheiro de caminhada nessa jornada, homem público exemplar, com quem tive também o privilégio de compartilhar novas expectativas em relação ao Brasil.

Portanto, mais vivo do que nunca, mais sonhador do que nunca, eu deixo essa campanha, ao final, com o sentimento de que cumprimos o nosso papel. E repito, para encerrar, mais uma vez, São Paulo, porque é o que retrata para mim de forma mais clara o sentimento que tenho hoje na minha alma e no meu coração: “Combati o bom combate, cumpri minha missão e guardei a fé”. Muito obrigada a todos os brasileiros.”

Aécio comprova ser o mais preparado para governar o Brasil

Aécio mostrou mais uma vez que é o candidato da mudança segura, respondeu perguntas de eleitores, apresentou propostas para o Brasil e apontou falhas na gestão atual.

“Eu sou o candidato da mudança, essa mudança que você e sua família querem ver no país. Mudança de valores, mudança na eficiência do Estado, e principalmente, na generosidade com que um governante deve tratar os brasileiros.”

Eleições 2014

Fonte: PSDB

Aécio Neves é o mais preparado para ser presidente do Brasil

Aécio: “Eu sou hoje já um vitorioso, que, como disse São Paulo, eu travei um bom combate, falei a verdade e jamais perdi a minha fé.” Foto: Erbs Jr/Folhapress

Leia também:

Aécio recebe ameaças de morte e pede investigação

Vale tudo do PT: campanha movida a MENTIRAS

Aécio comprova em debate da Globo: é o mais preparado para ser presidente do Brasil

“Vamos revolucionar a educação no Brasil”, afirma candidato

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, participou, na noite dessa sexta-feira (24/10), de debate promovido pela Rede Globo. Durante uma hora e cinquenta minutos, Aécio mostrou mais uma vez que é o candidato da mudança segura, respondeu perguntas de eleitores, apresentou propostas para o Brasil e apontou falhas na gestão atual, como o descontrole da inflação. Ao falar sobre os casos de corrupção na Petrobras, Aécio afirmou: “Existe uma medida que está acima de todas as outras para acabar com a corrupção do governo: vamos tirar o PT do governo”.

Verdade e fé

Chego ao final dessa campanha de pé, honrado pelo apoio, pelas manifestações de carinho de confiança no nosso projeto. Não sou hoje um candidato de um partido político. Eu sou o candidato da mudança, essa mudança que você e sua família querem ver no país. Mudança de valores, mudança na eficiência do Estado, e principalmente, na generosidade com que um governante deve tratar os brasileiros. Estou extremamente honrado em ter podido andar por esse país e visto uma coisa nova surgindo, uma emoção nova, uma confiança nova. Não posso deixar de lembrar que, há 30 anos, acompanhando o meu avô Tancredo, fiz essa mesma caminhada pelo Brasil. Ele, infelizmente, não teve o privilégio de assumir a Presidência da República. Quero dizer a você, minha amiga, meu amigo, de todas as partes desse país: se eu merecer a sua confiança e o seu voto no próximo domingo, esteja certo que subirei a rampa do Palácio do Planalto com a mesma coragem, com a mesma determinação, com o mesmo amor ao Brasil, com a mesma generosidade com que ele [Tancredo] nos conduziu à democracia. Eu sou hoje já um vitorioso, que, como disse São Paulo, eu travei um bom combate, falei a verdade e jamais perdi a minha fé.

Campanha da calúnia

Essa campanha vai passar para a história como a mais sórdida das campanhas eleitorais do nosso sistema democrático, a calúnia, a infâmia, as acusações irresponsáveis foram feitas não em relação a mim, mas a Eduardo Campos, depois em relação à Marina, agora em relação a mim, isso é um péssimo exemplo.

Corrupção na Petrobras

A revista [Veja] hoje publica que um dos delatores do “Petrolão” disse que a senhora e o ex-presidente Lula tinham conhecimento da corrupção da Petrobras. Dou a oportunidade, a senhora responder aos brasileiros. A senhora sabia, candidata, da corrupção na Petrobras?

Revista fora das bancas

Candidata, dei à senhora a oportunidade de apresentar sua defesa. Não acredito que a acusação à revista [Veja] ou a tentativa que seu partido fez hoje de tirá-la de circulação seja a melhor resposta. A delação premiada só traz ao réu o benefício se ele apresentar provas, caminhos que levem à comprovação das acusações. E temos que aguardar que isso ocorra. Uma outra revista, para ver que não há um complô contra a senhora, lança hoje na sua capa, a revista Isto É, fala da campanha da mentira, da campanha da infâmia.

Panfletos mentirosos

Hoje, no Rio de Janeiro, na sede do seu partido [PT], foram apreendidos boletins apócrifos contra a minha candidatura. Se o eleitor votar no 45 ele está desligado automaticamente do Bolsa Família. A senhora se orgulha, candidata, de uma campanha feita nesse nível?

Pelo fim da corrupção

Não houve qualquer ação do PT ou do governo para que essas ações pudessem avançar.  Eu vejo a candidata Dilma apresentar um conjunto de propostas que já estavam em tramitação no Congresso e não foram aprovadas até agora. Existe uma medida que está acima de todas as outras para acabar com a corrupção do governo: vamos tirar o PT do governo.

Fato inédito

Vamos mal na saúde. Vamos mal na segurança pública, com a omissão criminosa do governo federal. E vamos mal na educação. A senhora será a primeira Presidente da República pós Plano Real que deixará o país com uma inflação maior do que aquela que recebeu.

Conquistas da população

Pessoas que estão na lista para receber o benefício do Minha Casa, Minha Vida têm recebido comunicados dizendo que serão desligados da lista caso o PSDB ganhe a eleição. Isso não é verdade. Vamos não só manter, mas aprimorar o Minha Casa, Minha Vida. Não se pode apropriar de um programa, eles são conquistas da população. O que não vamos fazer é o Bolsa Empresário. Vamos ampliar esses programas. Esse é o grande desafio. Vamos permitir que você tenha direito a ter uma casa digna.

Dívida com CEF e BB

Quem tem responsabilidade e compromisso com o controle da inflação, com a gestão profissional dos bancos públicos, somos nós. O seu governo deve à Caixa Econômica Federal mais de R$ 10 bilhões, deve ao Banco do Brasil R$ 8 bilhões do crédito safra, porque seu governo descontrolou a economia do país, candidata, esta é a realidade incontestável.

Investimentos

Temos uma taxa de investimento hoje de 16,5% do PIB, a pior da década, porque o governo afugentou os investimentos, e a inflação infelizmente está de volta. A situação do Brasil é extremamente grave, candidata, e é preciso que seu governo reconheça isso.

Fracasso

O governo do PT, o governo da candidata Dilma Rousseff, fracassou na condução da economia, pois nos deixará uma inflação saindo de controle, por mais que ela não reconheça, um crescimento pífio. Fracassou na gestão do Estado nacional, com sobrepreços e fortes denúncias de desvios por toda a parte, e fracassou na melhoria dos nossos indicadores sociais. Lamentavelmente, candidata, este é o retrato do Brasil real.
 
Porto de Cuba

O seu governo optou em gastar R$ 2 bilhões em um porto de Cuba. O que seu governo tem a esconder em relação ao porto de Mariel, em Cuba. Recebi um documento hoje, do Ministério de Desenvolvimento Econômico, que diz que o prazo para este investimento foi diferente de outros: foi de 20 anos. O governo aceitou que essas garantias fossem dadas em dinheiro cubano, em um banco numa ilha, de um país que não respeita os direitos humanos. É justo isso?

Aposentadoria

O Brasil envelhece, mas não tem hoje a proteção necessária aos idosos. Vamos rever o fator previdenciário para que não puna, como vem punindo, a renda dos aposentados. E melhorar a vida do aposentado, por exemplo, incluindo a cesta de remédios na aposentadoria. [Vamos também] melhorar a remuneração dos profissionais que trabalham em casas de repouso de terceira idade.

A melhor educação

Conseguimos fazer com que Minas tivesse a melhor educação do Brasil. A minha proposta é fazer isso em todo o Brasil. Vamos começar pelas creches, e as creches que tiverem recurso público no nosso governo vão ficar abertas até oito horas da noite, como a pré-escola, que também com qualidade ficarão abertas até esse horário. Vamos qualificar o ensino médio flexibilizando os currículos. É muito importante que a pessoa se forme para uma atividade que vai exercer na região onde a família more.

Revolução na educação

É muito importante, compromisso do meu governo, apoiar a qualificação e a remuneração dos professores. O meu governo vai apoiar aqueles municípios e Estados que remuneram pior os seus professores, que têm dificuldades financeiras de dar um salário melhor e uma qualificação melhor a seus professores. Vamos revolucionar a educação no Brasil.

Mutirão de Oportunidades

Temos hoje no Brasil cerca de 20 milhões de jovens que ou não completaram o ensino fundamental ou não completaram o ensino médio. Vamos permitir que ao longo dos próximos dez anos todos que se dispuserem receberão uma bolsa de estudos para concluírem o ensino fundamental e depois o ensino médio. Quero criar o Poupança Jovem, um recurso que é depositado na conta dos alunos do ensino médio que só pode ser sacado ao final do curso para que tenha um estímulo a mais para concluir sua formação.

Pronatec

O Pronatec é um inspiração de programas, como feitos em São Paulo. As Etecs, do governador Geraldo Alckmin, do governador José Serra, o PEP (Programa de Educação Profissional],  em Minas Gerais, inspiraram o Pronatec. Agora, falta fiscalização. Essa última semana, as denúncias em relação ao Pronatec são graves, candidata. Vocês contabilizam o aluno quando ele entra, e, se ele ficou semana ou duas semanas e depois saiu, ele continua fazendo parte da estatística. Vamos aprimorar esses programas, aumentando a carga horária, mais de 70% desses cursos têm uma carga horária de cerca de 160 horas, muito pouco para a formação. Eu quero mais. Eu quero que o aluno frequente o Pronatec, mas complete seu ciclo de estudo no ensino médio.

Fundo de Assistência
 
A diretora de Assistência Social do seu governo confirmou essa semana numa reunião com prefeitos em Minas Gerais que os repasses do Fundo Nacional de Assistência estão atrasados em três meses. Esse fundo na verdade atende aos programas de assistência, recursos para entidades que prestam a primeira atenção às pessoas que mais necessitam.

Apaes

Em relação ao orçamento voltado às pessoas com deficiência, foi executado em apenas 11% do que foi aprovado até aqui. No nosso governo, isso não vai acontecer. As Apaes serão fortalecidas.

Crise hídrica

Essa falta de planejamento é uma vergonha. E a vergonha é em todas as regiões do Brasil e isso é uma marca do seu governo. A transposição do rio São Francisco era para ter sido concluída em 2010. Estamos em 2014. Temos hoje um custo Brasil altíssimo, e quem é punido é o cidadão. Tivemos a maior crise hídrica dos últimos 80 anos. O governo de São Paulo fez o que estava ao seu alcance. E o povo decidiu nas urnas quem estava com a razão. Infelizmente, não tivemos a parceria da Agência Nacional de Águas [ANA].

Agricultura Familiar

O Pronaf foi criado no nosso governo, o maior instrumento de agricultura familiar que o Brasil já viu. Vamos debater o Brasil daqui para frente. A crise é gravíssima. O Brasil é um país produtivo da porteira para dentro.

Campanha milionária

A candidata aqui nos brinda com uma pérola. Quer dizer que a senhora é contra o financiamento empresarial? Seu partido não tem autoridade para falar sobre isso. Sua campanha é milionária. O seu coordenador pediu o aumento do teto dos gastos porque não há mais onde colocar dinheiro.

Brasil sem governo

A Folha de S.Paulo publicou há poucos dias que, em uma sexta-feira, dos seus 39 Ministérios, apenas 15 ministros estavam trabalhando. E que a senhora, ao longo dos últimos 35 dias, segundo um jornal de hoje, foi duas vezes ao Palácio do Planalto. Quem está governando o Brasil, candidata?

Agronegócio

Meu compromisso com agronegócio não é um compromisso que vem de agora, é um compromisso que eu trago comigo desde a minha formação em Minas Gerais. Vamos ter uma política agrícola baseada no crédito, no seguro, e, no respeito, na segurança jurídica no campo.

Etanol

Candidata, a senhora permitiu que no seu governo um dos setores de maior potencialidade do país, o etanol, fosse destruído. Cerca de 70 usinas deixaram de moer, o desemprego chega no Nordeste brasileiro, nas regiões mais pobres que fornecem a cana-de-açúcar.

Ministério da Agricultura

Temos que ter uma política agrícola, que, em primeiro lugar, tire o Ministério da Agricultura desse loteamento político a que ele foi submetido. Criarei o superministério da Agricultura e lá estarão pessoas conectadas com o setor, que têm autoridade para sentar-se com o ministro da Fazenda para definir política econômica; com o ministro do Planejamento, para definir orçamento; e com o ministro da Infraestrutura, para definir os investimentos em logística, que garantam maior competitividade a quem produz no Brasil.

Mensalão
 
Infelizmente, vamos às urnas sem que saibamos o que a candidata, o que a cidadã Dilma Rousseff acha em relação ao Mensalão. Talvez por dificuldades com seus companheiros de partido. Aqui os brasileiros possam fazer esse julgamento.

Saneamento básico

Não vou terceirizar responsabilidades. Vou fazer o que foi prometido. Mais de 52% dos municípios brasileiros não têm esgotamento. O primeiro deles é desonerar as empresas responsáveis pela coleta de esgoto. Hoje, 7 milhões dos domicílios não têm sequer um banheiro em casa. É fundamental, sim, fazer parcerias com os municípios, mas é preciso de uma contrapartida mais clara.

Segurança pública

Proibição de represamento de recursos para a segurança pública. Ampliar a segurança de fronteiras para impedir a entrada de armas e drogas. Temos de fazer uma profunda reforma do nosso Código Penal e Código de Processo Penal. As nossas fronteiras estão desguarnecidas. Hoje, nossos Estados têm que fazer uma ação para conseguir verbas federais. Eu tenho um projeto como senador que obriga que todo recurso de segurança pública seja aplicado e que cada Estado tenha como melhorar seu efetivo. O recurso para o programa de combate ao uso de crack do governo, por exemplo, apenas 40% dele foram aplicados.

Combate às drogas e tratamento

Nossos Estados têm que fazer uma ação para conseguir verbas federais. Eu tenho um projeto como senador que obriga que todo recurso de segurança pública seja aplicado e que cada Estado tenha como melhorar seu efetivo. O recurso para o programa de combate ao uso de crack do governo, por exemplo, apenas 40% dele foram aplicados. Também quero criar o Poupança Jovem – que é para os que abandonaram a sala de aula e querem voltar a estudar.
 
Desmentido

A senhora [candidata do PT], no último debate, fez uma ofensa aos fatos e teve o constrangimento, acredito eu, de ler no dia seguinte um documento do conselheiro do Tribunal de Contas dizendo que aprovou as nossas contas – aliás, foram aprovadas por unanimidade –, pela correção dos nossos investimentos, candidata. Quem não gasta em saúde é o seu governo. Em 2009, o TCU pediu que vocês retirassem do cálculo do gasto com saúde recurso para o Bolsa Família. Essa é a grande realidade. Vocês demoraram a regulamentar a emenda 29 muito mais do que era cabível, aceitável. Minas Gerais é um Estado extraordinário, que só cresce, tem a melhor educação fundamental do Brasil, a melhor saúde da região Sudeste, porque teve um governador muito correto, candidata.

Denúncias em Minas Gerais

Se a senhora quer falar sobre o mensalão mineiro, vamos aguardar que ele seja julgado. A senhora antecipou algo que possa lhe causar constrangimento. O principal acusado é o coordenador da sua campanha em Minas Gerais [Walfrido Mares Guia].

Energia para o futuro

Minha energia está focada no Brasil do futuro. O que aconteceu com o Brasil hoje? Estamos na lanterna do crescimento. País que não cresce não gera empregos e principalmente empregos mais qualificados. Estamos vendo o desmonte da indústria nacional. Mais de 1 milhão de empregos nas indústrias deixaram de existir e são empregos para pessoas mais qualificadas. Temos de tratar da qualificação de todos. O atual governo deixou de gerar confiança. A Fundação Getúlio Vargas mostra que os investidores vêm perdendo a confiança no mercado brasileiro.

PSDB pede explicações sobre estado de saúde de doleiro

PF e o advogado de Youssef informaram que ele foi encontrado desmaiado na cela e levado para UTI do hospital  Santa Cruz, em Curitiba.

Sob suspeita

Fonte:  PSDB

PastedGraphic-5-1-e1414285231674

 

Leia também:

Petrolão: Lula e Dilma sabiam de tudo, revela doleiro

Doleiro vai entregar contas do PT em paraísos fiscais

COLIGAÇÃO MUDA BRASIL

Nota à Imprensa

Coligação Muda Brasil quer detalhes sobre saúde do doleiro Youssef

O coordenador jurídico da Coligação Muda Brasil, deputado Carlos Sampaio, criticou a falta de informações sobre o estado de saúde e os motivos que levaram à internação o doleiro Alberto Youssef, na tarde deste sábado.

De acordo com a Polícia Federal e com o advogado de defesa de Youssef, ele foi encontrado desmaiado na cela e levado para o hospital Santa Cruz, em Curitiba, onde estaria na UTI. No entanto, nenhum boletim foi divulgado.

Para Sampaio, essas informações são de extrema relevância para o país, já que a hospitalização do doleiro ocorreu depois da divulgação do depoimento em que ele revelou que a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula sabiam do esquema de corrupção na Petrobras.

“Dada a gravidade das informações prestadas por ele, é importante que sejam esclarecidos ao país qual o seu quadro de saúde e o tratamento pelo qual está passando. Afinal, ele é uma testemunha-chave do esquema de corrupção na Petrobras e foi firme ao denunciar que Lula e Dilma sabiam de tudo. O mínimo que se exige, numa circunstância dessas, é que o país seja informado daquilo que, de fato, aconteceu com ele.

Leia mais:

Vale tudo do PT: campanha movida a MENTIRAS

Petrolão: PSDB entrará com representação criminal para apurar denúncias da Veja

Representação na Procuradoria Geral da República correrá em virtudes das denúncias publicadas pela Revista Veja na edição deste final de semana. Doleiro revela que Lula e Dilma sabiam tudo sobre o Petrolão.

Escândalos do PT

Fonte: PSDB

Veja: PSDB entrará com representação criminal para aparar denúncias

A revista Veja que chegou às bancas, nesta sexta-feira (24/10), divulgou reportagem em que cita trechos do depoimento prestado pelo doleiro Alberto Youssef.

Leia também:

Petrobras. Doleiro revela: Lula e Dilma sabiam de tudo

COLIGAÇÃO MUDA BRASIL

Nota Oficial

A revista Veja que chegou às bancas, nesta sexta-feira (24/10), divulgou reportagem em que cita trechos do depoimento prestado pelo doleiro Alberto Youssef no âmbito da Operação Lava Jato e de sua delação premiada, acordada entre a Polícia Federal e o Ministério Público Federal.

Dentre as informações citadas pelo doleiro, há graves acusações de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a atual presidente da República e candidata à reeleição, Dilma Vana Rousseff, ambos do Partido dos Trabalhadores (PT) tinham pleno conhecimento das irregularidades ocorridas na Petrobras, dentre as quais o desvio de recursos da empresa, o pagamento de propinas (que, segundo o delator, era feita a mando do Partido dos Trabalhadores para parlamentares de sua base aliada) e o superfaturamento de obras para viabilizar tais desvios.

Além disso, são mencionadas operações milionárias ilegais feitas a pedido do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, o que revela a relação direta das operações criminosas investigadas com as ações do partido em benefício de seus maiores expoentes, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

Conforme narrado pelo doleiro e de acordo com a reportagem divulgada, um dos fatos mais graves diz respeito ao contato de um dos coordenadores da campanha à reeleição da atual Presidente Dilma Vana Rousseff com o doleiro Alberto Youssef, requerendo a repatriação de R$ 20 milhões que se encontravam em uma das contas do PT no exterior e que teria como destino a campanha presidencial do partido.

Ainda segundo Youssef, ele era o operador das contas correntes mantidas pelo PT no exterior, sendo o responsável por seu abastecimento — com parte de recursos desviados da Petrobras, por exemplo — e por sua operação. Ainda de acordo com a reportagem, tal operação não teria sido concluída pelo Sr. Alberto Youssef única e exclusivamente porque foi preso antes de concluir a operação.

Tais fatos são por si só graves e indicam, caso confirmados, o cometimento de diversos crimes pelos dirigentes do PT.

  • Lavagem de dinheiro (Lei nº 9.613/98, Art. 1º: Ocultar ou dissimular a natureza, origem, localização, disposição, movimentação ou propriedade de bens, direitos ou valores provenientes, direta ou indiretamente, de infração penal);
  • Corrupção passiva (Código Penal, artigo 317);
  • Corrupção ativa (Código Penal, artigo 333);
  • Peculato (Código Penal, art. 312);
  • Prevaricação (Código Penal, art. 319);

– Crimes contra a ordem econômica tipificados na Lei nº 8.137/90, decorrentes da ocultação de contas e valores no exterior.

Vale dizer que, ao se confirmar que todas as infrações narradas pelo doleiro ocorriam com o conhecimento dos Srs. Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Vana Rousseff, há que se realizar um aprofundamento das investigações para verificar a sua participação nos ilícitos, seja como partícipes, co-autores ou beneficiários. Importante ressaltar que, de qualquer forma, há responsabilidade criminal a ser perquirida.

Por fim, é necessário apurar se a repatriação de recursos financeiros do exterior se concretizou, ainda que por meio de outro operador, pois, caso se confirme o ingresso de R$ 20 milhões de recursos ilegais em benefício da campanha de Dilma Rousseff, restará caracterizado o abuso de poder econômico nestas eleições. Além disso, a obtenção de recursos de procedência estrangeira por partido político poderá levar à extinção do Partido dos Trabalhadores.

Por essas razões, ingressaremos com Representação Criminal perante a Procuradoria Geral da República requerendo o aprofundamento das investigações.

Carlos Sampaio

Coordenador Jurídico da Coligação Muda Brasil

%d blogueiros gostam disto: