Eleições 2014: Romário pode apoiar Aécio

Romário deverá caminhar com Aécio na disputa presidencial. Os dois conversaram por telefone na última segunda e vão se encontrar no RJ.

Ex-craque explicou que seu apoio depende de três compromissos que o tucano deve incluir como prioridades em seu programa de governo.

Fonte: O Globo

Romário com 4,6 milhões de voto pode apoiar Aécio

Romário prioriza saúde, segurança pública e esportes. De acordo com ele, se Aécio entender,  será possível opoio. Foto: Facebook / Divulgação

Romário descartaDilma e cita compromissos que vai exigir de Aécio para apoiá-lo

Senador eleito faz duras críticas a seu partido, o PSB: ‘Minha relação é de ruim a péssima. Não me ajudam em nada’

Eleito senador pelo PSB com o recorde de 4,6 milhões de votos no Rio, Romário é o apoio mais cobiçado no estado neste segundo turno. Com má relação com seu partido, de quem reclama de ingratidão, ele vai tomar a decisão sobre quem apoiar para presidente e governador de forma independente. Em entrevista ao GLOBO, na tarde dessa quarta-feira, no mesmo momento em que acontecia a reunião da Executiva Nacional do PSB — “não fui convidado” —, o senador eleito praticamente descartou qualquer chance de apoiar a reeleição de Dilma Rousseff (PT).

Romário deverá caminhar com Aécio Neves (PSDB) na disputa presidencial. Os dois conversaram por telefone na última segunda-feira e vão se encontrar pessoalmente no Rio ainda nesta semana. O ex-craque explicou que seu apoio depende de três compromissos que o tucano deve incluir como prioridades em seu programa de governo. Como Aécio Nevesdeve aceitar as condições do senador eleito, a formalização do apoio é questão de tempo.

— A Dilma, em princípio, eu diria 99,99% (de chances de não apoiar), é quase impossível. O Aécio na segunda-feira me ligou, marcamos de conversar pessoalmente no Rio. Minha conversa com qualquer candidato vai estar direcionada a pontos que considero fundamentais — disse Romário, enumerando as propostas que levará ao tucano. — O país precisa de centros de diagnóstico e tratamento para pessoas com deficiências e com doenças raras. Isso tem que ter um olhar diferenciado. Outra coisa que vai pesar na minha decisão é em relação a crianças e jovens viciados em crack, dar atenção a isso. E o esporte também, principalmente para as crianças. Estas três áreas vão pesar na minha decisão, são bandeiras minhas. Se ele (Aécio) entender tudo isso, é bem possível (o apoio). Mas ainda vamos conversar.

‘(O PSB) NÃO ME AJUDA EM NADA. O PARTIDO NÃO É GRATO’

Romário não ocupa nenhum cargo nas instâncias partidárias do PSB. Ele manteve uma postura independente do partido tanto no mandato como deputado federal quanto na sua campanha a senador. A seu estilo, sem meias palavras, ele revela irritação e decepção com o partido e diz que tomará sua posição na disputa para presidente e para governador do Rio independentemente do partido. A Executiva Nacional do PSB está reunida na tarde dessa quarta-feira para decidir sobre o segundo turno presidencial.

— Meu grupo político é reduzido, minha relação com o partido é de ruim para péssima. Fui eleito senador com quase 4 milhões e 700 mil votos,e não faço parte da Executiva nacional, nem estadual, nem municipal. Não fui agora na reunião da Executiva porque não fui convidado. Eu ajudei muito, gravei para vários candidatos, e fico com o sentimento que o partido não é grato ao que faço, politicamente falando. Eles nunca me ajudam em nada, vou à luta sozinho — afirmou Romário, descartando, porém, deixar o PSB, já que tem liberdade de atuação. — Não tenho pretensão de sair. Há coisas boas, como a liderança na Câmara, há pessoas maravilhosas também. Vou continuar meu trabalho.

SEM DECLARAR APOIO, ELOGIOS A PEZÃO E CRÍTICA A CABRAL

Entre políticos fluminense, é dado como muito possível o apoio de Romário ao governador e candidato à reeleição Luiz Fernando Pezão (PMDB). O senador eleito pelo PSB conta que recebeu ligações tanto de Pezão como de Marcelo Crivella (PRB). No ano passado, quando chegou a sair do PSB, mas logo depois voltou atrás, Romário esteve perto de se filiar ao PRB de Crivella. O ex-craque faz críticas ao ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), mas poupa Pezão. Romário ainda vai definir quem apoiará e não descarta até ficar neutro.

— Minha relação com os dois é bem tranquila, saudável. Sempre fui contra a forma como o Cabral estava governando, mas o Pezão é um cara bastante objetivo, tem feito bom governo, mesmo em pouco tempo. A decisão que eu tomar vai ser em benefício do povo. Fui procurado pelos dois, e não descarto ficar neutro.

Ele explicou como se dará sua decisão:

— Fui procurado pelos dois, pessoas em comuns fizeram contato. Minha forma de fazer política é diferente: não vou conversar com os dois. Vou falar com um, levar os mesmo pontos que falei sobre o Aécio. Se topar, aceitar o que eu defendo, não vou no outro.

Perguntado se Pezão seria o primeiro com quem conversaria, deixou no ar:

— Não sei, não…

Em evento realizado pelo PT para apoiar o candidato Luiz Fernando Pezão à reeleição, o atual governador reiterou ter uma boa relação com o senador eleito:

— Já conversei duas vezes com o Romário, mas ele tem o partido por trás dele. Ele está ouvindo os companheiros dele, mas a gente tem um grande relacionamento, uma grande amizade.

Anúncios

Publicado em 09/10/2014, em Aécio Neves, Aécio Neves: 2014, Aécio oposição, Aécio presidente, Eleições 2014, Política e marcado como , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: