Gestão deficiente: Dilma diz que não vai reduzir ministérios

Presidente Dilma disse ser um escândalo querer acabar com algumas pastas, como o da Micro e Pequena Empresa e o da Aviação Civil.

Gestão Deficiente: governo Dilma

Fonte: O Globo

Dilma aposta na ineficiência e diz que não vai reduzir ministérios

Dilma acha um escândalo reduzir o número de pastas que, atualmente, são 39. Foto: Reprodução/TV Globo

No Rio, Dilma diz ser um ‘escândalo’ proposta de reduzir número de ministérios

Em visita à Cufa acompanhada de Pezão, presidente afirmou ainda que só fará reforma política com plebiscito

A presidente Dilma Rousseff ironizou em discurso nesta segunda-feira na Central Única das Favelas (Cufa), na Zona Norte do Rio, a proposta de seus principais adversários, Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB),

Em entrevista coletiva, após o evento, disse ser um escândalo querer acabar com algumas pastas, como o da Micro e Pequena Empresa e o da Aviação Civil.

– Acho um verdadeiro escândalo querer acabar. Criei dois ministérios. O da Aviação Civil criei pela consciência absoluta de que havia uma verdadeira revolução no transporte por aviões no Brasil. Para se ter uma ideia, em 2003 eram 33 milhões de passageiros por ano e agora é de 111 milhões de passageiros por ano. A ampliação de aeroporto no Brasil é uma exigência desse processo de inclusão social – afirmou.

No discurso, sem citar nomes, a presidente já havia falado que querem reduzir o número de ministérios.

– Tem gente, inclusive, querendo reduzir ministérios. Vocês podem saber os ministérios que eles querem reduzir. Um deles é o da Igualdade Racial, o outro é o que luta em defesa da mulher. O outro é de Direitos Humanos. E tem um ministério que eu criei e eles estão querendo acabar que é o da Micro e pequena empresa – disse a presidente, citando secretarias que têm status de ministério.

Na entrevista coletiva, Dilma fez críticas a Marina. A presidente usou em sua resposta uma expressão que tem sido utilizada pela candidata do PSB, de governar com os bons.

– Não acredito no governo dos bons. Tem os bons e os maus, e escolho os bons… Acredito num governo com legitimidade do voto popular – afirmou.

REFORMA POLÍTICA

Dilma falou ainda sobre reforma política, dizendo que só a fará depois de um plebiscito:

– Acredito que a grande questão da reforma politica não é possível sem a participação popular. Não faremos reforma politica sem plebiscito, não acredito nisso e vou dizer o por quê. Eu vi o Lula tentar três vezes, fiz um grande movimento depois das manifestações, conversei com STF e o Congresso, não consegui passar a reforma.

PETROBRAS

Ao comentar na entrevista o escândalo na Petrobras, a presidente disse que todas as empresas têm malfeitos, mas é preciso investigar. Ela disse ainda que a declaração de Marina, de que o PT colocou o ex-diretor Paulo Roberto Costa para assaltar os cofres da empresa, não é de alto nível:

– Aquilo é uma fala que não é de muito alto nível. Lamento aquela fala. Em qualquer lugar, em qualquer empresa você pode ter pessoas que fazem malfeitos. O que você tem que fazer é investigar.

A presidente criticou Marina e também Aécio em outro momento:

– Um candidato que fala que vai reestatizar é o que quis privatizar. Eles quiseram mudar o nome de Petrobras para Petrobrax porque o X era melhor aos ouvidos estrangeiros. Lamento o que falou a outra candidata até porque, dos 12 anos ao qual ela se refere, oito anos ela estava no governo como eu, e o resto estava no Senado.

EVENTO OFICIAL A presidente visitou as instalações da Cufa, em Madureira, na Zona Norte do Rio, onde também participou do lançamento do livro “Um país chamado favela”, de Renato Meirelles e Celso Athayde. Ela estava acompanhada do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB). Dilma assistiu a uma apresentação de capoeira e dançou o “passinho”.

Segundo a assessoria de Dilma, essa era uma agenda mista, em que ela participou como presidente, mas, ao final, deu uma entrevista coletiva como candidata.

Apesar de as assessorais alegarem ser um evento oficial e não de campanha, cabos eleitorais balançavam bandeiras do lado de fora com as fotos de Dilma e Pezão. Foram distribuídos ainda jornais de campanha do governador, que tenta a reeleição.

No domingo, o também candidato à Presidência Aécio Neves (PSDB) esteve na Cufa para o mesmo evento.

Anúncios

Publicado em 16/09/2014, em Eleições 2014, Política e marcado como , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: