Delação premiada: ex-gerente da Petrobras vai devolver U$ 100 milhões

Pedro Barusco concordou em devolver cerca de US$ 100 mi desviados da companhia. Ele era subordinado a Renato Duque, indicado de José Dirceu.

Barusco é mencionado em diversos trechos do relatório do Ministério Público Federal (MPF) sobre a operação

Fonte: O Globo

Ex-gerente da Petrobras vai devolver U$ 100 milhões


O nome do ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco é mencionado em diversos trechos do relatório do Ministério Público Federal (MPF) sobre a operação Lava-Jato. Divulgação

Subordinado de Duque vai devolver cerca de US$ 100 milhões

Ex-gerente da Petrobras, Pedro Barusco faz delação premiada na Lava-Jato

O ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco concordou em devolver cerca de US$ 100 milhões desviados da companhia. Ele era subordinado a Renato de Souza Duque, um dos presos na Operação Lava-Jato da Polícia Federal, e fez acordo de delação premiada.

O nome de Barusco é mencionado em diversos trechos do relatório do Ministério Público Federal (MPF) sobre a operação. Dois executivos da Toyo Setal, Julio Gerin Camargo e Augusto Ribeiro de Mendonça, que fazem delação premiada sempre se referem a Barusco como o responsável por operacionalizar a propina que era paga ao ex-diretor.

O MPF já aponta no relatório que US$ 20 milhões em nome de Barusco estavam apreendidos administrativamente na Suíça pelas autoridades daquele país. Apesar de todas as menções ao subordinado de Duque, o nome dele ficou de fora dos pedidos de prisão e busca e apreensão. Isso ocorreu porque colabora com as investigações. O relatório cita ainda nove obras da Petrobras nas quais houve desvios de recursos. Em sete delas os delatores contaram ter pago propina a Duque e Barusco.

O depoimento dos delatores da Toyo Setal afirma que os pagamentos a Duque e Barusco eram feito, em sua maioria, por meio de contas na Suíça e no Uruguai. Dizem que poucos pagamentos foram feito no Brasil. Camargo afirmou que foram feitos pagamento em espécie por emissários enviados pelo ex-diretor e pelo ex-gerente. Disse que nunca entregou dinheiro diretamente nas mãos de Renato Duque pois este era “extremamente cauteloso”.

Anúncios

Publicado em 18/11/2014, em Gestão, Gestão Deficiente, Gestão do PT, Governo, Governo do PT, Petrobras, Política e marcado como , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: