Aécio: “Nós estamos apenas na metade da travessia, portanto não vamos nos dispersar”

Aécio Neves, fez um pronunciamento chamando as forças que querem derrotar o projeto do PT a se juntar a ele no 2º turno contra Dilma.

Eleições 2014

Fonte: O Globo

Aécio em entrevista, homenageou Eduardo Campos e sinalizou para Marina Silva. Foto: Marcos Fernandes

Aécio em entrevista, homenageou Eduardo Campos e sinalizou para Marina Silva. Foto: Marcos Fernandes

Aécio homenageia Campos e acena a Marina

‘Todos que quiserem contribuir são bem-vindos. Tenho enorme respeito pela Marina’, diz tucano após resultado

Uma hora depois do término da apuração do 1º turno, o candidato do PSDB, Aécio Neves, fez um pronunciamento chamando as forças que querem derrotar o projeto do PT a se juntar a ele no 2º turno contra Dilma Rousseff. Aécio fez uma homenagem emocionada a Eduardo Campos, morto em acidente aéreo, e prometeu continuar honrando seus ideais de decência e democracia, e projetos que buscava para o Brasil. A primeira viagem de Aécio no 2º turno será para Recife.

— Quero deixar aqui uma palavra de homenagem especial a um amigo querido, um homem honrado e digno, abatido por uma tragédia no meio da campanha. Ao Eduardo, seus ideais e sonhos, a minha reverência. É hora de unirmos forças para levar seus sonhos em frente. A minha candidatura não é mais apenas de um partido político ou de um conjunto de alianças, mas a daqueles que acreditam que é possível dar ao Brasil um governo que una decência e eficiência — discursou Aécio, no que foi visto como um gesto em relação ao 2º turno.

Aécio disse que não entrará na estratégia do PT de fazer uma campanha de ódio, e repetiu uma frase do avô Tancredo Neves:

— Nós estamos apenas na metade da travessia, portanto não vamos nos dispersar.

“Vou respeitar o tempo de Marina”

O tucano hoje estará de novo nas ruas e, durante entrevista coletiva, convidou a ex-senadora Marina Silva a se integrar à aliança. Não tinha havido até o meio da noite nenhum contato com Marina, e Aécio afirmou que iria respeitar o tempo dela. Também não tinha havido ainda contato com a viúva de Campos, Renata, considerada peça fundamental na eventual adesão do PSB à sua candidatura.

— Todos que quiserem e puderem contribuir com esse projeto são bem-vindos. Tenho um enorme respeito pela Marina, e vamos esperar seu tempo. A vitória hoje foi do povo, foi a vitória da mudança, vamos continuar unidos. Nosso projeto é generoso, e a ele podem se somar todos que querem a mudança. Não ganhei nada ainda, a mudança começa hoje, aqui em Minas Gerais — disse Aécio.

Hoje, às 14h, ele se reúne com o comando da campanha em SP para fechar a agenda das próximas semanas. O Nordeste, onde precisa recuperar a diferença enorme para Dilma, pode ser o alvo.

Ao agradecer a Pimenta da Veiga, candidato do PSDB ao governo de Minas derrotado para Fernando Pimentel (PT), Aécio sinalizou com uma trégua e desejou sucesso ao petista vitorioso pelo “enorme amor que tenho por essa terra”. Pimentel e Aécio já foram aliados no passado, e em Minas uma parte do eleitorado aderiu ao “Pimentécio”: voto no petista para o governo e no tucano para presidente.

Sobre a polarização PT X PSDB tão criticada por Marina, Aécio disse que vai continuar batendo nos problemas do governo Dilma, mas que sua disputa não é contra pessoas, e sim, a favor do Brasil:

— Não faço a política do ódio e do medo. Não acho que o adversário tem de ser abatido a qualquer custo. Sou um democrata. Minhas companheiras serão a verdade e a coragem.

Quando questionado sobre a baixa votação no Nordeste e em estados como o Rio, Aécio disse que não imaginava ter uma votação tão expressiva como a que foi registrada.

— Eu me sinto um grande vitorioso. Todos os números do Brasil estão muito acima de todas as expectativas. Não vou privilegiar uma região. No Nordeste vou ter mais tempo para debater nosso ousado projeto para a região — disse, pedindo que os governadores eleitos aliados não desmobilizem as estruturas.

Logo cedo, ao acompanhar a votação dos candidatos ao governo de Minas, Pimenta da Veiga, e ao Senado, Antonio Anastasia, Aécio debitou a sua virada a uma batalha diária, e disse que não era a “zebra” da eleição. Vestindo uma camisa azul, cor do PSDB, combinada com a mulher Letícia Weber, o presidenciável foi aplaudido ao redor do colégio estadual Central, onde votou:

— Não sou a zebra ou azarão, eu sou um determinado. Sou um brasileiro que não desiste nunca.

Perguntado se em algum momento pensou que não daria para virar o jogo, Aécio disse que sempre teve fé que recuperaria o espaço perdido:

— Minha fé interior, minha confiança e minha determinação não mudaram nunca. Nunca perdi a confiança porque sempre compreendi que temos o melhor projeto para o Brasil. Porque esse sentimento de mudança que permeia a sociedade brasileira, e ele é amplo, pressupõe não apenas a derrota do PT, que é essencial, mas a introdução de um projeto capaz de permitir ao Brasil voltar a crescer, controlando a inflação, melhorando nossos indicadores sociais, resgatando nossa capacidade de atrair o capital privado como parceiro da nossa infraestrutura, por exemplo. Sempre acreditei e sempre confiei, mas uma campanha é feita de altos e baixos.

Depois da votação, Aécio almoçou na casa de um parente e depois se isolou no apartamento, só com a mulher e os filhos, para acompanhar a apuração.

Anúncios

Publicado em 06/10/2014, em Aécio Neves, Eleições 2014 e marcado como , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: