Cientista político diz que Aécio sai como grande vencedor das eleições

Alfonso Myers Gallador, cientista político mexicano, decidiu estudar o comportamento dos perdedores em eleições na América Latina onde o vitorioso triunfou com margem apertada.

Eleições 2014

Fonte: Blog do Noblat

Cientista político: Aécio sai como grande vencedor das eleições

Cientista político considerou o discurso do candidato Aécio Neves (PSDB), dono de 51 milhões de votos, de alta política. Foto: Ricardo Matsukawa/VEJA.com

Cientista político diz que Aécio Neves se comportou como vencedor

Para pesquisador da Universidade de Salamanca, Aécio precisa se desligar de movimentos pró-impeachment de Dilma e pró-intervenção militar

Alfonso Myers Gallador, cientista político mexicano, decidiu estudar o comportamento dos perdedores em eleições na América Latina onde o vitorioso triunfou com margem apertada.

Pesquisador da Universidade de Salamanca, na Espanha, Myers descobriu que um derrotado pode ter um comportamento ressentido, questionando o resultado da eleição, ou de vencedor, ao aceitar o placar das urnas, o que o credenciaria para concorrer novamente.

No caso do Brasil,em entrevista exclusiva a este blog, ele considerou o discurso do candidato Aécio Neves (PSDB), dono de 51 milhões de votos, de alta política. O candidato acabou perdendo para a presidente reeleita Dilma Rousseff (PT), por uma margem inferior a 3,5% dos votos válidos.

Aécio aparece como principal voz da oposição, mas precisará convencer nomes fortes, como de José Serra (SP) e Geraldo Alckmin (SP), para disputar novamente a eleição daqui a 4 anos.

Aos 29 anos de idade, Myers, autor do livro “Estudos sobre Democracia, Estado de Direito e Governança Global”, diz ser legítimo o questionamento do resultado das eleições. A auditoria apenas reforçaria a credibilidade do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Mas ele faz um alerta contra a proposta de impeachment e de intervenção militar, defendida por simpatizantes de Aécio. Ele deve se “desligar das manifestações e atos sem sentido”.

Que conclusão se tira do estudo sobre o comportamento de candidatos derrotados?

Uma das implicações da derrota é que diminui o interesse dos candidatos derrotados pela política, inclusive até chegam a abandoná-la. Ou pode ser um incentivo transformador que se torna um protesto. No estudo que faço, analisamos o comportamento dos candidatos derrotados em eleições com resultados bem apertados, como vem ocorrendo na América: Estados Unidos (2000 e 2004); Costa Rica (2006); México (2006); El Salvador (2009 e 2014); Peru (2011); Venezuela (2013); Brasil (2014). Foram eleições que se definiram com margens menores do que 3,5% dos votos válidos. Um dos pontos de inflexão foi o discurso pós-eleitoral – aquele no qual a derrota é aceita ou não. A forma de reagir e de administrar uma derrota tem consequências diretas para a carreira dos candidatos. Quando há uma “elegância” na hora de aceitar a derrota, na maioria das ocasiões o futuro candidato ganha ponto.

Cientista político: Aécio sai como grande vencedor das eleições

Alfonso Myers Gallador, cientista político e autor do livro “Estudos sobre Democracia, Estado de Direito e Governança Global”, diz ser legítimo o questionamento do resultado das eleições. Divulgação

Por que Aécio Neves foi tratado como herói após perder a eleição?

A palavra herói é um tanto exagerada. Talvez Aécio seja o melhor candidato que o PSDB teve. Era iniciante na política nacional e, ao começar a campanha, era menos conhecido do que Marina Silva – a terceira colocada. A eleição do Brasil seguiu uma tendência existente no Continente: o vencedor foi o candidato à reeleição. Chama atenção o discurso de Aécio, de alta política, de aceitação, elegante: “… Acabo de parabenizar a presidente reeleita e desejei a ela sucesso na condução do seu próximo governo, ressaltei que considero que a maior de todas as prioridades deve ser unir o Brasil em torno de um projeto honrado”.

O questionamento do resultado das eleições mostra que Aécio não soube perder?

Não necessariamente. Usar recursos legais, formalmente estabelecidos pelas normas eleitorais, não significa que duvidem ou não do resultado, significa que houve questões e inconsistências que não podem ser desconsideradas. Aécio soube perder e isso ficou refletido num primeiro cenário com seu discurso. O comportamento de sua equipe ao pedir auditoria ao TSE é um direito. A auditoria só vai reafirmar a credibilidade do próprio TSE.

É comum quem perde questionar os resultados?

Depende do grau de legitimidade e de confiança do órgão eleitoral. Quanto mais transparente e confiável o órgão, mais provável será a aceitação da derrota. Geralmente, os perdedores garantem a estabilidade e a governabilidade do sistema político. No caso brasileiro, isto aumenta ainda mais se levamos em conta que é um presidencialismo de coalizão, onde quem ganha dependerá de sua capacidade de costurar acordos com outras ideologias.

De que maneira a campanha agressiva da presidente Dilma contribuiu para um discurso ressentido de Aécio?

O debate atual é muito parecido com o debate que acontece nos Estados Unidos e no México, onde os eleitores claramente se informam sobre o que garante suas convicções e não aceitam um meio que mude sua perspectiva. Os eleitores de direita leem jornais de direita e o mesmo acontece com os de esquerda. Além disso, é uma questão de liberdade de expressão. O clima e a tensão política e social podem aumentar claramente num cenário de eleições apertadas.

Como você vê os pedidos de impeachment e de intervenção militar que partiram de manifestantes que apoiam Aécio?

Ainda que pareça um pouco duro, é parte da democracia. É uma questão de liberdade de expressão e de ideologia, mas não pode paralisar as instituições brasileiras. São atos isolados que falam um pouco da cultura política no Brasil, um país de dimensões continentais que não se resume a essas vias. A posição do Aécio deve ser clara e se desligar das manifestações e atos sem sentido, como a ignorância das pessoas que solicitam uma intervenção militar.

Os perdedores que fazem discursos inflamados costumam ter sucesso em eleições seguintes?

Os perdedores que não aceitam e se comportam agressivamente afetam sua imagem e a própria carreira política. É um assunto da administração da derrota. Devemos nos lembrar de que a campanha do derrotado começa no dia seguinte ao da eleição. Se quer ganhar, tem que construir uma oposição real e não somente se opor a tudo o que o governo diz.

O que falta para que o Aécio e o partido dele consigam vencer uma eleição para presidente?

Seduzir mais e conquistar seu eleitorado em Minas Gerais. Tem que sair de seus bastiões eleitorais. Não pode se limitar às zonas urbanas ou capitais. Aécio precisa manter o legado de Fernando Henrique Cardoso e ajustá-lo ao de Lula, aliando política macroeconômica e social.

Aécio se credencia como principal porta-voz da oposição?

Sim. Mas vai depender da circunstância interna da política brasileira e de seu papel de senador. O Aécio parece um político mais Executivo do que Legislativo. Os políticos do PSDB precisam ter grande capacidade para administrar a derrota e, principalmente, manter o partido unido, fazendo surgir um candidato de unidade.

Anúncios

Publicado em 12/11/2014, em Aécio Neves, Aécio Neves: 2014, Aécio oposição, Eleições 2014, Política e marcado como , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: