Oposição critica contradições de Dilma

Tucanos e democratas disseram que ela está praticando “estelionato eleitoral” e que parece ter acordado de repente pelo o que não foi feito.

Brasil sem rumo

Fonte: O Globo

Oposição: Dilma é uma contradição

Ações do segundo mandato de Dilma Rousseff são incoerentes ao que ela dizia na campanha eleitoral. Divulgação

Para líderes da oposição, Dilma contradiz o que defendeu durante a campanha eleitoral

Tucanos e democratas acusaram presidente de praticar ‘estelionato eleitoral’ em entrevista dessa quinta-feira

Os líderes da oposição ironizaram nessa quinta-feira declarações da presidente Dilma Rousseff, especialmente o fato de ter dito que, embora não vá cortar ministérios, seu governo terá limites fiscais e irá olhar com lupa onde pode haver redução ou corte de gastos. Tucanos e democratas disseram que ela está praticando “estelionato eleitoral” e que parece ter acordado de repente para o que não foi feito ao longo de seu mandato.

— Somando tudo que aconteceu depois da eleição e o que a presidente Dilma disse nessa entrevista, a impressão que se tem é que ela estava em estado de coma. Três dias depois da eleição, o Banco Central descobre que houve um aumento descontrolado de gastos e é preciso aumentar juros para conter a inflação. Só depois da eleição se descobre que em um mês houve um rombo de R$20 bilhões, o maior déficit da história nas contas públicas. Sem contar que quem demitiu o Sérgio Machado da Transpetro, denunciado no esquema do petrolão, foi a Pricewaterhouse Coopers e a Bolsa de Valores de Nova York. Se ela acordou mesmo do coma, só vamos saber lá na frente — disse o ex-governador de São Paulo, Alberto Goldman (PSDB).

MARKETING SE DESMONTA

O líder do PSB, deputado Beto Albuquerque (RS), afirmou que a presidente Dilma não pode mais se esconder atrás do marketing do publicitário João Santana, e que as “mentiras” ditas durante a campanha serão agora desmascaradas.

— A Dilma não tem mais o João Santana, que governou a campanha e suas ideias, suas palavras e as mentiras que desferiu contra os outros. Sem ele, Dilma começa a ter que falar e aparecer como é, e reconhecer a realidade do governo fora da TV. Vai ter que fazer tudo ao contrário do que disse na campanha — criticou Albuquerque.

O presidente do DEM, senador José Agripino Maia (RN), disse que ou Dilma muda a forma de ser autossuficiente, “prisioneira do petismo”, ou haverá um colapso também na arrecadação que vai acabar de travar o governo.

— Com o corte de gastos no plano das conjecturas líricas que ela anuncia, é esperar a criação de mais impostos. Aí morre qualquer proposta de diálogo — disse Agripino.

— Agora a presidente começou a desmontar o marketing do PT. Isso é inaceitável. É um atentado a inteligência do povo brasileiro — completou o líder do DEM na Câmara, deputado Mendonça Filho (PE).

Já o presidente do PT, Rui Falcão, minimizou a declaração da presidente de que não representa o partido na Presidência, e sim todo o país.

— Ela é presidente do país todo mesmo — disse Falcão na chegada para uma confraternização com Dilma, no Palácio da Alvorada.

Anúncios

Publicado em 07/11/2014, em Governo do PT, Política e marcado como , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: