Arquivos do Blog

Aécio diz que será eleito com a força de Minas

Aécio: “Aqui na Praça da Estação foi onde tudo começou e é por isso que eu digo a vocês, no próximo domingo, com a força de MG, serei eleito”.

Eleições 2014

Fonte: PSDB

Aécio: ‘Com a força de Minas serei eleito’

Aécio agradeceu às inúmeras manifestações de apoio que tem recebido de todo o país. Foto: Bruno Magalhães.

“Com a força de Minas serei eleito presidente”, diz Aécio

Lideranças de diversos segmentos da sociedade, artistas confirmam que Aécio é o candidato mais preparado para realizar as mudanças no Brasil

Diante de um público de cerca de 20 mil pessoas, na Praça da Estação, Centro de Belo Horizonte, o candidato da coligação Muda Brasil à Presidência, Aécio Neves, reafirmou a sua certeza, a quatro dias da eleição de que será eleito com a força de Minas. Emocionado, ao lado da mãe, Inês Maria, e de diversas lideranças políticas de todo o Estado, Aécio agradeceu às inúmeras manifestações de apoio que tem recebido de todo o país.

“Tenho andado muito pelo Brasil, mas hoje, para mim se realiza o ato mais importante de toda essa caminhada. Nesse exato instante, os olhos de todo o Brasil estão postos sobre essa histórica Praça da Estação. Aqui nos encontramos com a nossa história, com os nossos valores, mas também com o nosso futuro, de dignidade, trabalho e responsabilidade. Foi aqui onde tudo começou e é por isso que eu digo a vocês mineiros, para que todo o Brasil nos ouça, no próximo domingo, com a força de Minas, serei eleito presidente da República”.

A cada afirmação do candidato, a plateia respondia em coro “eu acredito”. A confiança na mudança representada por Aécio Neves vem sendo ampliada a cada dia, durante os últimos meses de campanha. Durante o comício realizado nessa quarta-feira (22/10), lideranças de diversos segmentos da sociedade entregaram ao candidato seis manifestos de apoio à sua candidatura, certos de que Aécio será o presidente com maior capacidade para governar o país.

Representando todas as lideranças políticas presentes ao evento, o ex-governador de Minas e senador eleito, Antonio Anastasia, discursou e reforçou a sua convicção de que Minas dará a Aécio uma vitória expressiva nas urnas.

“Tenho certeza de que Minas dará uma vitória retumbante, para calar a boca desses que vêm aqui falar contra Minas e contra os mineiros. Não toleramos isso e a resposta virá nas urnas e virá forte no próximo domingo. Tenho certeza de que Aécio será o presidente que irá unir o Brasil”, disse.

No palco montado na Praça, artistas das mais diversas áreas e atletas também declararam seu apoio ao candidato, entre eles atores Milton Gonçalves e Cláudia Rodrigues, os cantores Fagner, César Menote e Fabiano, Don e Juan, Lelo do Skank, Podé do Tianastácia, o compositor Fernando Brant. E entre as milhares de pessoas que compareceram ao comício, a demonstração de confiança de que Aécio é o candidato mais preparado para governar o país e que não vão se deixar contaminar pelas acusações da campanha adversária.

Veja os depoimentos:

Júlio Baptista, jogador do Cruzeiro

“É grande a expectativa para domingo. Aécio cresceu nas pesquisas e hoje é o candidato mais forte, demonstrando que é o mais preparado para conduzir o Brasil. Apoiamos Aécio porque acreditamos nele e sabemos que é o melhor para o que Brasil avance ainda mais”.

César Menotti – músico

“Estamos cheios de expectativa, aliás, anseio por esse momento há alguns anos, e acredito que Aécio é o ‘cara’ mais preparado para ser o presidente da República e temos a convicção de que tudo vai dar certo”.

Fabiano – músico

“Aécio chegou com tudo para o segundo turno e isso mostra a sua força. Moro em Minas Gerais há quase 20 anos, sei quem é Aécio, sua história, do carinho que minha família tem por ele e tenho certeza que vai ser uma grande mudança para o Brasil. Nossa esperança está depositada nele”.

Fernando Brant, compositor

“Vamos vencer as eleições e mudar o Brasil, esta é certeza que tenho para o próximo dia 26 de outubro. Aécio é o nosso líder, se preparou para ocupar este cargo, é íntegro, bom administrador, tem visão e é a favor da liberdade, da cultura. Apenas ele irá recolocar o Brasil nos eixos”.
Fagner, cantor e compositor

“Sempre fui adotado pelo povo mineiro e me sinto na obrigação de vir aqui para dar meu apoio, abraço e confiança. Estamos com Aécio nas eleições”.

Don e Juan, músicos

“Hoje é um dos momentos mais importantes da minha vida. Este momento é histórico para o Brasil, ter a oportunidade de eleger um brasileiro decente. Meu apoio a Aécio é incondicional, e domingo estamos com o coração esperançosos de que todos nós brasileiros vamos viver novos tempos”.

Milton Gonçalves, ator

“Aécio é o mais transparente, uma pessoa nova no poder, que traz ideias claras na política, um projeto, carinho, afeto e desejo de servir ao povo brasileiro”.

Cláudia Rodrigues, atriz

“O momento é do Aécio, o Brasil precisa dele para as mudanças adequadas, para dar mais decência e acabar com o que está aí. É isso que a gente precisa”.

Lelo Zanneti, músico do Skank

“Aécio foi exemplo de gestão em Minas, é bem preparado. Neste momento de escândalos e corrupção, é necessário mudar e sabemos da sua capacidade e sambemos que ele vai propor bons projetos. Precisamos caminhar e olhar para a frente”.

Luiz Carlos Miranda, presidente da Força Sindical Minas  

“Sempre apostei na possibilidade que o povo brasileiro tem de se libertar do PT e das roubalheiras que ocorre por todo o Brasil. Aécio é qualificado e, em Minas Gerais, foi um grande gestor. Por isso, entendemos que Aécio é qualificado para consertar o Brasil. Estamos trabalhando para o que Brasil se liberte das amarras do PT no próximo domingo”.

Caroline Caldeira, funcionária pública

“Vim aqui hoje porque sou Aécio 45 e o Brasil precisa de mudança. Chega do que está aí, dessa mesmice. Assisti todos os debates, acho que ele é o que está mais bem preparado. Chega de PT, agora é Aécio”.

Tuca Barulli, funcionária pública

“Eu quero que o Aécio ganhe essa eleição porque ele tem as melhores propostas e eu quero mesmo é que tire quem está roubando não admito o voto nas pessoas que vão deixar o brasil continuar nesse roubo, isso tem que terminar, esse assalto no brasil.

Jane Pereira da Costa, auxiliar de serviços gerais

“Acho que a proposta dele está muito boa. Meu pai é aposentado, ele aposentou com cinco salários mínimos e agora recebe dois. O salário dele está muito defasado. Ele era Dilma, agora é Aécio e todo mundo lá em casa é Aécio. A Dilma ficou quatro anos e não fez nada.”

Rita Singulane, servidora pública

“Eu tenho um filho de três anos e não quero deixar para o meu filho esse Brasil que não valoriza o dinheiro público, que tem muita corrupção, muita sujeira, só lama. É essas mentiras são um absurdo, não atacam o político Aécio, mas a pessoa do Aécio”.

Isaura Malta, funcionária pública

“Meu voto é do Aécio porque acho que ele é o melhor candidato. Minas está abandonada há 12 anos e ele vai olhar por Minas. Ele é visivelmente bem preparado, já vem no Executivo há anos, Dilma está ali porque caiu de paraquedas. Ele tem as propostas dele e os ataques são de quem não tem o que falar”.

Silberto Sette, pintor e escultor.

“Sou voluntário desde o início da campanha. Conheço o Aécio há 30 anos, ele se preparou para ser presidente. Ele trabalhou muito bem em Minas Gerais e esses ataques são porque os adversários estão com medo e ficam inventando mentiras. A minha família não vota na Dilma Rousseff, que não honra Minas Gerais. Aécio Neves é o próximo presidente da República, Minas vai dar a resposta nas urnas”.

Marcelo Azevedo, advogado

“Sou brasileiro, acredito na mudança e quem pode fazer é Aécio. É o mais preparado, competente, correto e mineiro”.

Maurício Dias, engenheiro

“Hoje é um dia muito importante para o futuro do Brasil, estamos decidindo o nosso destino, e o Aécio é o mais preparado para fazer o Brasil crescer novamente”.

Papo Reto: Aécio reúne 1.000 jovens em Belo Horizonte

Aécio reafirmou de levar ao país o programa Poupança Jovem, que implantou como governador e que garante uma bolsa a quem voltar aos estudos.

Eleições 2014

Fonte: PSDB

Papo reto: Aécio tem encontro com jovens em BH

Jovens participam de Papo Reto com Aécio, Pimenta e Anastasia. Tucanos divulgaram os programas e propostas de Educação do PSDB. Foto: Marcos Fernandes.

Aécio Neves participa de encontro  com 1.000 jovens em Belo Horizonte

Mais de 1.000 jovens participaram, nessa quinta-feira, (11/09), de encontro com o candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves. No “Papo Reto”, Aécio destacou que os investimentos voltados para a juventude são um olhar para o futuro do país e, assim como no seu governo em Minas Gerais (2003 a 2010), ocupam importante espaço no seu programa para governar o Brasil.

Aécio reafirmou a decisão de levar a todo o país o programa Poupança Jovem, que implantou como governador e que garante uma bolsa a quem retomar os estudos do ensino médio. “A bolsa é uma forma de estimular o jovem a ir até o final [do curso]”, afirmou. A bolsa corresponde a um salário mínimo e obriga o estudante a comprovar a frequência às aulas.

Aécio também assumiu o compromisso de melhorar o ensino público no país. “Nós vamos fundar a Nova Escola Brasileira, uma escola com currículo modernizado, uma escola equipada adequadamente, uma escola que valoriza os professores”, explicou o candidato.

No Papo Reto, o candidato ouviu o depoimento de vários participantes de iniciativas criadas durante seu governo para a juventude, como o programa Vozes do Morro, que incentiva projetos artísticos em comunidades carentes de Belo Horizonte.

Ralph Rodrigues, um dos integrantes do programa, elogiou o trabalho que é feito. “O programa é magnífico, abriu várias oportunidades para o pessoal do Morro”, disse. Também estiveram no evento participantes de outros programas, como o Fica Vivo, que atende jovens em áreas de vulnerabilidade social, com a finalidade de evitar que os adolescentes sejam atraídos pela criminalidade.

Aécio estava acompanhado do candidato ao Governo de Minas Gerais, Pimenta da Veiga, e do ex-governador e candidato ao Senado, Antonio Anastasia.

O músico Henrique Portugal, do Skank, e o humorista Marcelo Madureira, do Casseta e Planeta, participaram do encontro e defenderam a maior participação dos jovens na política, pedindo que eles buscassem conhecer melhor as propostas de Aécio, Pimenta e Anastasia, antes de decidir o voto.

“Hoje é o dia e o lugar ideais para que vocês conheçam cada um dos candidatos, que são os meus candidatos”, afirmou Portugal.  Já Marcelo Madureira afirmou que os jovens podem exercer a política multiplicando as informações. “Política se faz o tempo todo e hoje ainda mais, por meio das redes sociais. Cada cidadão é um voto que irá se multiplicar uma, duas, dez vezes. E essa é a verdadeira política”, disse Madureira.

Aécio foi abraçado pelos jovens, fez “selfies” e alertou que, para realizar todas as mudanças de que o Brasil precisa, os jovens não devem ficar distantes e descrentes do processo político. Segundo ele, a motivação para a vida pública parte do princípio de que é preciso disposição.

“Tenho a determinação enorme de fazer política como um instrumento de transformação na vida das pessoas”, afirmou, depois de acompanhar o depoimento de diversos jovens que participaram de programas desenvolvidos pelo governo de Minas.

Para Aécio, o relato das experiências dos jovens que fizeram parte dos programas do Governo de Minas dedicados à juventude, aumentou a sua convicção sobre o acerto na escolha de se dedicar à política. “São pequenos exemplos de uma dimensão extraordinária e que mudam a vida das pessoas”, disse.
Nova oportunidade de futuro

Participantes dos programas Fica Vivo!, Poupança Jovem, Valores de Minas e Vozes do Morro falaram da importância desses projetos para as suas vidas. O oficineiro Emerson “Som”, por exemplo, contou que o Fica Vivo mudou a sua história.

“Eu vejo jovens sendo transformados todos os dias. O Fica Vivo! salvou milhares de vidas ao longo desses anos”, afirmou. “Foi a melhor coisa que nos aconteceu. Valeu muito a pena”, disse Mércia Forsan, beneficiada pelo Poupança Jovem.
 
Programas para a Juventude

Durante sua gestão no Governo de Minas (2003-2010), Aécio Neves implantou uma série de programas para reduzir a criminalidade entre os jovens, principalmente em áreas de vulnerabilidade social. Entre eles, está o Fica Vivo!, que se transformou em uma das ações mais bem-sucedidas em execução no país na prevenção à violência. O programa obteve reconhecimento internacional como exemplo de prevenção à violência e redução da criminalidade. Atualmente, o Fica Vivo! está em 35 centros em todo o Estado.

Outra iniciativa inovadora e que vem oferecendo  oportunidades para a realização dos sonhos dos estudantes do ensino médio da rede estadual mineira é o Poupança Jovem. Entre 2007 e 2013, o programa já conseguiu beneficiar mais de 100 mil jovens em Minas. O programa contou com investimentos de mais de R$ 380 milhões. O objetivo principal são alunos que residem em locais com alto índice de evasão escolar e vulnerabilidade social, como um incentivo ao bom desempenho escolar para garantir uma nova perspectiva de futuro. A ideia é que com os recursos, os jovens tenham condições de dar continuidade aos estudos ou abrir um negócio próprio.

Pelo Plug Minas, Centro de Formação e Experimentação Digital, 6.200 jovens tiveram oportunidade para desenvolver seus talentos e habilidades em áreas artísticas e tecnológicas. Entre 2009 (quando foi inaugurado) e até dezembro de 2013 os jovens fizeram cursos gratuitos nas áreas de empreendedorismo, artes design, novas tecnologias e idiomas. Podem participar do PlugMinas, mediante seleção, jovens de 14 a 24 anos que estudam ou se formaram na rede de ensino de Minas Gerais e que moram em Belo Horizonte ou Região Metropolitana.

Legado de Aécio Neves: Circuito Cultural Praça da Liberdade

Complexo foi criado para promover a diversidade cultural do Estado, levando mais cultura e conhecimento para a população mineira.

Circuito Cultural Praça da Liberdade

Circuito Cultural Praça da Liberdade é legado de Aécio

O Circuito Cultural Praça da Liberdade possui 12 espaços que abrigam museus, salas de exposição, teatro, observatório astronômico e planetário, biblioteca, livrarias, restaurantes e cafés. Foto: Bruno Magalhaes / Divulgacao

Fonte: Jogo do Poder

Aécio Neves deixou como legado aos mineiros o maior complexo cultural do Brasil

Turistas que visitam a capital mineira ganham novas opções de museus e centros culturais

Arte, ciência, memória e entretenimento estão reunidos no maior complexo cultural do país e um dos maiores legados de Aécio Neves para os mineiros: o Circuito Cultural Praça da Liberdade. Implantado no entorno de um dos principais cartões postais de Belo Horizonte, a Praça da Liberdade, o circuito foi criado para promover a diversidade cultural do Estado, levando mais cultura e conhecimento para a população mineira.

Os antigos prédios públicos, que sediaram durante mais de um século as secretarias de Estado, abrigam hoje museus, salas de exposição, teatro, observatório astronômico e planetário, livrarias, restaurantes e cafés.

Formado por 12 espaços culturais abertos ao público, com entrada franca, o Circuito surgiu a partir da ideia do ex-governador Aécio Neves (2003-2010) de transferir a sede do Governo de Minas Gerais para a Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, no bairro Serra Verde, Vetor Norte da capital.

Em parceria com a iniciativa privada, o governo do PSDB de Minas deu uma nova destinação para o rico patrimônio arquitetônico da Praça da Liberdade. Os prédios públicos foram desocupados e totalmente restaurados, sob a supervisão do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG).

Candidato da coligação Muda Brasil à Presidência da República, Aécio Neves, afirmou que o Circuito Cultural Praça da Liberdade transformou a praça do poder, na praça do povo.

“Criamos o Circuito Cultural da Praça da Liberdade para receber artistas mineiros, promovendo um rico intercâmbio com produtores culturais de outros estados brasileiros e do mundo. Neste espaço a música, a literatura, as artes plásticas, o teatro, a ciência e a história estão reunidos no mesmo espaço e abertos para que essas atividades sejam compartilhadas com o todos os cidadãos”, afirmou.

Atração durante a Copa

O Circuito Cultural já recebeu mais de 3 milhões visitantes e foi um dos principais atrativos culturais da capital para turistas brasileiros e estrangeiros durante a Copa do Mundo Fifa 2014, quando Belo Horizonte recebeu seis partidas da competição.

Todos os 12 centros culturais são integrados e têm uma pauta educativa, abrindo oportunidades para estudantes de escolas de todo estado aproveitarem o Circuito. Diariamente, o Circuito Cultural Praça da Liberdade além dos alunos de escolas públicas e privadas caravanas de turistas do interior de Minas vêm conhecer os espaços.

Ainda estão previstos novos espaços para o Circuito, como a Casa do Automóvel, o Centro de Ensaios Abertos e Centro Cultural Oi Futuro.

Função social

Artistas e público comemoram a iniciativa de Aécio Neves que trouxe mais atrações culturais para a capital mineira. O artista plástico Marco Túlio Resende considera brilhante a ideia de se aproveitar os prédios públicos. “Os prédios foram preservados e os espaços estão abertos para serem utilizados pela população com uma função social. É uma ideia que outros estados podem copiar”, disse.

Para o bailarino Rui Moreira, o Circuito será responsável pela formação cultural das próximas gerações.

“É muito bonito ver as novas gerações chegando e já tendo espaços para ocupar”, afirmou.

O grafiteiro Wagner Braccini destacou o pioneirismo do Circuito Cultural que aproxima as artes e se torna uma referência para os turistas.

“O Circuito agregou no mesmo espaço de convivência os diversos braços da cultura. É muito bacana você ter as artes cênicas, a ciência, a arte popular, o grafite ao lado de um Lorenzato. Quem mora na cidade e vai receber as pessoas o circuito é uma referência para os turistas”, disse.

A estudante de Ibirité, Ana Caroline dos Santos, ficou encantada com o que viu na Praça. “Vim estudar na praça com os amigos e fiquei encantada com o que vi. Não esperava que fosse tão bacana. Eu adorei os museus”, comentou.

Acompanhada dos filhos, a modelo Bruna Nunan não se cansa de passear pela Praça da Liberdade. “Transformar as secretarias em museus foi uma ideia maravilhosa. Esta praça que sempre foi legal para trazer as crianças e a família ficou ainda melhor”, completou.

MUSEUS E ESPAÇOS QUE INTEGRAM O CIRCUITO

Casa Fiat de Cultura

Instalada no Palácio dos Despachos, a Casa Fiat de Cultura recebe grandes mostras reunindo acervos dos mais importantes museus e coleções do Brasil e do mundo. Realiza palestras, sessões de cinema e atividades educativas e destaca-se por oferecer experiências qualificadas e enriquecedoras para o público. Sempre com programação gratuita, a Casa Fiat destaca-se pelo alto valor histórico, artístico e educativo da sua programação.

Centro Cultural Banco do Brasil

O prédio da antiga Secretaria de Estado de Defesa Social recebeu a quarta unidade do país do Centro Cultural Banco do Brasil. São 1.200 metros quadrados de área para exposição, teatro com 264 lugares, espaços para atividade audiovisual, música, dança, debates, conferências, oficinas, palestras e atividades interativas e educacionais. O CCBB conta ainda com amplo espaço de convivência, lazer e alimentação, além de loja para comercialização de produtos culturais.

Memorial Minas Gerais Vale

Parceria do Governo de Minas com a Vale, o Memorial Minas Gerais Vale está instalado no antigo prédio da Secretaria de Estado da Fazenda. São 31 salas com acervo que abrange desde a história geral do Estado, e toda a riqueza cultural a partir do século XVIII, até os dias atuais. Cenários reais e virtuais se misturam para enriquecer a experiência do visitante. Atenção especial para as salas dos grandes artistas mineiros.

MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal

O antigo prédio da Secretaria de Educação abriga o Museu das Minas e do Metal e importante acervo sobre mineração e metalurgia, duas das principais atividades econômicas de Minas. Com recursos tecnológicos, destaca, de forma lúdica e interativa, a importância dos metais e minerais no cotidiano das pessoas.  Em ambientes virtuais, o visitante interage com espaços criados para permitir intensa vivência pelo mundo dos metais.

Centro de Arte Popular – Cemig

O Centro de Arte Popular – Cemig funciona no prédio do antigo Hospital São Tarcísio, na Rua Gonçalves Dias. O espaço privilegia a riqueza e a diversidade das manifestações culturais populares, valorizando o trabalho dos artistas que traduzem no barro, na madeira e em outros materiais, o universo em que vivem. Exposição mostra obras de artistas de várias regiões de Minas como o Vale do Jequitinhonha. Abriga sala de exposições temporárias, loja de comercialização, Biblioteca e Sala Multiuso.

Espaço do Conhecimento UFMG

O Espaço do Conhecimento ocupa o antigo prédio da Reitoria da Universidade do Estado de Minas Gerais. Criado em parceria entre a UFMG, o Governo de Minas e a empresa de telefonia TIM, abriga grande galeria de exposição, Terraço Astronômico e Planetário, locais em que os visitantes podem conhecer técnicas de observação do céu. O museu tem fachada digital para exibição de trabalhos audiovisuais.

Centro de Formação Artística – Cefar Liberdade

Ambiente de criação, experimentação e reflexão, o Cefar Liberdade é voltado para o ensino da música e oferece aos alunos em formação a oportunidade de vivenciar experiências em apresentações para públicos e espaços distintos. Promove cursos livres, técnicos profissionalizantes e de extensão, capacitação, qualificação e atualização de crianças, jovens e adultos nas áreas de teatro, dança e música.

Horizonte Sebrae – Casa da Economia Criativa

O Horizonte Sebrae – Casa da Economia Criativa tem como objetivo ser um referencial de excelência na disseminação de informações sobre as relações entre criatividade, cultura, inovação, tecnologia e mercado. Ocupa antiga casa localizada na Rua Santa Rita Durão e atende às pessoas envolvidas em ações da economia criativa com orientação e capacitação gerencial, com o objetivo de aumentar a competitividade dos empreendedores da área.

Museu Mineiro

Localizado na Avenida João Pinheiro, o Museu Mineiro é uma construção do final do século XIX que revela a arquitetura que marcou oficialmente a fase inicial da cidade. Reúne 36 coleções oriundas de diversas instituições e de particulares. Destacam-se coleções do Arquivo Público Mineiro, Geraldo Parreiras, Pinacoteca do Estado de Minas Gerais, Iepha-MG, Jeanne Milde, Hidelgardo Meirelles, Irmã Renault, Rede Manchete e Servas.

Palácio da Liberdade

Sede histórica do Governo de Minas Gerais e antiga residência oficial dos governadores do Estado, o Palácio da Liberdade está aberto à visitação pública oferecendo roteiro histórico-cultural que permite conhecer a história de Minas. Prédio central do conjunto arquitetônico da Praça da Liberdade, o Palácio, em estilo neoclássico, conta com visitas orientadas com duração média de 50 minutos.

Arquivo Público Mineiro

Criado em Ouro Preto, em 11 de julho de 1895, o Arquivo Público Mineiro é a instituição cultural mais antiga de Minas – 119 anos. Abriga milhares de documentos de origem pública e privada dos períodos colonial, imperial e parte do republicano. O acervo abrange desde o século XVIII até o século XX com manuscritos, impressos, mapas, plantas, fotografias, gravuras, filmes, livros, folhetos e periódicos.

Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa

A Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa completou 60 anos com mais de 260 mil títulos, entre livros, jornais e revistas atuais e históricas e atende crianças, jovens, adultos, pessoas com deficiência visual, pesquisadores e outros públicos. Recebe cerca de 300 mil pessoas por ano em prédio projetado por Oscar Niemeyer. Tem amplo acervo digitalizado, salas de estudo e de pesquisa via internet, teatro e galeria de arte.

IDH Brasil: Nordeste avança

IDH Brasil: Apesar da melhora significativa, Nordeste tem cidade entre as 3 piores: Fernando Falcão (MA)

IDH Brasil: Norte e Nordeste

 

Fonte: Folha de S.Paulo

Norte e Nordeste têm maior avanço; SP é 6ª entre capitais

Alavancada por parque e turismo, Mateiros (TO) lidera ranking de melhora

São Caetano (SP), Águas de São Pedro (SP) e Florianópolis (SC) estão no topo do ranking desde 2000

As cidades que mais melhoraram seu IDHM estão no Norte e no Nordeste –regiões que também apresentaram reduções nas disparidades com Sul e Sudeste.

Mas as que dominam a liderança do ranking de desenvolvimento ainda são as mesmas desde 2000: em primeiro, São Caetano do Sul (SP), com 0,862; em segundo, Águas de São Pedro (SP), com 0,854; em terceiro, Florianópolis (SC), com 0,847, a capital mais bem colocada.

E as três piores seguem no Norte e NordesteMelgaço (PA), com 0,418, Fernando Falcão (MA), 0,443, e Atalaia do Norte (AM), com 0,450.

O ranking de melhora nominal é liderado, entre 2000 e 2010, pela cidade de Mateiros, no leste do Tocantins, que saiu de 0,281 para 0,607.

A 241 km de Palmas, ela tem 2.223 habitantes, é acessível somente por estrada de terra e foi impulsionada pelo crescimento do turismo e da agricultura extensiva.

Trata-se do principal destino dos turistas que vão para a região de dunas e cachoeiras que ficou conhecida após a criação, em 2001, do Parque Estadual do Jalapão.

A cidade teve avanços significativos na educação. Em 2000, apenas 34,6% das crianças de 5 a 6 anos frequentavam a escola. Dez anos depois, eram 75,6%.

O prefeito Júlio Mokfa (PR), que iniciou este ano seu primeiro mandato, atribui esses números à abertura de escolas municipais na zona rural.

O gerente do parque do Jalapão, João Miranda de Sousa, afirma que a melhora nos níveis educacionais do município está intimamente ligada ao turismo.

“As pessoas começam a querer aprender até outras línguas, por causa da vinda de estrangeiros”, afirma.

Na comparação proporcional, Aroeiras do Itaim (PI) teve a maior melhora no IDHM: 149,5%, de 0,208 para 0,519.

SÃO PAULO 

Entre capitais, São Paulo é a 6ª, empatada com Porto Alegre, com 0,805 –índice “muito alto”. Perde para Florianópolis, Vitória, Brasília, Curitiba e Belo Horizonte.

Seu índice de educação é “alto”. O de longevidade, “muito alto”, com expectativa de vida ao nascer de 76,3 anos. O de renda é “muito alto”, com uma renda mensal per capita de R$ 1.516,21.

Ribeirão Branco, município de 18 mil habitantes a 295 km da capital paulista, teve o pior IDHM (0,639) e a pior renda per capita (R$ 318,44) do Estado de São Paulo.

economia baseada na agricultura familiar e as dívidas dos produtores explicam, em parte, a posição. A prefeitura também alega ter dívidas previdenciárias que comprometem a capacidade de investimento.

Novo Mineirão 2014: estádio verde e sustentável

Novo Mineirão 2014: projeto do Governo de Minas contemplou a sustentabilidade. Água da chuva será reaproveitada

Novo Mineirão 2014: Gestão Pública Eficiente – Governo de Minas

Fonte: Veja BH

Reforma corrigiu problemas históricos do Mineirão

Estádio não tem mais visão comprometida nas arquibancadas inferiores e o encontro de torcidas rivais

 Novo Mineirão 2014: estádio verde e sustentável
Sem tumulto

A cena dos torcedores e vendedores ambulantes disputando espaço com os carros no estacionamento ficou no passado. A nova garagem subterrânea é dividida em setores – cada torcida terá a sua. Também há por lá uma área para quem estiver disposto a pagar por serviços diferenciados. Consta no manual da Fifa: “Atrair vips é essencial para o sucesso financeiro de um estádio moderno”.

Pelo manual de recomendações da Fifa, um estádio para a Copa do Mundo deve ser central, cercado por largas vias de acesso, com boa oferta de transporte público e espaço para um grande estacionamento, que terá outro uso nos dias em que não houver jogo. Garantir a utilização do novo Gigante da Pampulha durante toda a semana foi uma das preocupações da reforma, segundo os arquitetos do BCMF, o escritório responsável pelo projeto executivo. “Com a inauguração daCidade Administrativa e a ocupação cada vez maior da região norte da cidade, a Pampulha se tornará o novo centro”, acredita Silvio Todeschi, um dos sócios do BCMF. “O Mineirão contará com serviços como restaurantes e lojas para atender essa população.” Confira cinco soluções encontradas para alguns dos velhos problemas do estádio.
 Novo Mineirão 2014: estádio verde e sustentável
Respeito ao meio ambiente

A cobertura autolimpante de teflon inclui um sistema de captação de água da chuva, que será reutilizada na irrigação do gramado. Ecologicamente correto, o modelo ajuda na prevenção de enchentes na região. A nova arena tem ainda placas para captar energia solar.
 Novo Mineirão 2014: estádio verde e sustentável
Visão ampliada

O campo foi rebaixado em 3,4 metros. Acabaram sendo demolidas as arquibancadas inferiores e a geral, garantindo uma visão bem melhor do gramado. Da linha de fundo à arquibancada, a distância foi reduzida de 42 para 20 metros. Nas laterais, caiu de 29 para 19 metros. O ângulo de visão também está melhor. No antigo Mineirão, quem se sentava muito próximo do gramado mal via os joelhos dos jogadores. Agora, não há pontos cegos. E a arquibancada vai balançar menos. Em cada um dos 88 pórticos de concreto foi instalado um par de amortecedores. O equipamento absorverá até 76% da vibração. A torcida pode até tremer. A nova arquibancada, não.
 Novo Mineirão 2014: estádio verde e sustentável
Verde por todo lado

O entorno do Mineirão era árido, quase sem árvores. As poucas que havia por lá surgiram espontaneamente, graças às sementes deixadas por passarinhos. O projeto original não previa nenhum tipo de paisagismo. Já o novo estádio tem verde por todo lado, deixando o lugar mais agradável e em sintonia com o conjunto arquitetônico da Pampulha. Além de mais bonita, a arena está mais bem sinalizada. “Será como a sinalização de um bom shopping”, garante Cynthia Massote, diretora de planejamento da Hardy Design, um dos escritórios envolvidos no projeto de comunicação visual. A Fifa recomenda sinalização em vermelho, amarelo, azul e verde. Aqui, porém, para evitar o uso de cores identificadas com os times da cidade, o azul e o verde foram substituídos por roxo e laranja.
 Novo Mineirão 2014: estádio verde e sustentável
Oferta de serviços 

É como se Belo Horizonte ganhasse um novo parque. Pela esplanada será possível caminhar, andar de bicicleta ou de skate a qualquer hora do dia. “Um evento como a corrida em torno da lagoa poderia começar da esplanada”, sugere o arquiteto Todeschi. O lugar também é adequado para shows, podendo abrigar um público de até 60?000 pessoas. Lá, haverá ainda um centro comercial, com 5?200 metros quadrados e espaço para 52 lojas.

Aécio Neves: PSDB se reafirma como oposição, diz em artigo

Aécio Neves: PSDB se reafirma como oposição. “O partido precisa agora entender o que disseram as urnas”, comentou o senador.

Aécio Neves: oposição e as eleições 2012

 Aécio Neves: PSDB se reafirma como oposição

Aécio Neves: PSDB se reafirma como oposição

Fonte: artigo senador Aécio Neves – Folha de S.Paulo

A verdade das urnas

Aécio Neves

Recentemente, me lembrei de uma citação folclórica que volta e meia é repetida no meio político e refere-se a uma proposta para encerrar a guerra do Vietnã nos anos 60, atribuída a um senador dos EUA.

A sugestão dele era que o presidente americano devia simplesmente declarar vitória, unilateralmente, e retirar as tropas daquele país do Sudeste Asiático, colocando um ponto final no confronto.

No plano das alegorias, é mais ou menos isso que o PT tenta fazer ao propagar que dizimou os adversários nas eleições municipais de 2012.

O fato de ter vencido em cidades importantes do país não autoriza o partido a generalizar o resultado. Pelo menos não com o amparo da realidade.

A principal característica das eleições municipais deste ano é a distribuição equilibrada entre os partidos que obtiveram as maiores votações. O PMDB foi o partido que elegeu o maior número de prefeitos, seguido pelo PSDB e pelo PT.

Mas, na política, a criatividade é grande e surgem análises de todos os tipos, prontas para atender o gosto do freguês. Há quem prefira somar o número das cidades sob o comando de cada legenda para apontar vencedores ou derrotados. Há aqueles que analisam resultados sob a ótica das alianças políticas e não das legendas isoladas. Quem não pode somar cidades, opta por somar a população a ser governada por um partido. Não falta, inclusive, quem, na ausência de ter o que contabilizar, defenda o caráter estratégico de suas conquistas.

Na verdade, o resultado político dessas eleições é muito mais complexo do que pode apontar esse tipo de análise. Talvez porque não exista um, mas diversos resultados.

Se a discussão em torno dos números não se mostra tão favorável ao PT como seus dirigentes se esforçam em demonstrar, há uma derrota política que certamente incomoda mais nesse momento ao Planalto.

Ao transformar algumas disputas em verdadeiros plebiscitos, o PT colheu a derrota direta do ex-presidente Lula ou da presidente Dilma em locais de forte simbolismo. Em Manaus e Salvador, assim como nas três principais cidades de MinasBelo Horizonte, Betim e Contagem -, de forma especial, o que prevaleceu foi o não ao PT.

Ao PSDB, cabe agradecer os 13,9 milhões de votos em nossos candidatos a prefeito, no primeiro turno das eleições, e 5,6 milhões, no segundo. Isso sem levar em consideração os incontáveis apoios que tivemos nas alianças firmadas com outros partidos pelo país afora.

Com erros e acertos, o PSDB reafirmou sua posição de principal polo de oposição no país. O partido precisa agora entender o que disseram as urnas. Inclusive o recado dos milhões de brasileiros que preferiram não votar, descrentes dapolítica.

AÉCIO NEVES escreve às segundas-feiras nesta coluna.

Aécio Neves: oposição e as eleições 2012 Link da matéria: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/76133-a-verdade-das-urnas.shtml

Nordeste Notícias: momento político em jogo

Começa o jogo

Fonte: Merval Pereira O Globo

De repente, houve percepção generalizada de que o PSB cresceu e surgiu como um dos mais importantes partícipes do jogo eleitoral. Mas ele já era partido com forte penetração no Nordeste, com seis governadores eleitos, sendo quatro nessa região: Pernambuco, Ceará, Paraíba e Piauí. O que deu caráter nacional ao PSB nesta eleição municipal foi ter enfrentado e derrotado o PT em capitais como Recife, Fortaleza e Belo Horizonte.

Mas o PSB elegeu também o maior número de prefeitos de capitais, ampliando sua atuação para o Centro-Oeste (Cuiabá) e o Norte (Porto Velho). O crescimento de mais de 40% na eleição de prefeitos – vencendo em 440 cidades – dá nova dimensão nacional ao partido, que passará a se sentir incomodado dentro do modelo de coalizão governista, um pouco sem espaço para parceiros que tenham planos de voos mais altos. Mais fácil fazer acordos com o PMDB, que tem tamanho, mas não tem unidade para lançar candidato próprio, do que com o PSB, que já tem seu candidato potencial no governador de Pernambuco, Eduardo Campos. O papel definidor do PSB pode ser exercido já nas próximas eleições presidenciais ou pode ser adiado para 2018, tudo dependendo das condições objetivas que encontrar pela frente.

As eleições municipais têm mais a ver com a composição futura do Congresso Nacional e também com a eleição de governadores do que propriamente com a próxima disputa presidencial. No entanto, a maneira como os partidos espraiam seu poder político pelo país afora é parte fundamental da logística a ser montada para 2014.

Para efeitos práticos, o que importa é a fotografia do momento, e é certo que o PMDB, com 1.026 prefeituras (168 a menos que em 2008), e PT, com 635 (91 a mais), os dois partidos que estão no poder, governarão quase 1/3 dos municípios brasileiros, o que dá à campanha de reeleição da presidente Dilma forte plataforma para eleger bancadas no próximo Congresso. A base governista tem tudo para manter o controle político no Senado e na Câmara, acrescida do PSD, que surge nesta eleição como a quarta legenda a eleger mais prefeitos, nada menos que 496 nesta sua primeira eleição.

Se somarmos a essas as prefeituras de PP (468), PDT (312) e outros partidos menos votados, teremos um quadro amplamente favorável à campanha de reeleição. Mas acontece que também a oposição manteve uma boa base eleitoral pelo país, melhorando sua posição no Norte e no Nordeste, onde o domínio do governismo era avassalador.

Com as vitórias em Manaus e Belém, no Norte, e Maceió e Teresina, no Nordeste, o PSDB fincou os pés nas regiões, onde tem os governadores de Alagoas, Roraima e Tocantins. A eleição de Arthur Virgílio em Manaus, numa revanche pessoal, depois de ter sido derrotado por Lula na eleição para o Senado em 2010, coloca-o em posição proeminente novamente no PSDB, de que já foi secretário-geral e líder no Senado. O fato de Virgilio ter uma imagem nacional – foi também ministro no governo Fernand o Henrique – dá-lhe condições de interferir nas decisões estratégicas do partido, e ele sem dúvida voltará a ser um dos principais líderes oposicionistas.

No total de prefeituras, o PSDB continua sendo o segundo partido, com 702, mesmo fora do governo há dez anos. Somadas às 278 prefeituras do DEM e 123 do PPS, a oposição tem uma boa base municipal para as futuras disputas.

O que pode desequilibrar a disputa é a decisão que o PSB de Eduardo Campos venha a tomar quanto a 2014. No primeiro momento, a tentativa será de acomodação dentro da aliança governista, até porque as definições para a disputa presidencial só ocorrerão a partir do fim de 2013. Uma aliança entre o PSB e o PSDB de Aécio Neves formaria chapa com força nas principais regiões, mas difícil será um dos dois abrir mão da cabeça de chapa.

Uma aliança hipotética no segundo turno é previsível caso Campos decida investir mesmo na carreira solo em 2014. O senador Aécio Neves pretende concorrer mesmo que a presidente Dilma continue com sua popularidade alta como hoje, sem grande abalos econômicos a enfrentar. Estaria semeando uma colheita para quatro anos depois.

Resta saber se o governador Eduardo Campos se resignará a disputar espaço com o PT e o PMDB por mais quatro anos, na esperança vã de vir a ser o candidato da coligação em 2018.

Nordeste Notícias: menor taxa de reeleição dos atuais prefeitos

Evolução de receitas pode ter influído em rejeição de prefeitos

Fonte: Autor(es): Marta Watanabe Valor Econômico

A evolução das receitas das capitais pode ter contribuído para a menor taxa de reeleição dos atuais prefeitos. Levantamento com 24 capitais com os resultados até o segundo quadrimestre mostra que em 20 houve aumento nas receitas totais de 2011 para 2012. A elevação, porém, foi menor do que o crescimento de receitas de 2007 para 2008, quando foram eleitos os prefeitos do mandato atual.

As receitas totais de Belo Horizonte, por exemplo, cresceram 15,89% de janeiro a agosto de 2012, contra mesmo período de 2011. Em 2008 contra 2007, considerando os mesmos meses, porém, o crescimento foi de 24,06%. Entre as prefeituras com maior elevação de receita total, Fortaleza teve crescimento de 31,02% nas receitas este ano, mas em 2008 cresceu 37,52%. Salvador, que teve elevação de receitas de 21,06% em 2008, teve crescimento de apenas 7,71% este ano (ver tabela ao lado).

O levantamento levou em consideração as receitas totais informadas no relatório de execução orçamentária. Para os municípios que ainda não apresentaram dados até agosto, foram usadas as informações acumuladas até junho.

Como exceções, as quatro capitais que tiveram em 2012 aumento de receitas superior ao de 2008 foram Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Manaus. A capital fluminense, na verdade, ficou com variação estável de receitas, com diferença 0,09 ponto percentual entre as taxas de crescimento de 2012 e 2008. São Paulo teve alta de 18,13% nas receitas em 2012 contra 13,77% em 2008. Os investimentos, porém, cresceram menos. De janeiro a agosto de 2008, na comparação com iguais meses do ano anterior, a elevação de investimentos paulistanos foi de 40,71%. Levado em conta os mesmos meses, em 2012 contra 2011 o aumento foi 34,33%.

Em Curitiba aconteceu algo semelhante. O crescimento de receitas passou de 12,93% em 2008 para 14,11% em 2012. Os investimentos, porém, cresceram mais em 2008, com alta e 42,05%. Em 2012 o aumento foi de 33,98%.

Em Manaus, houve elevação de receitas de 23,39% em 2012, maior que o crescimento de 20,14% em 2008. Os investimentos, porém, recuaram de 2011 para 2012, em 14,9%.

Amir Khair, especialista em contas públicas, acredita que o menor crescimento de receitas dos municípios é resultado da desaceleração da economia durante os últimos quatro anos, na comparação com o período do mandato anterior, de 2005 a 2008.

A situação dos municípios, diz François Bremaeker, consultor da Associação Transparência Municipal, foi afetada também pela redução dos valores repassados pelo governo por meio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Entre os motivos da perda está o uso da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) como forma de incentivo ao consumo. O IPI compõe, ao lado do Imposto de Renda, a cesta de tributos cuja arrecadação é partilhada pela União com Estados e municípios.

Segundo o consultor, de janeiro a novembro de 2012 os recursos repassados aos municípios por meio do FPM tiveram crescimento real de 30,28% na comparação com janeiro a novembro de 2008. O salário mínimo, compara, no mesmo período, teve aumento de 49,88%.

O crescimento menor de receitas, diz Bremaeker, torna mais difícil para os prefeitos atender às demandas do eleitorado. Isso acontece, diz, principalmente nas cidades do Norte, Nordeste e Centro-Oeste, que são mais dependentes das transferências federais. “As capitais do Sudeste e Sul costumam contar mais com outros recursos, como arrecadação própria e repasse do ICMS recolhido pelos Estados.”

Khair acredita que a desaceleração econômica do país, ao mesmo tempo em que contribui para gerar receitas proporcionalmente menores para os municípios, faz o eleitor manifestar no voto sua frustração no momento de escolher o administrador público do momento.

Mesmo que seja o governo federal quem dá as diretrizes da política econômica e mesmo que a evolução de receitas seja mais favorável para municípios do que para Estados e União, diz Khair, a frustração do eleitor com a situação macroeconômica também se reflete na votação para eleger os prefeitos. O eleitor prefere não dar continuidade à administração vigente. “A população olha a prefeitura como olha a si própria e não faz distinção clara entre as atribuições de cada esfera pública.”

Em 2008, praticamente todos os prefeitos que tentaram a reeleição tiveram sucesso. Dos 20 prefeitos que se candidataram nessas condições, apenas o manauara Serafim Corrêa (PSB) perdeu nas urnas.

A eleição de 2008, lembra Khair, coincidiu com um dos melhores períodos de crescimento econômico do país, já que o efeito da crise financeira afetou a economia real apenas no último trimestre daquele ano.

Em 2008, lembra Khair, a taxa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) foi de 5,2%. No ano anterior foi de 6,1%. O aumento real do rendimento médio da população ocupada nas seis principais regiões do país atingiu 9% em agosto de 2008, na comparação com o mesmo mês do ano anterior.

A partir de 2009, porém, a desaceleração se agravou. Em 2011 o crescimento do PIB limitou-se a 2,7%. Neste ano a projeção do governo federal ainda é de 2%, mas os analistas de mercado já jogam a estimativa para 1,5%. A elevação real no rendimento médio da população ocupada em agosto de 2012 foi de 2,3% em relação ao mesmo mês do ano passado. O crescimento da massa salarial, formada pelos salários de toda a população ocupada, também perdeu fôlego. Em agosto de 2008 ela tinha elevação de 10% contra o mesmo mês de 2007. Em agosto de 2012 em relação a agosto do ano passado também há crescimento, mas bem menor, de 3,6%. “A menor taxa de reeleição agora reflete esse sentimento da população, que teve expectativa de ter salário maior e melhores condições”, diz Khair.

Aecio: Copa 2014 e gestão eficiente no Mineirão

Aecio: Copa 2014 e gestão eficiente no Mineirão. Modelo de Gestão adota em Minas para as obras do estádio foi elogiado pela Fifa.

Aecio: Copa 2014 e gestão eficiente

Fonte: Jogo do Poder

Minas Gerais: “exemplo de integração e trabalho”

Secretário geral da FIFA é mais um a reconhecer a vanguarda do modelo de gestão implantado pelo Governo de Minas

 Aecio: Copa 2014 e gestão eficiente no Mineirão

Aecio: Copa 2014 e gestão eficiente no Mineirão. Modelo de Gestão adota em Minas para as obras do estádio foi elogiado pela Fifa.

A promessa de Aecio Neves, quando ainda era governador de Minas Gerais, de que as obras de modernização do estádio Magalhães Pinto, o Mineirão, estariam prontas ainda em 2012 está a um passo de se concretizar. E absolutamente dentro do prazo previsto: 21 de dezembro. E a forma como oGoverno de Minas soube conduzir o projeto em parceria com a Prefeitura de Belo Horizonte e com o Governo Federal foi tida como “exemplar” pelo secretário geral da FIFA, Jerome Valcke.

Mais do que estar com o cronograma absolutamente em dia – 84% das obras já estão concluídas faltando ainda três meses para o prazo final proposto -, o que chamou a atenção do diretor da FIFA foi o modelo de gestão que Minas Gerais adotou, onde, desde o planejamento, passando pelo financiamento e chegando à execução, houve uma sintonia fina entre Estado, município e União.

Ao afirmar que “Belo Horizonte é um exemplo de integração e trabalho”, Valcke confirma o que o então governador de Minas Gerais, Aecio Neves, em 2006, quando da decisão de lançar a capital mineira como candidata a sede da Copa de 2014, já destacava os diferenciais do Estado: atransparência na aplicação dos recursos públicos, a gestão eficiente e a abertura para parcerias, seja no campo público ou junto à iniciativa privada.

Em vistoria às obras do Mineirão, nesta terça-feira (16/10), o diretor da FIFA chegou a recomendar que as outras sedes da Copa do Mundo de 2014 se espelhassem em Minas Gerais tanto no que se refere às obras de modernização dos estádios quanto nos projetos de infraestrutura das cidades.

Em Belo Horizonte, por exemplo, cerca de 50 obras de mobilidade, segurança e infraestrutura urbana ficarão como legado da Copa do Mundo e da parceria que o Governo de Minas formou com a Prefeitura Municipal e a União.

Muitos foram os críticos ao então governador de Minas Gerais, Aecio Neves, quando lançava o desafio de colocar a “gestão eficiente”, o “Choque de Gestão” e a “profissionalização da máquina pública” nas discussões da agenda nacional. Para eles, isso não passava de peça de marketing sem efeito direto para a sociedade ou para o país.

Talvez agora, com o reconhecimento internacional e ao legado que o Governo de Minas deixará com o Mineirão e todas as obras de infraestrutura visando a Copa do Mundo, fique mais fácil para os críticos argumentarem.

Aecio: Copa 2014 e gestão eficiente

Nordeste Notícias: avança o PSDB

Guerra destaca avanço do PSDB no Norte e Nordeste

Fonte: Autor(es): Raymundo Costa Valor Econômico

O presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, apresentou o balanço do partido sobre o primeiro turno das eleições. O deputado destacou o fato de a sigla ter crescido “significativamente” no que ele chamou de “áreas de dificuldade” dos tucanos, as regiões Norte e Nordeste, nas quais o PT teve amplo predomínio nas últimas eleições presidenciais.

O tucano criticou duramente o envolvimento do governo federal e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições. “Lula tem o vício de pensar que é o dono do povo. Mas o PT não tem a “reserva de mercado” da população”, disse. “O PT é um partido que perdeu a sintonia com a opinião pública. Não adianta mais ao Lula dar conselhos ao povo. Se fizer isso, não será ouvido”, afirmou. Segundo Guerra, “a marca do PT é o mensalão”.

Entre as “áreas de dificuldade” Guerra citou como exemplos o caso do Recife, onde o PSDB lançou um candidato praticamente “secreto” (o deputado estadual Daniel Coelho) que teve quase o dobro de votos do candidato do PT, o senador Humberto Costa, indicado diretamente por Lula para a disputa.

O segundo aspecto positivo destacado por Guerra foi a “renovação” ocorrida entre os tucanos. Além do exemplo de Daniel Coelho e sua surpreendente votação no Recife, o presidente do PSDB citou a eleição do deputado estadual Rui Palmeira em Maceió, a capital de Alagoas. Segundo Sérgio Guerra, nenhum partido pode se declarar “hegemônico” e a eleição, na realidade, apresentou um quadro partidário fragmentado.

O PSDB elegeu 691 prefeitos no primeiro turno e disputa o segundo em 17 cidades, das quais oito são capitais. São Paulo, João Pessoa, Manaus, Rio Branco, Teresina, Vitória, Belém e São Luís. Os tucanos comemoram o fato de terem conseguido entrar em “áreas de dificuldade” – quatro das oito capitais estão no Norte e Nordeste. Os tucanos consideram que será “simbólica” a vitória do ex-senador Arthur Virgílio, em Manaus, devido ao envolvimento do governo para derrotar o ex-senador.

Apesar do avanço nas regiões Norte e Nordeste, a direção do PSDB entende que o desempenho partidário nos “grandes centros formadores de opinião” é que pode ter influência na sucessão presidencial. A eleição de prefeitos nas cidades medias e pequenas é importante para a eleição proporcional. Neste caso, saudou a eleição de Marcio Lacerda em Belo Horizonte, que é do PSB, mas próximo do senador Aécio Neves, hoje o nome mais forte do PSDB para a disputa presidencial de 2014.

Guerra lamentou que a eleição em São Paulo tenha resvalado para a discussão do “kit-gay”, que considerou um assunto da sociedade mas irrelevante. Achou natural que o candidato José Serra não queira discutir o kit gay, pois o “foco” da campanha deve ser o governo da cidade de São Paulo. Apesar de as pesquisas demonstrarem que o PT deve vencer a eleição por ampla margem, Guerra insiste que as pesquisas internas demonstram uma disputa acirrada.

Guerra defendeu que o PSDB discuta a sucessão presidencial logo após a realização do segundo turno, não necessariamente para escolher um nome, mas dar uma indicação sobre para onde devem caminhar os tucanos. Se houver mais de um pretendente, acha que o partido deve realizar prévias. O PSDB começou um recadastramento nas eleições de 2010. Até agora, já foram recadastrados 100 mil filiados. Guerra também defende a elaboração imediata de um estatuto para as prévias.

Antes de ser questionado, Guerra falou sobre o chamado “mensalão mineiro”, que o PT cita como o similar tucano do esquemas pelo qual está sendo condenado no Supremo Tribunal Federal. “O [deputado federal] Azeredo é uma pessoa honesta e com uma grande trajetória. Não foi flagrado andando de jatinho e nem participando de negócios escusos. O que queremos em relação ao caso é também que ocorra um julgamento justo e que o Judiciário cumpra seu papel”, afirmou.

%d blogueiros gostam disto: